ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MARÇO, SÁBADO  02    CAMPO GRANDE 35º

Capital

Defesa Civil Nacional emite alerta para seca e incêndios florestais em MS

Ao todo, 14 municípios do Estado estão sob aviso, seguido de Goiás, com oito municípios em vigilância

Karine Alencar | 06/09/2022 15:51
Bombeiros durante combate à incêndio em propriedade rural no Pantanal de Mato Grosso do Sul. (Foto: Reprodução)
Bombeiros durante combate à incêndio em propriedade rural no Pantanal de Mato Grosso do Sul. (Foto: Reprodução)

Nesta terça-feira (6), a Defesa Civil Nacional emitiu um alerta para período de seca e incêndios naturais em Mato Grosso do Sul e outras 149 cidade do país, que devem enfrentar um período rigoroso de baixa umidade do ar nos próximos dias.

Ao todo, 14 municípios do Estado estão sob aviso para queimadas, seguido de Goiás, com oito municípios em vigilância. O alerta tem como base o decreto de situação de emergência, publicado anteriormente pelo governo do Estado, no dia 22 de julho, válido por 180 dias.

O texto integra todos os municípios da região pantaneira, sendo eles Corumbá, Ladário, Miranda, Aquidauana, Porto Murtinho, Anastácio, Rio Verde de Mato Grosso, Coxim, Bodoquena, Jardim, Bonito, Corguinho, e Rio Negro.

Denúncias- Em caso de incêndio em mata ou floresta, a Defesa Civil orienta que a população avise imediatamente o Corpo de Bombeiros (193), Defesa Civil (199) ou Polícia Militar (190)

Recomendações- Outra orientação, é para que moradores das regiões de risco se inscrevam nos serviços de alerta, enviando um SMS, com o CEP do local onde mora, para o número 40199. Em caso de desastre, a população receberá um aviso.

Entre as medidas viáveis, também é indicado que as pessoas bebam água, mesmo se estiverem sem sede. Evite atividades físicas ao ar livre e exposição ao sol das 10h às 17h. Não tome banhos com água quente para não potencializar o ressecamento da pele, usar umidificador de ar e procurar posto médico em caso de problemas respiratório.


Nos siga no Google Notícias