ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  21    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Consórcio Guaicurus quer barrar vans no transporte coletivo da Capítal

Empresa cita concorrência desleal e alega que prefeitura está ferindo o principio de impessoalidade

Por Ana Paula Chuva | 15/09/2020 13:39
Ônibus estacionado na sede do Consórcio Guaicurus. (Foto: Marcos Maluf | Arquivo)
Ônibus estacionado na sede do Consórcio Guaicurus. (Foto: Marcos Maluf | Arquivo)

Citando concorrência desleal, o Consórcio Guaicurus entrou com um pedido de Tutela Cautelar em Caráter antecedente par na tentativa de barrar o transporte de passageiros por vans com capacidade acima de sete passageiros.

Autorizadas pela prefeitura de Campo Grande desde o dia nove de setembro, as vans começarão com o transporte através de aplicativo dos passageiros da Capital nesta quarta-feira (15).

Segundo o presidente do Sinte-MS (Sindicato dos Transportadores Escolares do Estado) Rodrigo Aranda Armoa as corridas serão de forma compartilhada e o valor será definido pelo aplicativo.

“Fechamos a parceria com a plataforma Rodar que já está disponível para baixar, mas ainda não está funcionando para as vans. Os valores das corridas serão definidos pelo próprio aplicativo e a carona será compartilhada”, disse.

Na ação contra o Município de Campo Grande , a empresa pede que seja impedida a liberação das vans para o transporte coletivo na Capital.

“A administração pública se rege pelo principio da impessoalidade. Quando o prefeito baixa uma lei que atende uma determinada categoria, nesse caso os vanzeiros do transporte escolar, esse principio está sendo desrespeitado”, explicou o Consórcio ao Campo Grande News.

Entre os questionamentos à liberação, a empresa cita se o transporte das vans atenderá durante o mesmo horário que a empresa de transporte coletivo urbano, das 5h às 2h.  Se operarão nas linhas deficitárias, se terão acessibilidade.

“Esse são alguns motivos que provocarão uma concorrência desleal.  Eles irão trabalhar quando desejarem ou quando o faturamento for certo? Além disso o Consórcio foi multado por não ter seguro, os vanzeiros tem?”, completou através da assessoria.

Ao Campo Grande News, a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) informou não ter sido notificada sobre a ação ainda.

Já o presidente do Sinte-MS, disse a reportagem que confia na Justiça. “Confio no nosso judiciário. Até porque não vamos atender o mesmo público que o Consórcio Guaicurus”, afirmou.

Carona compartilhada - Amanhã ao menos 70 vans, com capacidade acima de sete pessoas, começam a fazer o transporte de passageiros através de aplicativo em Campo Grande. As caronas serão compartilhadas e os veículos atenderão todas os bairros de Campo Grande.

Segundo o Sinte-MS, os valores das corridas serão determinados pela plataforma de carona paga que funciona da mesma forma que as outras já existentes para corridas de aplicativo.

O número de passageiros será limitado a 50% da capacidade do veículo e o uso de máscara será obrigatório.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário