ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, QUARTA  08    CAMPO GRANDE 20º

Capital

Durante Carnaval, polícia registrou 495 ocorrências e prendeu 51 em flagrante

Maioria dos flagrantes foi de embriaguez ao volante, furto, roubo e tráfico de drogas

Por Anahi Zurutuza e Geisy Garnes | 26/02/2020 14:02
Durante quase todos os dias de folia, pancadarias foram registradas na Avenida Calógeras, entre a Mato Grosso e a Antônio Maria Coelho, foram do cercado dos bloquinhos (Foto: Marcos Maluf/Arquivo)
Durante quase todos os dias de folia, pancadarias foram registradas na Avenida Calógeras, entre a Mato Grosso e a Antônio Maria Coelho, foram do cercado dos bloquinhos (Foto: Marcos Maluf/Arquivo)

De sexta-feira à noite até a manhã desta quarta-feira (26), a Polícia Civil registrou 495 boletins de ocorrência – foram em média 120 casos por dia durante o Carnaval. Para as Depacs (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) de Campo Grande, 51 presos em flagrante foram encaminhados.

“A maioria dos flagrantes foi de embriaguez ao volante, furto, roubo e tráfico”, afirma o delegado João Eduardo Davanço, titular das delegacias de plantão. Os crimes são comuns no período que tem muita gente na rua e quem não está na folia, está viajando.

A maior parte das ocorrências, 363 boletins, foi registrada na unidade do Centro, região onde aconteceram dois carnavais de rua – o Morena Folia, na Fernando Corrêa da Costa, e os blocos Cordão Valu e Capivara Blasé, na Vila dos Ferroviários. Além dos 51 presos em flagrante, 13 mandados de prisão foram cumpridos e quatro adolescentes apreendidos.

Durante quase todos os dias de folia, pancadarias foram registradas na Avenida Calógeras, entre a Mato Grosso e a Antônio Maria Coelho, foram do cercado dos bloquinhos. Também na região central, duas pessoas foram baleadas, um jovem que reagiu a um assalto e outro que se envolveu em briga generalizada numa conveniência.

Apesar dos números, para a polícia, os dias de festividades foram relativamente tranquilos. “É Importante destacar que tivemos reuniões preparatórias com os delegados das Depacs e também, durante o Carnaval, das DPCs (Delegacias do Departamento de Polícia da Capital) e DPE (Departamento de Polícia Especializada). Tivemos um Carnaval sem alterações, sendo garantida a segurança da população”, afirmou o delegado.