A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

14/04/2011 15:20

Dilma exige que teles ofereçam internet ainda mais rápida por R$ 35 ao mês

Sabrina Craide, da Agência Brasil

A entrada em vigor do Plano Geral de Metas de Universalização da Telefonia (PGMU) foi adiada por causa de uma determinação da presidenta Dilma Rousseff para que a velocidade de conexão da internet oferecida no âmbito do Programa Nacional de Banda Larga (PNBL) seja aumentada.

O governo estava negociando com as operadoras a oferta de internet com taxa de transmissão de 600 quilobits por segundo (kbps) por R$ 35 ao mês, podendo chegar a R$ 29,90 com a isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Mas a presidenta orientou que a velocidade mínima oferecida seja de 1 megabit por segundo (mbps). Um mbps corresponde a 1.000 kbps.

“O que a presidenta falou é que nós não podemos ficar nesse limite mínimo [de 600 kbps], temos que fazer a disseminação rápida do uso da internet, mas, também, temos que nos preparar para dar um salto”, disse hoje (14) o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.

O relatório final do PGMU, que estabelece as metas que devem ser cumpridas pelas operadoras de telefonia fixa para expansão do sistema, deveria ter sido analisado pela diretoria da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) na última quinta-feira (7), mas a votação foi adiada depois de um pedido de vista do presidente da agência, Ronaldo Sardenberg.

Ontem (13), a Anatel anunciou o adiamento da data renovação dos contratos de concessão da telefonia fixa e a entrada em vigor do PGMU para 30 de junho. O prazo previsto inicialmente para as mudanças era 1º de janeiro deste ano, mas a data já tinha sido mudada para 2 de maio.

Paulo Bernardo disse que as empresas têm condições de cumprir as exigências do governo e que os investimentos devem ser contínuos para aumentar a velocidade da conexão de internet de acordo com a demanda. “As pessoas começam a usar a internet e daqui a pouco começam a reclamar da velocidade. Teremos que ter investimentos para ter velocidades compatíveis”, disse. Segundo ele, a ideia do governo é não permitir a oferta de velocidade de conexão abaixo de 1 mbps.

Bernardo lembrou que o governo não vai disponibilizar recursos para as empresas antecipadamente, mas está previsto no acordo que, a cada 18 meses, haverá um acerto de contas entre operadoras e governo. Se as empresas comprovarem prejuízo na operação, serão ressarcidas. Se tiverem lucro, terão que fazer novos investimentos.

Segundo o ministro, a Anatel terá que implantar mecanismos para verificar a qualidade e a velocidade que será efetivamente entregue pelas operadoras. “Estamos sendo atendidos de forma bem aquém do que o público gostaria e precisa. A tarefa da Anatel é se preparar para exigir a qualidade”.



O ministro Paulo Bernardo e a Presidenta Dilma, tem de parar com negocio de isentar essa teles que só exploram os consumidores. Concordo com a Lurdes, como no brasil a unica opção para usar a internet é a linha telefonica, mesmo sem fazer uma unica ligação eles cobram um absurdo para manter o telefone para que voce possa usar a internet. cadê a Telebras, ela não foi reativada para baratear os custo da internet, coloca ela pra funcionar, e mete mais impostos nestas telesroubalheira para ajudar acabar com a fome e a miséria no País. Faça mil favores em ministro, V.Ex. ainda vem falar em ressarcir em caso de prejuizo, dessa forma os balanços das teles nunca vão apresentar lucros. fiquem de olho investidores!!!
 
JOSE DOS SANTOS BRITO FILHO em 14/04/2011 09:05:32
É complicado, as empresas telefônica são tão sem caráter que praticam preços diferentes para cada cidade. Onde eles não têm concorrência aquelas promoções que elas divulgam em seus sites não existem.
Liguei e pedi aqui pra Ponta Porã uma ADSL no site da companhia telefônica que detêm o monopólio no interior do estado. A atendende disse que em cidade que não têm concorrência vale outro preço.
Cadê os defensores do direito do povo?
 
Eder Samaniego em 14/04/2011 08:55:14
Quando se fala de internet só fala do valor da internet mais ninguem coloca junto também o valor da linha telefonica pois as teles não vão só oferecer só a internet, no final o valor vai ficar em torno de R$ 70 a R$80 reais tudo (internet mais o telefone) sálario minimo será que dá para este luxo ?
 
lurdes carneiro em 14/04/2011 06:32:18
Qualidade no serviço de internet nunca foi o forte das teles no Brasil. Quem sabe agora, com a "intervenção" da Presidente, a ANATEL veja o lado do consumidor, que paga um serviço caro (comparado com outros países) para levar 10% da velocidade anunciada na propaganda.
 
Daniel Silva em 14/04/2011 04:05:47
Anatel prorroga para junho vigência de contratos e metas de telefonia fixa
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) decidiu adiar pela segunda vez a data da renovação dos contratos de concessão da telefonia fixa e a e...
MS tem 508 mil celulares a mais do que moradores, aponta Anatel
Mato Grosso do Sul fechou o mês de fevereiro com 2.958.319 celulares, o que significa uma taxa de teledensidade de 121,54. Esse índice mede o número ...
Anatel fará fórum para estimular participação social nas telecomunicações
Discussões deverão ser abertas em abrilNo Dia Nacional do Consumidor, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) anunciou que vai promover, a p...
Anatel discute com empresas os novos contratos de concessão para telefonia fixa
O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, se reuniu nesta sexta-feira (28) com representantes da área de regulação das companhias telefônicas, em ...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions