ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SÁBADO  21    CAMPO GRANDE 17º

Capital

Em 10 dias, comunidade deve decidir destino da UBS São Benedito

Impasse entre representantes das comunidades de Tia Eva e Vila Saraiva tem dificultado decisão

Por Ana Paula Chuva | 17/01/2022 15:45
Comunidade reunida com a Sesau na última sexta-feira (Foto: Divulgação | Ronilço Guerreiro)
Comunidade reunida com a Sesau na última sexta-feira (Foto: Divulgação | Ronilço Guerreiro)

Em dez dias os representantes das comunidades Tia Eva e Vila Saraiva, em Campo Grande, devem se reunir para comunicar a decisão sobre o destino da UBS (Unidade Básica de Saúde) São Benedito, que atualmente está em uma área alugada. Mas não corre risco de ser fechada.

Na última sexta-feira (14), os representantes das comunidades estiveram reunidos com o titular da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), José Mauro Filho e com o vereador Ronilço Guerreiro, na tentativa de um consenso sobre onde a unidade de saúde deveria ser instalada.

Atualmente, os atendimentos são feitos em uma área alugada pela Prefeitura de Campo Grande na comunidade Tia Eva, mas o Ministério Público de Mato Grosso do Sul, pediu que o espaço passasse por melhorias, no entanto, o Município não pode fazer as adequações. Surgindo então um impasse.

No final de 2021, chegou a surgir a possibilidade dos atendimentos passarem para o prédio da associação de moradores da Vila Saraiva, ficando a 500 metros do local atual, no entanto o novo presidente da comunidade decidiu não ceder mais o espaço, tornando a mudança inviável.

“Essa era uma discussão que parecia estar finalizada, pois a ex-presidente da Vila Saraiva tinha oferecido o espaço durante reunião com a presença do presidente da Comunidade Tia Eva na sede da Sesau. Mas agora tudo mudou, o atual presidente não tem mais interesse de ceder o espaço e, ao mesmo tempo, os representantes de Tia Eva também querem manter a Unidade mais próxima da comunidade ou no mesmo prédio.", explicou o vereador Ronilço.

De acordo com o titular da Sesau, já há R$ 500 mil garantido através de emendas dos vereadores e parcerias para a reforma e adequação da Associação de Moradores, mas o valor não é suficiente para construir um novo prédio ou comprar.

“Com esse valor projetamos na reforma fazer uma das Unidades mais modernas de Campo Grande, mas parou tudo. Agora vamos aguardar alguns dias e esperar a decisão da comunidade, mas não tem outra saída, por falta de verba”, disse José Mauro Filho.

Após a reunião da última sexta-feira, ficou acordado que em dez dias a comunidade precisa comunicar a decisão que tomaram para o destino da unidade básica de saúde.

Ao Campo Grande News, a Sesau explicou que não há possibilidade de fechar a unidade. "O assunto já perdura há anos e há resistência das lideranças". Caso o representante da Vila Saraiva decida realmente não ceder o prédio, os atendimentos seguem no mesmo espaço e a pasta responderá o Ministério Público.

A pasta explicou ainda que não há prazo para este consenso.

Nos siga no Google Notícias