A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

10/08/2011 11:05

Dogueiros serão transferidos de avenida para “lanchódromo” no Horto

Aline dos Santos e Viviane Oliveira

Local deverá ter quiosques e possibilidade de funcionar 24h

Pista de bicicross está sendo removida para criação do lanchodromo. (Foto: João Garrigó)Pista de bicicross está sendo removida para criação do "lanchodromo". (Foto: João Garrigó)

O comércio de lanches do canteiro central da avenida Afonso Pena será removido para um “lanchódromo” no Horto Florestal, no cruzamento da rua Anhanduí com a Fernando Côrrea da Costa, exigindo a retirada da pista de bicicross.

Já incorporados ao cenário da avenida mais importante de Campo Grande, os trailers vão sair para as obras de recapeamento da via, que incluem a retirada dos estacionamentos nos canteiros.

“A obra na avenida é inevitável. Então aceitamos a proposta da prefeitura, por ser a única área perto do Centro capaz de receber todos os comerciantes”, justifica o presidente da Amval (Associação Municipal dos Vendedores de Lanches), Emerson do Nascimento. Ao todo, há 22 trailers de lanche na Afonso Pena.

A associação e a prefeitura bateram o martelo na última segunda-feira. Agora, os donos dos trailers aguardam por novas rodadas de reuniões para definir prazos e custos. A previsão é que o “lanchódromo” entre em atividade ainda neste ano.

Além de ceder a área, a prefeitura vai oferecer infraestrutura como banheiro, ligação de esgoto e energia elétrica. Já os comerciantes devem sair da informalidade.

Por meio de parceria com o Sebrae, eles vão constituir empresa e recolher impostos. Nos moldes de programas já adotados na Feira Central e Camelódromo. “O nosso sonho era deixar de ser ‘dogueiro’ para ser empresário”, afirma Emerson.

O presidente da Amval admite que o novo endereço não nem tanto fluxo de pessoas como na avenida. “Não se compara a Afonso Pena, mas a localização é boa. Vamos investir em marketing para chamar o público. Uma possibilidade é funcionar 24 h, além de ter apresentações culturais trazidas pela Fundação de Cultura”, explica.

Para ele, a concentração de todos os comerciantes no mesmo espaço também deve levar à diversificação do cardápio. A proposta é que os trailers sejam substituídos por quiosques.

Nesta quarta-feira, dois dias após a decisão, oito funcionários da prefeitura já trabalham na retirada da terra da pista de bicicross. Seis caminhões estão no local.

Além da retirada da pista, parte da área vai receber brita. A princípio, o projeto não inclui a retirada de árvores.

Atleta foi surpreendido com fim da pista no Horto Florestal. (Foto: João Garrigó)Atleta foi surpreendido com fim da pista no Horto Florestal. (Foto: João Garrigó)

Surpresa - Ver o fim da pista de bicicross foi uma desagradável surpresa para o atleta Jacinto Ferreira Neto, quarto colocado no campeonato brasileiro. A pista deveria receber uma competição estadual em breve.

Jacinto também utiliza o local – com 320 metros, com rampas de quatro metros de altura e sete metros de distância - para treinamento. “Não tem outra pista como essa em Campo Grande”, reclama o atleta, que na competição nacional encara pistas com até 12 metros de distância entre as rampas.

“Ontem, fiquei sabendo que ia começar a obra. A prefeitura não avisou ninguém”. Ele conta que a federação investiu R$ 360 na semana passada para recuperar a pista.

A criação do lanchódromo também foi questionada pelo coordenador do Fórum de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul, Haroldo Borralho. “Se acontecer isso, é um ato inconsequente do ponto de vista ambiental. Fora, que é um local aprazível, para contemplação, caminhada. Não pode destruir aquele espaço para colocar dogueiros”, afirma.



Sou moradora nesse bairro por muitos anos, e não concordo com que os dogueiros se estabeleça no horto florestal, o próprio nome ja diz horto florestal combina com silêncio, descanço, muitas pessoas que conheço também estão criticando, não querem. Hoje há um número muito grande de pesssoas da 3º idade qaue frequenta esse local em busca de saúde. O que deveria fazer era uma boa reforma, fazer um bom parquinho para as crianças, arrumar as pistas de caminhadas, colocar a lanchonete para funcionar e continuar com o orquidário que era bastante visitado. Arrumar as calçadas ao redor e manter limpo as fontes e banheiros. Continuar com atividades culturais nos finais de semanas para os jovens e crianças , colocar mais iluminações e segurança para o parque funcionar até as 20 horas. Muitas pessoas gostariam de fazer suas atividades físicas nesse local, mas devido o horário que fecha não é possivel.
 
Fátima Fefe em 29/08/2011 09:36:22
Eis aí uma belíssima decisão, pois os donos de barracas de lanches da Av. Afonso Pena, são comerciantes que trabalham muito, para oferecer esta produto honesto e tradicional a população de Campo Grande. E este novo local, com certeza se tornará a nova feirona central dos lanches, hot-dogs e afins, deixando assim com justiça os moradores de apartamentos nobres da Av. Afonso Pena "livres" da arruaça de baderneiros daquela região. Mas é sabido que os maiores baderneiros da nobre Av. Afonso Pena são os moradores de bairros próximos, como: Ch Cachoeira, Jardins dos Estados, Itanhagá e etc., que pilotam os importados, que custam mais de R$ 150.000, e após uma noitada chegam no apartamento mamados de toda qualidade de bebidas, e está tudo certo, pois carro importado da Baviera, não é parado em blitz na cidade morena. Fato muito diferente dos pilotos de motos de 125cc, que de fato são as maiores vítimas do trânsito da Escandinavia, sem contar com os Off-Road´s, maiden in Japan. Quem tiver vergonha na cara que se indiguine, quem não: feiche o vidro e ligue o AC em 220 V. e mande a conta para a mamãe.
 
Paulo Gamarra em 11/08/2011 12:48:11
A ideia de retirar os dogueiros da Afonso Pena e da infraestrutura que irão receber lá no Horto é genial. Pergunta se algum feirante quer sair da feira central. Mas penso que o asfalto deveria chegar nos bairros onde a poeira ta tomando conta e maltratando nossas crianças com doenças respiratórias. Na Afonso Pena o que precisa são radares, câmeras de vigilância e lombada eletrônica para coibir atos de vandalismo, violência e raxa, principalmente nos altos próximo ao shopping. Clica aí http://pmacaosolidaria.blogspot.com/
 
SIDNEI GARCIA DE FREITAS em 11/08/2011 07:07:56
Gente vamos lá.
Respeitando sempre todos os pontos de vista, deixo aqui o meu.
Impossível trabalhar agradando a todos de uma população, mais impossível ainda é governar agradando a todos.
Culturas, raízes e pensamentos distintos marcam qualquer mudanças que ocorrem em um município. Porém devemos nos adaptar quaisquer que sejam essas mudanças, e entender que elas possuem seus valores, que para alguns pode ser positivos e para outros nem tanto.
Para mim também não havia valor a pista que ali deixará de existir, mas devemos entender que para outras pessoas a referida pista pode significar muito, mas é um obra pública e deve ser sempre voltada ao interesse coletivo e não ao interesse de umas ou outras massas ou movimentos. A obra a ser realizada será de grande importância para Campo Grande, desde que pensemos na coletividade e na legalidade. Se nesse momento o "lado empreendedor", como citado por uma leitora em seu comentário, é o lado que precisa ser incentivado, então que seja. Por outro lado, já que existe uma federação do esporte citado, esta é a responsável por conseguir viabilizar um local para que seus atletas possam treinar e competir.
Campo Grande possui uma população incomodada demais, precisamos parar de criticar toda e qualquer obra que será realizada e se acostumar com essa rotina de uma cidade que está, e precisa estar, em constante crescimento, onde cada vez mais obras como essas devem ocorrer, como sempre para um bem coletivo e não individual.
 
Bruno Ferreira em 11/08/2011 01:17:13
Em todo lugar de fluxo de gente, sempre vai existir vendas. Não acredito que na av. Afonso Pena não vai ter vendas naquele local. Acho que deveria organizar o local, sem atrapalhar o transito. Mudar essa venda toda para um local como esse, não vai funcionar. Se eu fosse proprietario de um negócio desse, eu não ia gostar de mudar para esse local. Será que as pessoas vão la no horto so para comer cachorro quente ?
 
luiz aves pereira em 10/08/2011 12:32:12
é como a feira, no começo todo mundo reclamou, mas hoje funciona muito bem. alias, poderia-se pensar, em dando a idéia certo, em fazer programas semelhantes nos bairro, como zonas especificas para este tipo de comércio, com infra-estrutura e tudo mais..

quanto ao meio ambiente, eu fiquei em duvida...a área é bem legal, mas só tem terra e só o pessoal do motocross(bicicross) entra lá afinal de contas. no horto propriamente não tem animais, e ainda, considerando as sextas feiras no sesc, é impossivel haver mais barulho...

recomendo: www.margemdafolha.blogspot.com
 
Marcos Henrique em 10/08/2011 12:04:56
As declarações do Sr. Haroldo Borralho parecem piada!
"ato inconsequente do ponto de vista ambiental."
Francamente! Dá pra contar nos dedos as árvores que estão plantadas naquele local.
Sem contar que a reportagem foi clara que haverá no local a coleta do esgoto e toda a estrutura. Melhor do que ficar dividindo espaço com as ávores CENTENÁRIAS e TOMBADAS da Af. Pena. Isso sim é inconsequente...

Quando mudaram da feira central lá da av. Mato Grosso (que era muito aprazível, diga-se, com lixo espalhado e esgoto a ceu aberto e barraqueiros despersonalizados) também muita gente torceu o nariz. Agora a gloriosa Feira Central é a menina dos olhos da cidade, muito mais aprazível do que antes, com toda a estrutura, com EMPRESÁRIOS, num lugar decente e que aqueceu o turismo na cidade

E outra! Nunca vi ninguém caminhar e contemplar nada em pista de bicicross! Nunca parei para contemplar um lugar desses!

Os dogueiros merecem também essa oportunidade... É cada uma que aparece!
 
Christian da Costa em 10/08/2011 11:59:51
Neste contexto só estão visando o lado empreendedor, deixando a pergunta e quanto aos atletas será constuída um nova pista?
 
Sandra Souza em 10/08/2011 11:46:09
Bom pelo que sei a muito tempo essa pista está abandonada, vejo uma boa ideia essa, pelo menos o horto pode ser revitalizado e deixar de ser um local abandonado a noite trazendo riscos a quem precisa passar pelas proximidades, com movimento por ali pode-se até esperar uma valorização naquela região, vamos pensar direito, e ter bom senso!
 
Oswaldo Benites em 10/08/2011 11:43:12
Sr. Luiz Alves Pereira, se o senhor fosse morador de um dos apartamentos localizados na avenida Afonso Pena com certeza não iria ter essa opinião. Visto que ninguém mais aguenta as constantes badernas durante a madrugada afora, os bêbados que ligam seus sons dos seus carros no último volume e as brigas e conversas altas que são constantes nesses trailers. Fora a sujeira e odor desagradável que eles deixam depois que vão embora na manhã seguinte. Eu como moradora jamais me propus a consumir qualquer lanche desses dogueiros exatamente por essa situação terrível. Agora, com essa mudança, com certeza me tornarei consumidora, pois sei que agora sim as condições de higiene e qualidade serão melhores.
 
Maria Silveira em 10/08/2011 02:46:45
Atitute certa por parte do Município, esta mudança é necessaria e a av Afonso Pena realmente precisa dessa reforma, as novas vias melhorarão o tráfego. O novo local é bem melhor que a "pedra". Outra atitude que o Município poderia tomar é parar de liberar autorização para a realização de shows e congeneres na Av Fernando Correa da Costa, em frente ao antigo Forum, situação que atrapalha muito o fluxo de veículos naquele ponto, o qual é de circulação de muitos veículos e serve para desafogar a av Afonso Pena.
 
Gustavo Weber em 10/08/2011 01:51:44
existe uma banca de revistas ali na afonso pena,em frente ao Banco do brasil,que de manhã cedo dá pena do Dono um senhor de descendência japonesa,que todas as manhãs é obrigado a usar baldes de água e desinfetantes,por conta das pessoas que frequentam os carrinhos de Dog da afonso pena,que como não há banheiros fazem as necessidades fisológicas nas arvores e calçadas da afonso pena,bem como nas paredes da banquinha de jornais do senhor .quem passar num sabado de manhãzinha ou domingo irá constatar o mau-cheiro na "mais importante avenida" de Campo Grande.Com certeza o senhor japonês da banquinha irá ficar muito contente saber que os dogueiros mudarão-se dali e para um local com banheiros,como toda lanchonete deve ter um.
 
antonio luis em 10/08/2011 01:25:11
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions