A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 18 de Abril de 2019

04/04/2019 11:47

Depois de perder guarda de 3, mãe de Kauan pode ficar sem outros 2 filhos

Janete Andrade diz que perdeu a guarda de outros três filhos há quatro meses e foi intimada novamente a prestar esclarecimentos à polícia; ela é mãe de Kauan, menino assassinado em 2017

Silvia Frias e Ronie Cruz
Janete mora no Jd. Colorado com o marido e três filhos (Foto: Henrique Kawaminami)Janete mora no Jd. Colorado com o marido e três filhos (Foto: Henrique Kawaminami)

A dona de casa Janete dos Santos Andrade, 38 anos, mãe de Kauan Andrade Soares dos Santos, pode perder a guarda de mais dois filhos, em Campo Grande. Há quatro meses, outros três foram levados para abrigo. A situação familiar precária foi evidenciada após a morte de Kauan, assassinado em julho de 2017, cujo corpo nunca foi encontrado.

Janete foi intimada a comparecer à Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) na segunda-feira para prestar esclarecimentos à Justiça. Ela teme perder a guarda de meninas de 4 e 2 anos. A mulher teve 8 filhos, dois já mortos. Ela mora hoje com o marido e outro filho, um adolescente de 16 anos, no Jardim Colorado.

Há quatro meses, recebeu intimação semelhante e, segundo ela, perdeu a guarda de uma menina de 11 meses, de menina de 5 e menino de 8 anos. “Me falaram que eu não tinha condições financeiras de ficar com eles”. As crianças foram levadas para abrigo no Jardim Leblon.

Janete diz que o marido já teve problema com drogas, mas está trabalhando em lava-jato. Mesmo quando fazia bicos, “nunca faltou arroz e feijão em casa”.

Na época do assassinato de Kauan, uma das situações que chamou atenção durante as investigações é que a miséria na casa do menino dificultava até a perícia. Não foi possível colher DNA do garoto, por exemplo, porque todos os irmãos usavam a mesma escova de dentes.

A delegada titular da Depca, Marília de Brito Martins, não especificou o caso de Janete, mas explicou que as intimações são enviadas para que sejam esclarecidos a prática de crimes contra crianças. Sendo passível de medida de proteção, o Conselho Tutelar é notificado para providências, uma delas, podendo ser o acolhimento das crianças.

Morte – Kauan Andrade Soares foi violentado e esquartejado pelo professor Deivid Almeida Lopes, no dia 25 de junho de 2017.

Conforme relato de quatro adolescentes, com idades entre 14 de 16 anos, o menino foi violentado, antes e depois da morte, e esquartejado por Deivid.

Os garotos, que revelaram também serem estuprados com frequência pelo professor. Eles recebiam valores entre R$ 5 e R$ 15 para praticarem sexo com Deivid.

Os adolescentes contaram ainda à polícia que foram obrigados a praticar necrofilia (sexo com cadáver) e testemunharam o indiciado esquartejar o corpo de Kauan.

Os restos mortais teriam espalhados pelo rio Anhanduí. Mesmo sem o corpo, com base em investigação e perícia, a denúncia foi encaminhada e Deivid foi julgando e condenado a 66 anos e dois meses de prisão.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions