ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Grupo organiza protesto contra fechamento de juizado nas Moreninhas

Fechamento foi publicado em diário oficial pelo Tribunal de Justiça na semana passada

Por Ana Paula Chuva | 15/03/2021 14:11
Juizado especial está nas Moreninhas há 30 anos e deve ser fechado pelo TJ (Foto: Reprodução/Google Maps)
Juizado especial está nas Moreninhas há 30 anos e deve ser fechado pelo TJ (Foto: Reprodução/Google Maps)

Moradores da região das Moreninhas e advogados estão organizando um protesto para esta segunda-feira (15), contra a retirada dos juizados especiais criminais e cíveis da região anunciado dia 8 de março pelo TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul).

O protesto está marcado para 17h em frente ao prédio do juizado e em razão da pandemia, os organizadores esperam reunir 50 pessoas respeitando o distanciamento. Todas deverão usar máscaras.

De acordo com um  dos advogados organizadores do protesto, Edgar Calixto Paz, a retirada do juizado especial seria um retrocesso para toda a região do Bandeira, que atende 11 bairros da Capital.

“O juizado atende uma população de mais de 100 mil pessoas. O local atende pequenas causas como execuções de pequenos valores, reclamações contra preços abusivos das  concessionárias de serviço público. Tirando o juizado dali, o judiciário estará se afastando dos mais pobres”, explicou Edgar.

“Para nós o judiciário tem que se aproximar dos hipossuficientes (que via de regra são os que mais precisam da prestação jurisdicional), e não se distanciar deles.”, finaliza Calixto.

O protesto está previsto para iniciar às 17h, o grupo "Fica Juizado" se reunirá com faixas, carro de som e todos devem usar máscaras e respeitar o distanciamento. A previsão é que o ato dure 40 minutos.

Fechamento – Dia 8 de março o TJMS publicou em Diário Oficial ato autorizando a convenção da 4ª Vara, que abriga esses juizados, em 6ª Vara de Fazenda Pública, acrescentando ainda que quando oportuno o departamento será realocado para atender as diretrizes de centralização de serviços.

Caso haja a  transferência de sede  a região perde oferecimento dos serviços na região das Moreninhas, na periferia da Capital, que serão realizados apenas no Cijus (Centro Integrado de Justiça) - localizado na esquina da rua 26 de Agosto com a avenida Calógera, no Centro.

Na semana passada, a OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil), emitiu uma nota dizendo que avaliará as consequências do fechamento e que poderia questionar ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça) a situação.

"A OAB/MS irá avaliar as consequências e, se possível, questionar o ato perante o Conselho Nacional de Justiça", frisa a nota, acrescentando ainda que há 30 anos a Vara está localizada nas Moreninhas e atende uma vasta região da cidade.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário