A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

07/03/2013 11:58

Coronel defende uso de armas por guardas municipais

Francisco Júnior e Mariana Lopes
Coronel foi apresentando oficialmente nesta manhã para os guardas municipais. (Foto: Pedro Peralta)Coronel foi apresentando oficialmente nesta manhã para os guardas municipais. (Foto: Pedro Peralta)

O novo comandante da guarda municipal de Campo Grande, coronel do Corpo de Bombeiros Jonnys Cabreira Lopes, é a favor do uso de armas por guardas municipais, mas com planejamento.

Apesar de já estar atuando desde janeiro deste ano, ele foi apresentado oficialmente na manhã desta quinta-feira (7) aos cerca de 800 guardas municipais que estiveram presentes no teatro Glauce Rocha.

De acordo com o coronel, para que os guardas trabalhem armados é necessário que sejam preparados e recebam instruções adequadas. Porém, segundo ele, isso não é prioridade no momento. “ É uma questão a longo prazo. O primeiro passo é abastecer os guardas de armas não letais, spray de pimenta e pistola de indutividade”, afirma.

Solenidade foi realizada nesta manhã. (Foto: Pero Peralta)Solenidade foi realizada nesta manhã. (Foto: Pero Peralta)

Conforme ele, é necessário resolver os problemas estruturais básicos primeiros, “para depois defender projeto e ganhar recursos para então tentar o armamento”.

Na solenidade, ele anunciou a compra de 14 motos e 14 carros para estruturar a guarda. Informou ainda que a sede da força de segurança vai ser em uma área sedida pela SAS (Secretaria de Assistência Social).

Durante o evento, guardas municipais reclamaram da perda de benefícios após a entrada de Alcides Bernal (PP) na Prefeitura.

De acordo com o guarda Esmael Soares Pereira, de 43 anos, o salário dos profissionais com de 10 anos diminuiu consideravelmente com a retirada dos benefícios. “ Quem tem mais de 10 anos de carreira tem alguns benefícios que faz o salário chegar a R$ 2,8 mil, mas agora que o Bernal entrou o salário caiu para R$ 1,2 mil”, reclama.
“Tem gente desesperado porque teve a renda desestruturada”, acrescenta.

Outro guarda a reclamar foi João da Conceição Morais, de 53 anos. Ele conta que os guardas lotados na saúde recebiam por um plantão de 12 horas R$ 150,00, mas agora pago é de R$ 45,00. “Ao invés de aumentar o salário de quem autua na saúde, acabou retirando os benefícios”, diz.

Guarda oferece palestra sobre prevenção e combate às drogas em Uneis
Jovens da Unei (Unidades Educacional de Internação) Dom Bosco e da Unidade de Internação Feminina Estrela do Amanhã, em Campo Grande, receberam pales...
Cadastramento biométrico é oferecido pela Carreta da Justiça em Anhanduí
Desde o início desta semana a Carreta da Justiça está realizando atendimentos da biometria no distrito de Anhanduí, no município de Campo Grande, gra...


Para uma instituição q tem mas de 20 anos e só tinha engatinhado ate poco tempo, no meu ponto de vista e é no q eu acredito (a guarda municipal deu seus primeiros passos nos ultimos dois meses)
 
Roberto viana de oliveira em 08/03/2013 19:31:35
Em primeiro lugar devemos pensar na questão da Constituição Federal no que considera sobre as atribuições da Guarda, todos os passos a seguir serão norteados pela clara interpretação desta questão, seremos todos equipados mas para fazer o quê? e de que forma?
 
aureliano sousa em 07/03/2013 17:10:15
Votem no bernal a guarda municipal inteira votou no Bernal .. pq o mesmo prometeu armar a tal, estao colhendo o que plantaram
 
humberto oliveira bueno em 07/03/2013 15:25:48
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions