ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, QUINTA  13    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Em liberdade condicional, traficante é preso pelo Choque circulando armado

Rafael Ribeiro | 15/08/2017 08:04
Kauê: condenação por tentativa de homicídio, ligação com o tráfico e vida de luxo na internet (Foto: Divulgação/Polícia Militar)
Kauê: condenação por tentativa de homicídio, ligação com o tráfico e vida de luxo na internet (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

Apontado pela polícia como um dos principais traficantes de drogas da zona sul de Campo Grande, Kauê Vitor Santos da Silva, 27 anos, foi preso na noite da última segunda-feira (14) por PMs do Batalhão de Choque, enquanto circulava armado com uma pistola calibre ponto 638 pelo Jardim Paulo Coelho Machado em sua Toyota Hilux SW4 branca, carro cujo modelo novo pode chegar a custar até R$ 141 mil.

Kauê tem histórico no crime da Capital. Em março do ano passado, foi condenado a sete anos de prisão por tentar matar com três tiros um rival que lhe cobrava dívidas, em crime ocorrido em plena luz do dia, em dezembro de 2010, no bairro Universitário.

Entretanto, mesmo com um currículo criminoso em que acumulava pelo menos quatro detenções, algumas ainda quando era adolescente, Kauê ganhou o direito de liberdade provisória por ter ficado quatro anos em cárcere.

Foi o único período em que seu nome aparece livre de confusões nos sistemas policiais. Logo que foi solto, no entanto, a Polícia Civil investigou denúncias de que ele coagiu testemunhas do assassinato e moradores do próprio bairro que lhe denunciavam pelo comércio ilícito de entorpecentes.

Segundo seu advogado, Amilton Ferreira de Almeida, Kauê foi absolvido de todas as cusações. "Não há nenhuma condenação em seu nome a  não ser a que ele pagou", disse.

Os policiais acompanhavam a rotina de Kauê pelas redes sociais e desconfiavam de sua volta à rotina criminosa pela ostentação que mantinha em fotos, não só com sua Hilux, mas também com lanchas, acessórios de ouro, como pulseiras.

Durante a abordagem, o telefone celular do suspeito tocou diversas vezes, mas ele não quis atender. Além da arma foram apreendidos R$ 115, que a polícia suspeita ser da venda de drogas.


O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga como porte ilegal de arma. E um inquérito foi aberto para apurar a profundidade da ligação de Kauê com o tráfico.

Segundo Almeida, o suspeito foi liberado para responder o processo em liberdade após pagar fiança de seis salários mínimos (cerca de R$ 5,6 mil).

OBS: matéria editada às 10h44 para correção e acréscimo de informações. Diferente do que foi publicado, Kauê Silva foi condenado por tentativa de homicídio e não assassinato.

Arma, dinheiro e objetos apreendidos com Kauê durante a abordagem da última segunda-feira
Arma, dinheiro e objetos apreendidos com Kauê durante a abordagem da última segunda-feira
Nos siga no Google Notícias