ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, SÁBADO  06    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Presídio feminino tem 5 celas isoladas por casos de covid-19

Agepen suspendeu acesso de visitantes em todos os presídios de regime fechado e confirma 18 contaminações na unidade feminina

Por Tainá Jara | 11/01/2021 17:41
Unidade Penal Feminina "Irmã Irma Zorzi", em Campo Grande (Foto: Divulgação/MPMS)
Unidade Penal Feminina "Irmã Irma Zorzi", em Campo Grande (Foto: Divulgação/MPMS)

Familiares de detentas do Estabelecimento Penal Feminino “Irmã Irma Zorzi”, localizado no Bairro Coronel Antonino, em Campo Grande, estão preocupados com a contaminação entre as presas e com o público externo que acessou a unidade nos últimos dias. Eles contabilizam cinco celas isoladas, enquanto a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) confirma 18 contaminações: quadros com sintomas leves e assintomáticos.

Até este domingo, véspera da suspensão das visitas presenciais em todos os presídios de Mato Grosso do Sul, a unidade recebeu familiares e parentes de forma presencial.

Mais de 4 mil casos de covid-19 foram confirmados entre os detentos e servidores do sistema prisional do Estado.

Conforme a mãe de uma das detentas do Irmã Irma Zorzi, que preferiu não se identificar, há mais de 30 mulheres isoladas na unidade. A principal preocupação é com as presas que possuem algum tipo de comorbidade, como hipertensão e diabetes. “Elas podem ter complicações. A situação lá está grave”, ressaltou.

Estão isoladas, de acordo com a Agepen, presas que testaram positivo e as que tiveram contato com elas, até sair os resultados dos testes realizados. “Havendo a constatação na cela, todas as detentas daquela cela não recebem visitas. Uma é isolada e as demais, que estavam com ela, ficam isoladas em quarentena para fazer a testagem”.

Quanto as visitas, a agência explicou que as internas isoladas não receberam parentes ou amigos nos últimos dias. Visitas continuaram para as demais internas, no entanto, seguindo os protocolos de segurança adotado, como uso de máscara e distanciamento de segurança.

Suspensão - Nesta segunda-feira, o Governo do Estado suspendeu as visitas presenciais em todos os presídios de regime fechado até dia 31 de janeiro. A decisão foi publicada no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira (11).

Esta é a segunda vez que as visitas são suspensas desde o início da pandemia. Os presídios ficaram fechados de março até o dia 14 de novembro, quando foi adotado protocolo de segurança para retomar o presencial com familiares e amigos.

Com a escalada de casos, a medida foi retomada. Conforme a Agepen, em seis unidades as visitas já tinham sido suspensas por ordem interna como orientação das prefeituras. Nas unidades de Amambai e Naviraí, por exemplo, não havia nenhum caso confirmado.

Apesar do aparente pico de contaminações no sistema penal, a Agepen ressalta, que hoje há 75 casos ativos entre a massa carcerária a menos do que havia no dia 12 de novembro, ou seja, antes da primeira suspensão das visitas.

Conforme boletim, foram confirmados mais de 4,1 mil casos de covid-19 entre os detentos  e servidores so sistema carcerário do Estado. Morreram um servidor, dois internos e um monitorado.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário