A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

29/07/2013 20:56

Estado recorre contra liminar e creche do Tribunal de Justiça pode fechar

Bruno Chaves

O CREI (Centro de Recreação Infantil Desembargador Milton Malulei), que atende 68 crianças de servidores do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), pode fechar as portas amanhã (30). Isso porque o Estado entrou na Justiça com pedido de suspensão de liminar, que mantinha o funcionamento do local até o fim do ano.

No final do ano passado, o TJMS decidiu encerrar as atividades da creche em cumprimento à orientação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que recomenda que os Tribunais devam priorizar as áreas fins do Poder Judiciário. Por meio da Portaria n. 444, de 11 de março de 2013, da Presidência do Tribunal de Justiça, ficou estabelecido o dia 31 de julho de 2013 para encerramento das atividades do local com a consequente extinção da respectiva coordenadoria no âmbito da Secretaria de Gestão de Pessoal do TJMS.

Entretanto, na última quinta-feira (25), o juiz Amaury da Silva Kuklinski, da 1ª Vara dos Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande, concedeu liminar estendendo o funcionamento da creche do Tribunal de Justiça do Estado (TJMS) até 31 de dezembro de 2013.

Só que a liminar que garantia a existência da creche até o final do ano pode cair, já que, segundo a Associação de Pais e Mestres do CREI, o Estado entrou com pedido de suspensão da liminar e o caso deve ser julgado pela presidente do Tribunal, desembargador Joenildo de Souza Chaves, que determinou o fechamento da unidade.

Creche – Conforme informações da associação, o Centro de Recreação Infantil Desembargador Milton Malulei foi inaugurado em 1993 e, atualmente, atende 68 crianças que possuem idade entre seis meses e cinco anos e 11 meses. Os pequenos ficam no local de 12h às 19h, mesmo horário em que os servidores do Tribunal trabalham.

A outra instituição que fica no Parque dos Poderes, Creche Estadual Zedu, e poderia atender os filhos dos funcionários, cuida de 299 crianças e conta com uma lista de espera de 98 pessoas.



Parabéns ao Dr. Amaury pela humanidade, além de profissionalismo. Quem nos dera ter um Tribunal inteiro de desembargadores com a qualidade desse magistrado! Um dos poucos exemplos de imparcialidade, honestidade e justiça para toda a magistratura!!
 
Juana Rocha em 31/07/2013 21:39:01
No Brasil pessoas corretas, justas e honestas são minoria. Infelizmente o juiz que deferiu a liminar faz parte de uma exceção, que não tem vez por aqui...
 
Bruno Silveira em 30/07/2013 20:33:27
Sou servidora do TJMS há 20 anos, mesma idade em que a creche foi inaugurada e sempre sonhei em deixar meu filho/a na mesma quando chegasse a minha hora de ser mãe, pois bem, meu sonho se realizou e há exatos 1 ano e meio, minha filha, com 8 meses foi recebida com muito amor no Berçário I, não pude me conter de emoção, alegria e segurança em deixar meu lindo bebê nas dependências do local onde trabalho, que amo por sinal, e com pessoas tão capacitadas e amorosas como as servidoras, terceirizadas e estagiárias que ali estão. Mas hoje esse sonho está se tornando pesadelo, com a iminência do encerramento das atividades do CREI. E digo que acima do valor financeiro, deve existir o valor moral e para nós, pais/mães e filhos do CREI, o valor sentimental que jamais será apagado da nossa memória!
 
Tatiana Barbosa em 30/07/2013 16:13:01
Sou servidora do TJMS há 20 anos, mesma idade em que a creche foi inaugurada e sempre sonhei em deixar meu filho/a na mesma quando chegasse a minha hora de ser mãe, pois bem, meu sonho se realizou e há exatos 1 ano e meio, minha filha, com 8 meses foi recebida com muito amor no Berçário I, não pude me conter de emoção, alegria e segurança em deixar meu lindo bebê nas dependências do local onde trabalho, que amo por sinal, e com pessoas tão capacitadas e amorosas como as servidoras, terceirizadas e estagiárias que ali estão. Mas hoje esse sonho está se tornando pesadelo, com a iminência do encerramento das atividades do CREI. E digo que acima do valor financeiro, deve existir o valor moral e para nós, pais/mães e filhos do CREI, o valor sentimental que jamais será apagado da nossa memória!
 
Tatiana Barbosa em 30/07/2013 15:38:34
Fechar a creche do TJMS é um absurdo e um retrocesso! É acabar com um direito adquirido pelos servidores há muito tempo, são quase 20 anos que a creche atende as nossas crianças, contando com uma excelente estrutura e professores capacitados. Meu filho fica lá desde 7 meses e ama a creche. Não consigo entender o que se passa na cabeça de quem quer fechar a creche... A creche deve ser mantida, assim como o auxílio creche para os servidores que não tem seu filho matriculado lá. Isso sim é garantir a isonomia e, principlamente, o acesso à educação. Que Deus ilumine as idéias e atitudes dos julgadores dessa questão.
 
Caroline Freitas em 30/07/2013 13:45:11
Olha, até que concordo com o fechamento da creche, si em vez de restaurante, ali naquele local, se instalasse um centro de convivência para idosos, afinal o Judiciário está, sob todos os aspectos ficando velho e carcomido, precisando de um bom geriatra; será que teremos um para encarar essa? ou busca-se em cuba? já tenho até um nome para sugestão: Centro de Convivência Vovô Milton, respeitando a homenagem anterior, ao ilustre Desembargador que fundou aquela instituição.
 
Anderson Roque em 30/07/2013 13:29:48
O magistrado que concedeu a liminar não está preocupado, Sr. Randolfo, ele irá se tornar desembargador por antiguidade, as retaliações não o atingirão, acima de tudo ele tem DIGNIDADE e honra sua profissão!!!!
 
Bruno Del Monte em 30/07/2013 13:09:07
Roberto Paulo e Marcos Bisco nunca devem ter trocado uma fralda pra fazerem estes comentários. Ninguém está falando do auxílio!!!! Estamos falando das crianças!!!!
 
Fernanda Santana em 30/07/2013 12:52:20
Só fico com dó do "côro" desse destemido magistrado que concedeu essa liminar, mesmo ele sabendo que ela pode ter vida curta...em compensação , ele terá a vida inteira pra ficar encalhado onde está, ou seja, encerrar uma brilhante carreira, por vislumbrar uma ponta de injustiça com o fechamento dessa creche, e deverá ser "urubservado" pelos seus superiores... aí... só com a proteção divina;Força.
 
Randolfo Dendhü em 30/07/2013 12:36:52
Sr. Desembargador, pedimos por Misericórdia, NÃO DEIXE NOSSAS CRIANÇAS SEM A CRECHE, TANTOS SÃO OS COMENTÁRIOS, OS JULGAMENTOS, PELO AMOR DE DEUS COLOQUE A MÃO EM SEU PENSAMENTO E NO SEU CORAÇÃO, O SR. É UM JUIZ DA VARA DA CRIANÇA E JUVENTUDE, NÃO JULGUE O SEU PRÓPRIO FECHAMENTO, QUE NÃO SEI POR QUE CAUSAS, DEVE TER SIDO OBRIGADO A PEDIR ESSE FECHAMENTO, É LINDO VOLTAR ATRAS POR UMA ATITUDE DIGNÍSSIMA. ESTÃO TODOS DESESPERADOS. MISERICÓRDIA...MISERICÓRDIA...MISERICÓRDIA... O CREI É MODELO DE EDUCAÇÃO, É O QUE O NOSSO PRECISA!!! EDUCAÇÃO, PARA UM PAÍS MELHOR. SEJA MAIS UM JUIZ Amaury Kuklinski EM NOSSAS VIDAS, PORQUE ELE FOI MUITO DIGNO EM JULGAR A FAVOR DAS NOSSAS CRIANÇAS...
 
Marina de Oliveira em 30/07/2013 12:33:42
Cristina Loiácono, concordo com você, tenho uma filha na creche do TJMS. Só estava sendo irônico com o comentário do Roberto Paulo.
 
Marcos Bispo de Oliveira em 30/07/2013 12:24:48
Roberto Paulo e Marcos Bispo de Oliveira, certamente o auxílio-creche para todos foi uma conquista para a categoria. Ninguém está questionando isso. Mas se coloquem no lugar de quem tem um filho de 2 ou 3 anos de idade na creche do TJ, adaptado ao local e aos professores e, de repente, essa criança tem que mudar de escola, bem no meio do ano? Tirar essa criança da escola nessas circunstâncias vai causar um sofrimento psicológico imenso para os pequenos e para os pais. Acredito que não custa o TJ aguardar pelo menos até o final do ano, quando a criança já vai mudar mesmo de nível na escola. É uma questão de humanidade. PS: não tenho filhos na creche, mas defendo o bom senso.
 
Cristina Loiácono em 30/07/2013 12:14:37
Não tenho e nunca tive filhos nessa creche, mas a conheço e sei que tem uma qualidade muito boa. Eu até entendo o auxílio-creche para todos como ato de isonomia, mas qualquer psicólogo pode dar o seu parecer quanto a tirar crianças pequenas de sua escolinha bem no meio do ano. Será um prejuízo psicológico para essas crianças, a adaptação em outra escola, de uma hora para outra, será certamente sofrida para esses pequenos ( e consequentemente para os pais). Então, por que não deixá-las na creche pelo menos até o final do ano, quando, aí sim, elas passarão para outro nível e terão mesmo que mudar de professora? Pelo amor de Deus, T.J., vamos usar o bom senso, qual o impedimento de aguardar só mais 6 meses?
 
Cristina Loiácono em 30/07/2013 12:05:55
Roberto Paulo, parabéns! Lindo seu comentário.
 
Marcos Bispo de Oliveira em 30/07/2013 10:46:13
A população está indignada mas e dai? Infelizmente isto não é o suficiente para fazer justiça. Que absurdo o cara julgar a própria causa!!!!!! Estou indignada conheço muitas mães que sofrerão com esta decisão assim no meio do ano letivo. Alguém precisa fazer alguma coisa.
 
Edir de Souza em 30/07/2013 10:41:22
TJ veja só: Ultimamente são muitas as reportagens vinculadas na mídia que por mais que pela lei sejam certas para a população não soam como dentro da moral, afinal nem tudo que é legal é moral, exemplos de notícias vinculadas nos últimos dias, licitação para fornecimento de banquetes regados a cerveja, compra de leite a 3 reais o litro, constante necessidade de interferência do CNJ na gestão do TJMS, etc... Ora pra que mais uma notícia onde este Egrégio Tribunal aparece como: CARRASCO DE CRIANCINHAS, não tem necessidade disso e não é hora pra isso, as vezes para irmos em frente temos que dar um passo pra trás, se a creche já funcionou até agora por que não acabar o ano letivo dos pequenos, não serão algumas criancinhas que levarão esse Tribunal a falência. Pensem nisso. Obrigado.
 
Luciano Silva em 30/07/2013 09:46:51
Esse povo ta reclamando de barriga cheia. A creche só atendia os servidores da capital enquanto o restante do Estado ficava à míngua. Cade a isonomia ? Ou todo mundo tem ou ninguém. Agora todo os servidores do Estado estão ganhando uma verba de auxílio para Creche. Parabéns a administração da Justiça. Igualdade para todos. Medida acertada!
 
Roberto Paulo em 30/07/2013 09:24:53
...é! isso ai!..na verdade o "Estado" esta pouco se lixando com a vida dos servidores... isso é "Humanizar" o serviço publico. Fechar assim na metade do ano, para construir restaurante, é sem noção mesmo.
 
Ester Menacho em 30/07/2013 09:22:52
Srs.julgadores vamos ser sensiveis e manter a creche do TJ. Mesmo pq quem nao esta la, esta recebendo auxilio educaçao. E um espaço com um trabalho excelente. Nao existe acabar com uma escola. E a educaçao do pais que esta em jogo.
 
geize azambuja em 30/07/2013 09:21:30
Só no Brasil que a pessoa que ira julgar o recurso é a mesma que emitiu o ato mandando fechar a creche. Será que isso é legal? Será que o TJMS não estaria impedido de julgar tal recurso, já que o ato partiu dele? Não sei. Não conheço bem das leis, mas fico com esta dúvida.
 
Marcos Antonio em 30/07/2013 08:41:20
É inacreditável que eles tiveram coragem para esse ato, primeiro por que nao é justo o próprio presidente ou vice julgarem a suspensão da liminar, sendo que foi uma ação contra um ato deles, segundo que a justiça quando convém, é célere! A sociedade campograndendense está estarrecida com essa atitude do TJMS e está torcendo para que esses pais consigam vencer mais essa batalha!

 
Juliana campos em 30/07/2013 08:06:20
A Diretora Geral do TJMS, Sra. Zelma, é assistente social e nada fez para ajudar essas mães desesperadas????? mas elas irão conseguir mesmo assim! A justiça não pode ser cega!
 
Júlia campos em 30/07/2013 08:01:26
Fiquei orgulhoso com a decisão tomada pelo Juiz Amaury Kuklinski, decisão essa que foi dada levando-se em conta questões de direito, e não interesses do TJ. Esperamos que o relator, e muito provavelmente a turma que vão apreciar o recurso decidam com os olhos voltados ao direito apenas e tão somente. A orientação do CNJ está sendo usada como pretexto ardiloso para o encerramento da creche, tanto é verdade, que Tribunais de outros estados estão construindo creches http://www.tjgo.jus.br/bw/?p=61031, o que rebate frontalmente o argumento sustentado pelo TJMS. Ademais, há outras formas eficazes para se atender a área fim do judiciário, basta aplicarem o que contém na carta de reivindicações encaminhada pela oab/ms: http://www.oabms.org.br/Upload/Biblioteca/2013/07/0005.
 
guilherme albuquerque em 30/07/2013 07:52:43
O CNJ foi comunicado? Tenho certeza que ele impedirá tamanha injustiça e desumanidade com esses pais, tendo em vista que naquele órgão também tem berçário!
 
Marlo Ferraz em 30/07/2013 07:27:39
isso mostra a preocupação do estado c/ nossas crianças....
 
dora albuquerque em 30/07/2013 07:11:34
Fechar a Creche para abrir restaurante.!!! Brincadeira né. Deixar de atender crianças, onde esta creche foi modelo com bom ensino, pra isso. Muito triste isso. Só pensam em si mesmos e pensam só em dinheiro.
 
Fernando Sanches em 30/07/2013 07:09:53
É inacreditável que eles tiveram coragem para esse ato, primeiro por não é justo o próprio presidente ou vice julgarem a liminar, sendo que foi uma ação contra um ato da administração deles, segundo que a justiça quando convém a administração é célere! A sociedade campo-grandense está estarrecida com essa atitude do TJMS e está torcendo para que esses pais consigam vencer mais essa batalha!
 
Juliana sanches em 30/07/2013 06:51:57
Sinto orgulho de um Tribunal de "inJustiça" como o TJMS. Quem me dera se esse Tribunal fosse tão eficiente e célere em todos as causas, não apenas quando julga causas próprias. É lamentável uma gestão que considera um "restaurante particular" mais importante que uma instituição de ensino de qualidade como é o CREI. O que se pode esperar de um país que não valoriza a educação, pelo contrário, prefere acabar com escolas que prezam pela qualidade?
Hoje o CREI atende apenas 68 crianças devido à proibição do TJMS quando não permitiu novos acessos no ano de 2013. Na verdade, o CREI atendia a mais de 100 crianças, mantendo um padrão de qualidade que poucas creches possuem em Campo Grande. Foram inúmeros prêmios, graças ao esforço dos funcionários e professores do CREI.

 
josé messias em 30/07/2013 02:09:26
A justiça só funciona quando é favorável aos interessados! Como foi rápido! Onde está a morosidade da nossa justiça?

Alguém sabe onde essas mães e pais irão colocar seus filhos?????? Sem vagas, o que vão fazer ????
O Tribunal de Justiça deveria estar preocupado em cuidar dos interesses dos servidores. Sabemos que não custará nada para esse órgão deixar a creche funcionando até dezembro.

O PODER ESTÁ NAS MÃOS DE POUCOS!!!! ISSO É LASTIMÁVEL
 
Laura Silva em 29/07/2013 22:22:01
No lugar da creche será construído um restaurante. O lucro é bem maior que o de uma creche. Parabéns Mato Grosso do Sul, Brasil.
 
Ingrid bitencourt em 29/07/2013 22:18:06
Se não podemos confiar nas pessoas que presidem a Casa da Justiça, onde então poderemos buscar justiça. A creche do TJ não pode fechar as portas agora. Depois de 20 anos alfabetizando crianças e não é só isso, o trabalho feito la não se compara com nenhum outro lugar. Eu espero que os magistrados se sensibilizem e percebam que nas mãos deles está o coração de muitas mães.
 
Sigried Bitencourt em 29/07/2013 22:13:54
Surpreende saber que a Associação de Pais e Mestres da creche do TJ/MS levou três semanas pra conseguir uma mísera liminar. Já o TJ, em apenas dois dias, forçou o Procurador Geral do Estado a fazer um Pedido de Suspensão de Liminar que foi distribuído em 10 minutos para o Pres. do TJ, que diga-se, terá que declarar seu impedimento, pois é contra ato dele, a mesma ação sera redistribuída para o Vice Presidente, que deveria declarar seu impedimento moral, pois trata-se da mesma Administração - ÉTICA!!!! e sera despachada em menos de 24 horas, suspendendo o que já foi conseguido com tanta luta e esforço!!! Que justice há nisso??? A própria Justiça comete a injustiça!!! E as 68 crianças sofreram pela ação impensada de pessoas que se autodenominam deuses.... ACORDA BRASIL!!
 
Luciana Oliveira em 29/07/2013 21:50:57
O que mais revolta é saber que os filhos dos juízes, inclusive os auxiliares e dos desembargadores já passaram por essa Creche e hoje, que ela atende somente os servidores, vai ser fechada...claro, perdeu a serventia. Não está mais atendendo aos Deuses e SemiDeuses....
 
Luciana Oliveira em 29/07/2013 21:41:05
Se o Tribunal acabou com a creche pq deve priorizar a área fim, como recomenda o CNJ, então deveria acabar com a Escola dos magistrados, que só serve para ter orçamento milionário para gastar com cursinhos, lanches, viagens e diárias para magistrados que deveriam estar julgando processos e não ganhando mais dinheiro para estudar.
 
Rafael Santos em 29/07/2013 21:39:51
E pensar que o Presidente do TJ quer fechar a creche para colocar no prédio um restaurante que vai beneficiar somente o privilegiado escolhido para tocar o tal. Claro que não vai ser por licitação!!!Duvidas de que o o escolhido vai ser algum conhecido ou parente??? Restaurante pra que se o salário não da pra pagar o valor cobrado no restaurante que já existe lá?? Cara, acorda!!! Essas crianças estão la porque não conseguiram vaga em outra crèche.
 
Luciana Oliveira em 29/07/2013 21:37:56
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions