ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUARTA  19    CAMPO GRANDE 27º

Capital

Disputa de racha começou no Jardim dos Estados, diz condutor

Por Viviane Oliveira e Nadyeka Castro | 03/04/2013 19:44
O Polo ficou totalmente destruído. (Foto: Nyelder Rodrigues)
O Polo ficou totalmente destruído. (Foto: Nyelder Rodrigues)

O condutor do C3, Ryan Douglas Werner Vieira, 20 anos, disse em depoimento nesta terça-feira (2) que começou a acelerar o veículo em frente ao Miça, na avenida Afonso Pena, em Campo Grande. Ele disputou um racha que terminou com a morte do condutor do Polo, Marcus Vinícius Henrique de Abreu, de 22 anos, que também estaria envolvido.

Para a Polícia, Ryan contou que estava com um passageiro e começou a acelerar o carro no Jardim dos Estados, em frente ao Miça. Segundo ele, a velocidade que chegou a atingir foi de 70 km/h a 80 km/h, mas que parava toda vez que o semáforo estava fechado, quando percebeu que um Celta vermelho fazia a mesma coisa que ele.

Ryan também contou que colocou o braço para fora e deu jóia, porém os ocupantes do Celta não responderam. Os dois veículos ficaram nesta situação até a Morada do Baís. Nas proximidades da igreja do Perpétuo Socorro, Ryan encontrou o Polo em alta velocidade.

Ryan afirma que ao chegar à Praça Guia Lopes, onde a avenida Afonso Pena encontra com a Duque de Caxias, não viu mais o Polo e nem o Celta.

Quando ele chegou em frente ao CMO (Comando Militar do Oeste) viu que o Polo estava parado no sinal com outro veículo na frente. Ryan então pegou a faixa preferencial e em seguida passou para a pista do meio.

Então o condutor do Polo pegou a faixa preferencial e ao passar por Ryan houve a batida. Ele não soube dizer quem bateu em quem. Segundo Ryan, com a pancada foi parar entre 30 a 40 metros depois do ponto de impacto. Para a Polícia, o jovem disse que não viu o Polo batendo no poste, mas que ouviu o barulho da batida.

O motorista do Celta também foi ouvido. Ele confirma que o motorista do C3 estava acelerando, mas disse que não participou do racha. De acordo com o delegado responsável pelo caso, Natanael Balduíno, se ficar comprovado que o Celta participou dessa disputa o motorista pode ser responsabilizado pelo crime de racha. A pena é de seis meses a dois anos de prisão, que é convertido em prestação de serviço comunitário.

Batida - O acidente foi por volta das 21h do último domingo, envolvendo um Polo Sedan e um C3. No primeiro veículo estava o estudante de Engenharia Mecatrônica, Marcus Vinícius, e a namorada dele, Letícia Souza Santos, 23 anos. O carro foi atingido na lateral pelo C3, onde estavam os estudantes de Engenharia Ryan Douglas e o amigo Hugo Nantes Milan, ambos de 20 anos.

Pela alta velocidade do veículo, depois da batida, Marcus Vinícius perdeu o controle da direção e bateu, derrubando o poste de energia elétrica da avenida Duque de Caxias. Com o impacto no poste, o carro ficou dividido ao meio.

Bombeiros prestaram socorro às vítimas e Marcus Vinícius ainda foi levado para a Santa Casa com vida, mas não resistiu à gravidade dos ferimentos e morreu à 1h da madrugada.

As investigações entre a noite de domingo e a madrugada de segunda terminaram com Ryan indiciado por homicídio doloso, quando há intenção de matar, lesão corporal grave em relação à namorada de Marcus que era passageira do Polo.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário