ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, SÁBADO  06    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Contemplados esperam há 9 meses pela entrega de apartamentos

Frustrados, moradores afirmam que imóveis estão prontos, mas a entrega foi adiada várias vezes.

Por Mirian Machado | 23/01/2021 17:48
Familiais aguardam há 9 meses pela entrega de apartamentos (Direto das Ruas)
Familiais aguardam há 9 meses pela entrega de apartamentos (Direto das Ruas)

Contemplados com apartamentos no condomínio Jornalista Armando Tibana, no Bairro Paulo Coelho Machado em Campo Grande, reclamam da demora para a entrega das moradias. As chaves deveriam ter sido repassadas em abril de 2020, mas a pandemia adiou por duas vezes e agora eles seguem sem nova data para entrar na casa própria.

Atualmente "morando de favor", Vanessa Pecorário da Silva, de 36 anos, reclama que espera há muito tempo pelo sonho da casa própria e que a esperança veio quando foi contemplada, mas após tantos adiamentos na entrega, veio a frustração.

“A gente fica ansioso, fica em uma agonia e nada. O condomínio esta pronto, o porquinho pegando sol, chuva,  se deteriorando, e já até houve ameaças de invasão e ninguém nos da uma resposta”, reclama.

Móveis da Vanesa seguem guardados esperando a nova casa (Arquivo Pessoal)
Móveis da Vanesa seguem guardados esperando a nova casa (Arquivo Pessoal)

Conforme ela, o sorteio ocorreu em 2018 com a promessa de entrega em abril de 2020. Com a pandemia, a entrega foi adiada para agosto do mesmo ano, mas também não foi cumprida. Durante uma reunião com o prefeito Marquinhos Trad, segundo Vanessa, foi prometido que até a véspera de Natal todos estariam em suas novas casas. “Fizemos eleição de síndico e tudo mais. Comprei móveis porque prometeram que entregariam. Agora minhas coisas estão em uma casa cedida pela minha tia e meu medo é estragarem”, afirma a mulher.

Ainda de acordo com a moradora, a responsável pelo empreendimento, Conssol não atende mais as ligações. “Quando atende fala que é culpa da prefeitura, outra hora culpa do cartório, ou simplesmente nos excluí do grupo do condomínio se questionamos alguma coisa”, conta.

“Tem muita gente passando necessidade, pagando aluguel, sendo que o apartamento esta lá pronta para nós, e não podemos mudar”, conclui.

A gerente de vendas Rosália Ingrid de Aquino de 25 anos, mora de favor na casa da mãe desde a última promessa de entrega. Ela morava de aluguel, mas acabou entregando a casa após prometerem o apartamento em dezembro. “Eu acabei de ganha bebê. Tem 24 dias que ganhei bebe achando que iria estar dentro do apartamento em dezembro”, explica.

Outra contemplada, é a a promotora de vendas Layz Martins Rezende  de 23 anos. A mulher tem um filho de 4 anos e está grávida de seis meses. Ela explicou que só o valor do aluguel já compromete metade do salário.

Layz ainda contou que só em 2019 foram realizadas 12 reuniões cuja data de entrega era confirmada para inicio de 2020. Nas reuniões todos os moradores ficavam por dentro de cada passo da obra. “Em 2020 chegou a covid atrasou a obra. Foi momento de crise, todos nós compreendemos”, afirmou. Segundo a moça, em outubro foi feito os últimos reparos e em novembro entregaram a apartamento pronto. A Conssol confirmou a entrega para 20 de dezembro.

“Todos nós ficamos animados. Muitos fizeram planos para ir pra casa nova e não renovaram contrato de aluguel”, conta.

“Estou muito decepcionada, estou em uma casa alugada onde o contrato venceu em dezembro. A moça dona da casa onde moro me disponibilizou mais um mês que é esse de janeiro”, afirma a agente orientadora Ariane Mendes Vargas de 22 anos.

A orientadora contou que não tem para onde ir e que todas as coisas de dentro da casa estão encaixotadas esperando a mudança para o apartamento. “Não é a primeira vez que ele adiam a entrega sempre com promessas. Já está pronto o apartamento falta somente a entrega das chaves”, disse.

Vários moradores prometem fazer panelaço na próxima quarta-feira (27) em frente á Prefeitura às 10h para chamar atenção e cobrar a entrega dos apartamentos.

Em nota, a Prefeitura por meio da AMHASF (Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários) informou que o empreendimento foi construído com recursos do Programa Minha Vida Entidades com participação da Agehab e com recursos da Caixa Econômica Federal, que determina o cronograma de obras e que autoriza a liberação das etapas exigidas pelo MCMV.

A responsabilidade da Prefeitura foi a constituição do projeto para aprovação junto ao Ministério do Desenvolvimento Regional e a doação do terreno para a construção do residencial Armando Tibana.

Ainda conforme a nota, a AMHASF aguarda os trâmites finais de documentação e a infraestrutura externa para a entrega das 192 unidades habitacionais.

Está prevista para a próxima terça-feira (26) uma reunião entre os agentes públicos envolvidos sobre as medidas necessárias para a finalização do empreendimento.

De acordo com a Prefeitura, os moradores estão cientes do andamento das etapas.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário