A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 16 de Agosto de 2018

18/05/2016 10:43

Gripe mata professor e deixa pais de alunos de escola estadual assustados

Fernanda Mathias
Hoje não tem aula na escola Amélio de Carvalho Baís, onde lecionava professor que morreu com gripe (Foto: Fernando Antunes)Hoje não tem aula na escola Amélio de Carvalho Baís, onde lecionava professor que morreu com gripe (Foto: Fernando Antunes)

A morte do professor Edevaldo Souza Prado, 57 anos, por H1N1 – também chamada gripe A ou gripe suína –, deixa pais de alunos que estudam na escola Amélio de Carvalho Baís com medo de que a doença se alastre, já que o ambiente é fechado e pode favorecer a propagação da doença.

A Prefeitura confirmou esta manhã que a causa da morte, ocorrida ontem na Santa Casa, foi o vírus H1N1. Nesta quarta-feira (18) a escola, que fica no Coophatrabalho, está fechada em luto pela morte do professor.

A coordenadora da escola, Patrícia Claro, explica que o professor estava com “sintomas normais” de gripe, como espirro e tosse, mas nada indicava a gravidade do caso. “Ele não se queixou, parecia um resfriado comum e a situação se agravou no fim de semana”.

Edevaldo lecionava Filosofia para 320 alunos dos três anos do Ensino Médio. Pais de alunos, que não querem ser identificados, procuraram o Campo Grande News, apreensivos.

“Queremos saber se a escola será interditada, porque, além dos alunos, outros professores tinham contato e ele já estava gripado há algum tempo. Imagino que foi assim que começou epidemia em Naviraí”, disse uma mãe. Ela reclama das políticas nacionais de saúde pública que priorizam, por exemplo, a população carcerária, mas não prevêem a vacinação de estudantes que também passam grande parte do dia em locais de grande concentração de pessoas e fechados.

Com este, já são 17 as mortes por H1N1 no Estado. O último balanço do Ministério da Saúde, divulgado segunda-feira (16), apontava que nos Estado, 56,1% das pessoas consideradas população prioritária receberam as doses de vacina contra a doença. A população prioritária é de 667.922.



Solidarizo-me com a preocupação manifestada por pais e lamento, que em entrevista levada ao ar em noticiário de emissora da capital, o secretário de saúde do estado tratou com pouca ou quase nenhuma preocupação, não traçou nenhum norte e muito menos sugeriu o fechamento da escola, pelo menos na próxima 5a e 6a feiras, já que hoje, fechou por luto; há que se ter garantias para dar tranquilidade aos pais, aos alunos, aos funcionários e até mesmo os que se utilizam da calçada da escola para transitar, que não há nenhum vírus, bactéria, ou seja lá o que for, circulando e que possa colocar em risco a saúde, quiçá a vida das pessoas, já que o tempo está com clima bastante frio; Ainda dá tempo de se ver o fato com mais carinho, mais atenção.
 
anderson roque martinez dos santos em 18/05/2016 13:30:33
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions