ACOMPANHE-NOS    
MAIO, QUARTA  12    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Depois de queda, internação em UTI na Capital volta a crescer e bate recorde

Dados do Ministério da Saúde indicam média de 304 internados por covid-19 em hospitais públicos da cidade

Por Guilherme Correia | 16/04/2021 17:33
Paciente internado pela covid-19 no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, em Campo Grande (Foto: Saul Scharmm/Governo estadual)
Paciente internado pela covid-19 no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, em Campo Grande (Foto: Saul Scharmm/Governo estadual)

Mesmo com pequena redução causada pelo "feriadão", a ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) voltou a crescer em Campo Grande e apresenta pior índice dos últimos meses, segundo dados do Ministério da Saúde.

Levantamento feito pelo Campo Grande News, com base em informações publicadas pelo governo federal, mostra que último registro consolidado apresentou média de 304 internações por covid-19 em leitos de terapia intensiva na semana - recorde de toda a pandemia.

 A média verificada em 22 de março, quando as restrições passaram a vigorar, era de 257. Cerca de 17 dias depois, passado o tempo previsto para que houvesse mudança, chegaram a reduzir para 245, mas desde então têm crescido novamente.

Para conter esse cenário, autoridades têm sugerido maior rigidez nas medidas restritivas. Além disso, possível crescimento já era previsto para alguns especialistas em saúde pública, que diziam que flexibilização poderia retomar o crescimento.

Conforme orientação do governo estadual, por meio do programa Prosseguir, Campo Grande está na pior classificação dentre todos os municípios sul-mato-grossenses. Entre as regras que passam a valer a partir dessa recomendação, está o toque de recolher mais cedo.

Melhora - A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) informa que o município registrou uma redução significativa no número de pacientes aguardando vaga de leitos nas unidades de urgência e emergência, mantendo hoje (16), por exemplo, sem nenhum paciente intubados aguardando transferência nas unidades.

"Nas últimas semanas a média diária registrada era de 20 pacientes nestas condições. Isso [redução] é reflexo das medidas restritivas adotadas pelo município e também do trabalho de estruturação na rede hospitalar, através do remanejamento e abertura de mais leitos clínicos e de UTI para atendimento da população", diz nota enviada pela pasta.

Além disso, conforme a Sesau, Campo Grande triplicou o número de leitos de UTI, saindo de 116 para os atuais 337 contratualizados na rede pública, privada e particular, de forma a conter a pandemia da covid-19. "Todos os esforços vêm sendo feitos para assegurar uma assistência adequada à população", finaliza.

(matéria atualizada às 17h59 para acréscimo de informações)

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário