ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEGUNDA  30    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Fique esperto: golpes cresceram 28% em MS no ano de pandemia

Casos denunciados nos dez meses de 2020 superaram todos os registros feitos doze meses de 2019

Por Clayton Neves | 20/10/2020 17:42
Em maio, nove pessoas de uma quadrilha foram presas por aplicar golpe do cartão de crédito em idosos. (Foto: Clayton Neves)
Em maio, nove pessoas de uma quadrilha foram presas por aplicar golpe do cartão de crédito em idosos. (Foto: Clayton Neves)

De janeiro a outubro deste ano a Polícia Civil registrou 6.533 casos de golpes aplicados em Mato Grosso do Sul, 1.837 só em Campo Grande. No comparativo com o ano passado, é possível notar aumento de 28% nas ocorrências no Estado, já que no mesmo período de 2019, os registros de estelionato eram de 5.090, sendo 1837 na Capital.

Para se ter uma ideia, os casos denunciados nos dez meses de 2020 superaram todos os  6409 registros feitos nos doze meses de 2019. Para além dos números, quem trabalha no dia a dia das delegacias notou a diferença na rotina de trabalho, e associa a expressividade dos números à chegada da pandemia da covid-19.

”Aumentou demais. A impressão que tenho é que quase dobrou”, comenta o delegado Mikail Farias, da 1ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande, uma das que mais investiga casos de estelionato na cidade.

Segundo o delegado, a falta de dinheiro e queda de circulação das pessoas nas ruas fez com que criminosos se dedicassem ainda mais aos crimes virtuais. “O golpista sabe que as pessoas têm passado mais tempo na internet e no celular e se adapta a essa nova realidade”, explica.

Delegado Mikail Farias, da 1ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande. (Foto: Silas Lima)
Delegado Mikail Farias, da 1ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande. (Foto: Silas Lima)

Na hora de tentar enganar as pessoas os criminosos agem de diferentes formas. No entanto, cinco golpes são mais comuns entre os aplicados.

Golpe da OLX - Neste caso os criminosos repostam anúncios verdadeiros, mas com valores bem mais atrativos. Ao invés do contato do verdadeiro anunciante, indicam número de telefone usado exclusivamente para o golpes.

Quando pessoas interessadas entram em contato, os bandidos também simulam interesse para o verdadeiro anunciante e negociam compra se passando por intermediadores. Tanto vendedor quanto comprador são enganados.

Falso boleto - Vítimas desse tipo de golpe geralmente são atraídas por anúncios nas redes sociais. As propostas vão desde a venda de coisas por valores abaixo da média, ou por propostas de quitação de dívidas com abatimento de juros e condições tentadoras.

Boleto de pagamento é emitido e, acreditando se tratar de uma boa compra ou do fim de um débito, a vítima acaba pagando conta do golpista.

Cartão clonado - Essa modalidade é mais comum entre idosos. No golpe do cartão clo criminosos entram em contato com as vítimas se passando por funcionários do banco. Eles afirmam que o cliente teve cartão clonado e solicita o repasse de dados pessoais. Por fim, enviam motoboy até a casa  da vítima para recolher o cartão.

Já com o cartão e as informações pessoas, os estelionatários conseguem fazer compras usando o cartão de crédito da vítima.

Golpe dos nudes - Imagina mandar uma foto íntima para alguém e depois ser chantageado para que as imagens não sejam divulgadas. Esse tipo de golpe, que também pode ser tipificado como extorsão, entra na lista dos cinco mais comuns registrados pela Polícia Civil.

“Quando notar que caiu em um golpe é importante ir até a delegacia e denunciar. Nós vamos atrás do telefone, da conta em que dinheiro foi depositado solicita quebra de sigilo bancário. O meio virtual não é terra sem lei”, finaliza o delegado Mikail.



Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário