A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

20/07/2013 21:44

Homem é impedido de comprar água em restaurante de luxo na Capital

Bruno Chaves

Daniel dos Santos Araújo, 45 anos, foi impedido de comprar água em um restaurante de luxo em Campo Grande, que fica na Rua Antônio Maria Coelho, Jardim dos Estados. Ele procurou a polícia para registrar boletim de ocorrência para denunciar que foi vítima de racismo.

Segundo o registro policial, o homem é gesseiro e trabalhava em uma construção próxima ao restaurante. Por volta de 11h deste sábado (20), ele foi comprar água no estabelecimento. O garçom informou que a garrafa do líquido custava mais de R$ 3 e que o trabalhador deveria se dirigir a um posto de gasolina, onde o produto era mais barato.

O gesseiro foi até o posto de combustíveis, comprou a garrafa de água e foi orientado pela atendente a registrar uma ocorrência na Polícia Civil. Quando Daniel retornou ao local de trabalho, passou em frente ao restaurante e percebeu que o garçom estava do lado de fora, com os braços cruzados e olhando atentamente para si.

Indignado, Daniel pediu para o sobrinho, que é de cor caucasiana (branco alemão), comprar água no mesmo restaurante em que foi discriminado. O rapaz entrou no estabelecimento e conseguiu efetuar a compra.

O caso foi registrado da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro, onde será investigado.

Problema rotineiro, chuva causa alagamentos no bairro Cidade Morena
A chuva que atingiu Campo Grande no fim da tarde deste domingo (17) causou vários problemas à população, desde alagamentos a problemas estruturais em...
Mulher é atropelada pelo ex-marido e está em estado grave na Santa Casa
Uma mulher de 33 anos foi atropelada pelo ex-marido e está internada em estado grave na Santa Casa de Campo Grande, sedada e entubada na CTI (Centro ...


Da o nome do restaurante...deve ter o pior atendimento da cidade...tem que a vigilância sanitária neste local pra ver se não tem ratos e baratas. o bombeiro fiscalizar a segurança do local,a prefeitura ver se esta tudo em ordem a documentação...ou seja infernizar o dia desse restaurante...absurdo uma situação dessa.
 
DIRCEU CARVALHO em 23/07/2013 08:04:05
Quando eu estava no Rio de Janeiro, um taxista se recusou a deixar eu entrar no táxi dele "só" porque eu estava molhado e sujo de areia por ter acabado de sair da praia. Preconceito! Racismo! Cadê meu direito de ir e vir? Eu tinha dinheiro, então eu poderia entrar sujo e molhado no carro dele!

É assim que eu tenho que pensar?
 
Leandro Batista em 23/07/2013 08:03:20
O nome do Restaurante por favor !

 
Edu RamireS em 22/07/2013 17:21:30
De acordo com muitas pessoas, e rindo da idiotice de muitas! Na realidade, é que o Campograndensse é soberbo demais.. Não tem uma moeda no bolso e quer "pagar de patrão", aposto que 98% dos comentários sem fundamento desta matéria são de pessoas que não tem um nada no bolso.. O cara é gesseiro, e daí? Ele pode ser muito mais sucedido que muita gente naquele restaurante, e que pode ganhar muito mais que a mísera diária que esse garçom ganha.
Agora, se você se sente envergonhado ao ver uma "suja" em um restaurante.. meu amigo, tenho dó de você, a única diferença que há é que o você vai pagar com seu cartão de credito, com o dinheiro que você não tem.. e o senhor gesseiro vai comprar com o dinheiro que ele tem, sem se importar com a aparência e com a opinião alheia! #sóacho
 
Henrique Medina em 22/07/2013 10:43:29
Isso é de tremenda covardia, todos nós somos seres-humanos e merecemos respeito, desde o andarilho, morador de rua, até os mais qualificados, até quando nós vamos ficar calados a tamanha ignorância??? O nome desse estabelecimento deveria ser divulgado para que nós pudéssemos saber onde pisamos. Onde já se viu, um trabalhador ser impedido de COMPRAR água?? Meu Deus, nem pedindo ele estava, e a vc sr garçom, meu desprezo e minha revolta, deve ser mesmo um PAU MANDADO ou alguém sem o mínimo de dignidade, será que vc é tão importante assim pra tratar as pessoas dessa forma? acho que não, pq se fosse estaria atrás do balcão e não na porta impedindo as pessoas de entrarem né?? Fica aqui meu respeito a esse cidadão e minha revolta as pessoas que cometeram esse crime.
 
Adriana Melo em 22/07/2013 09:34:26
Alguns comentários chegam a ser lamentáveis, por parte da burguesia. Desde de que mundo é mundo, sempre "quem tem mais dinheiro" dita as regras, infelizmente é um fato muito difícil de mudar. Resumidamente, dependendo do "estado" que eu estiver, prefiro até evitar lugares "desse tipo" pra não me estressar. Esse lixo do capitalismo, sempre vai existir.
 
Rodrigo Alves em 22/07/2013 09:19:39
ESSA PESSOA QUE FOI DISCRIMINADA, É UM PROFISSIONAL CONHECIDO PELA MAIORIA DE ENGENHEIROS E ARQUITETOS DE CAMPO GRANDE, PRESTA SERVIÇOS PRA MAIORIA DO SUPERMERCADOS, CONCESSIONARIAS DE CARROS DE LUXO, EMPRESAS MULTINACIONAL, ESSE CIDADÃO, NÃO É QUALQUER UM ELE A EXEMPLO DE MUITOS "DONOS DE ESPELUNCAS", ANDA DE CAMIONETE CABINE DUPLA, FRUTO DO SEU TRABALHO, A MAIS DE 25 ANOS. E CASUALMENTE, ESTAVA PRESTANDO UM SERVIÇO PRA MIM, NUMA OBRA QUE SERA EM BREVE UM RESTAURANTE, E COM CERTEZA NÃO SERA UM AMBIENTE ONDE VAI SE "INCENTIVAR" O RACISMO, LAMENTAMOS PROFUNDAMENTE ESSE ATITUDE, MAS ESSE RESTAURANTE EU NÃO VOU RECOMENDO, SE ALGUÉM QUISER SABER O NOME DELE. ENTRA EM CONTATO COMIGO.
 
NATALINO TABOSA em 22/07/2013 09:18:36
KELLY OLIVEIRA E NÁDIA ASATO, QUE VERGONHA TE-LAS COMO BRASILEIRAS.
PENSO EU, SE FOSSE SEU PARENTE SERIA DIFERENTE NÃO É MESMO?
TRISTE É VER PESSOA TÃO POBRE DE ESPIRITO.
 
NEUZA BORGES LEAL em 22/07/2013 08:43:31
95% dos comentários são de pessoas que frequentam o local e são da mesma laia dos que la estão ! Mas já agora não vejo nenhum restaurante de luxo lá nesse local aproposito não existe restaurante de luxo em CG e para aqueles que falam que existe restaurantes de luxo aqui na cidade não sabem oque é um restaurante de verdade hehe
 
Pamela Rodrigues da Silva Alves em 21/07/2013 23:54:19
tem q processar esse idiota q estao apoiando restauranre e ogarcon tem q chegar a madeira nesse idiota pau nele
 
cristiano moreira em 21/07/2013 22:18:51
Seriam os " Não achei racismo, não." " Se estivesse no restaurante e entrasse alguém sujo e fedendo eu reclamaria.", os mesmos que saíram as ruas da nossa capital manifestando-se por um Brasil melhor?
 
Kelly Oliveira em 21/07/2013 21:53:56
o racismo no mundo só tera fim quando uma pessoa branca morrer por ter o coração negro , não sou racista pois meu povo sofre muito mais racismo e preconceito do que o povo negro, pois o negro, índio ,pobre. o povo cigano é descriminado poid tem sua religião a liberdade mis não é livre para entrar em lugares, poid sempre é barrado em lojas e muitos supermercados da cidade
 
sergio ronei amaral em 21/07/2013 21:45:43
INDEZ, restaurante de luxo??? Me polpe...o duro dali é encontrar as patricinhas e os mauricinhos nas suas camionetonas estacionadas da frente se achando o "talz". Sorte teve ele de não dar as caras para esse povinho metido a rico que mora em CG!
 
Marcella Cruz em 21/07/2013 20:48:35
Esta é a primeira vez que comento aqui no CG News.
Não acho lamentável nem nada disso. Tenho apenas CERTEZA de que este local de "luxo" é somente por esta atitude uma grande casa de LIXO. Lixo no sentido ético e moral, lixo de comportamento e discriminação, uma vergonha para os donos e digo apenas uma coisa. Se eu estivesse no dia comendo e visse o fato, com toda a CERTEZA, nunca mais voltaria e se pedissem uma recomendação de restaurante aqui em CG, o ÚNICO que NAO recomendaria eu saberia dizer.
 
João Clei em 21/07/2013 20:29:32
Quanto ao primeiro comentário(burro diga-se de passagem) ;um estabelecimento não tem direito de vender seu produto a quem quiser não,pelo contrario,se ele oferta um produto tem a obrigação de vender a qualquer pessoa que esteja disposta a pagar,e quanto a pessoa cheirar mal,não era cheiro de cachaça de balada e vômitos de excessos,igual a filhinhos de papai que andam cheirosos no começo da noite e terminam fedidos,e sem saber o cheiro podre que suas almas e mentes fracas exalam,era o suor de um trabalhador,ganhando o seu pão e de sua família!
 
andré curvo em 21/07/2013 19:55:29
Não importa se a água custe R$3,00 ou R$300,00, o restaurante pode cobrar o preço que quiser, mais também não importa se o sujeito é negro, branco ou pardo ou seja la sua raça, ou esteja sujo ou limpo, não é esta a questão. Se ele tiver o dinheiro para pagar a água, ele pode comprar eu qualquer estabelecimento, se o restaurante negar esse direito está cometendo um erro absurdo...
 
Artur Jorge Bicudo em 21/07/2013 19:41:18
olha , não concordo com a maioria dos comentários aqui postados, pois se você abre um estabelecimento comercial, no centro, a não ser que a pessoa esteja aparentemente demonstrando que é bandido, você não pode impedir dela entrar, é discriminação sim, porque o garçom se baseou simplesmente pelas vestes do TRABALHADOR, ele só queria agua, mas acredito que isso vem dos donos do restaurante. Se vc que diz que nao gostaria de estar em um local e ter alguem fedendo ao seu lado, nao deve saber o que é ser um trabalhador de verdade que nao tem o direito de comprar uma simples garrafa de agua, fico indignada com esses absurdos preconceituosos, e bem fez ele de denunciar mesmo
 
Mônica Guimarães em 21/07/2013 19:09:09
Colocaram o foco em cima da cor da pele do rapaz, quando a discriminação que houve foi certamente pelas vestes do rapaz, ainda sim não se justifica, não existe essa do atendente querer ''ajudar'', o dinheiro de um gesseiro vale o mesmo de um desembargador, não importa o valor do produto, não é atribuição do garçom/atendente julgar quem pode ou não pagar pelo produto, é um coitado que ganha lá pouco mais de 1 salário mínimo e vive de gorjeta dos burgueses e se acha no direito de dizer quem compra lá ou não, não duvido que o gesseiro ganhe mais que ele, mas isso é Brasil, e os metidinhos que tão dizendo que se sentiriam mal de entrar um cara ''SUJO, FEDENDO'', o cara é gesseiro e não lixeiro, e mesmo que fosse todo cliente é igual e os 5,00 da água que ele não comprou não estarão lá.
 
André Ribeiro em 21/07/2013 18:56:58
Paju Monteiro, vc disse tudo que eu estava pensando , fora que tem muita gente que deve até as calças mas aparentam luxo.
 
paulo lessa em 21/07/2013 18:40:27
me dá o nome do restaurante, que vou lá de roupa suja de trabalho e descalça, quero ver se eu não entro, comprando com meu dinheiro compro onde quiser e pago o preço que pedir, se rouba mandar prender se vai comprar com dinheiro discriminam, isso é racismo sim, pois o gesseiro não perguntou onde tinha mais barato....
 
marilza aparecida nala em 21/07/2013 18:12:34
Parece que o Bar e Restaurante INDEZ
 
Rudson Barbosa em 21/07/2013 17:13:59
Essa situação não acontece quando é com você né?

Pois é, isso acontece em muitos restaurantes pela cidade. -- Ai mais não pode porque é racismo. Sim o racismo ainda existe, nós guardamos preconceito. Agora se atentem ao direito, em qualquer lugar se pode chegar e comprar o que quiser se houver disponibilidade. -- A mais ta caro. E daí, eu quero comprar e pronto e acabou, se o preço me desagradou ai sim posso me dirigir a outro lugar. Eu sou negro e tenho orgulho da minha cor, e se eu quiser chegar seja em qualquer lugar, fedido ou não, devo receber o mesmo respeito que passo para as pessoas. Agir de hipocrisia para cima das pessoas dizendo que não gostaria de ter por perto uma pessoa fedendo, achando que você é mais do que ela, é sujeira, você funciona igualzinho a pessoa meu amigo .
 
Jefferson Neves em 21/07/2013 17:04:17
calma gente isso ainda vai dar pono pra manga. direitos iguais , ele foi comprar não roubar é um trabalhador, um verdadeiro artista que faz obra de art.
 
mary dalla. em 21/07/2013 16:18:40
Isso não foi racismo, é preconceito.O garçom pode até ser ter agido errado, mas o culpado é o dono do restaurante que deve ordenar este tipo de coisa.
- ORGULHO: Um dos piores males da humanidade. Pelos comentários, tem muita gente se achando melhor que o gesseiro porque tem supostamente "dinheiro" para frequentar estes locais. Os mais sujos são aqueles que muitas vezes não reconhecemos porque usam roupas de luxo, carrão (ás vezes nem conseguem pagar) mas traficam, mandam matar e alguns nem se incomodam em estar no mesmo recinto, não é mesmo SOCIEDADE? Mas só podemos protestar porque a maioria vence, mesmo que seja o jeito errado de tratar nossos semelhantes ética e juridicamente.
 
simone alves em 21/07/2013 15:41:27
Eu já sofri esse tipo de PRECONCEITO, o garçom deve ter um salário inferior ao do gesseiro. Queria ver se fosse um arrastão se ele iria mandar no posto...
 
Beatriz Vieira em 21/07/2013 15:29:42
Acredito que não é racismo, porque foi em razão dos trajes e da suposta sujeira que aquele trabalhador honrado trazia no seu uniforme e em sua pele, que ele foi discriminado, não em razão da cor (isto ao que me parece). Assim, deve caber danos morais sim, pois a função do garçom não é a de informar aonde há água mais barata e sim vender o produto ao cliente, ficando claro que tentou impedir, de forma velada, a presença daquela indesejada pessoa naquele local, pois como disse uma pessoa num comentário acima, pessoa suja em certos locais incomoda. Sendo assim, parem de dar desculpas, o garçom errou e com certeza ele agiu assim com intenção de evitar esse incômodo que certas pessoas sentem com alguém sujo. O mais importante neste caso é que o trabalhador se sentiu ofendido, não vc.
 
Antonio José em 21/07/2013 15:19:02
Pode ser q a matéria esteja incompleta, faltando alguns detalhes, mas, lendo assim, não vi discriminação alguma. O garçom informou o preço da água. Isso é crime? o sobrinho pagou qto pela água? foi mais barato? Ele foi impedido de entrar no estabelecimento? Até então, não vi mal algum.
 
Nádia Asato em 21/07/2013 15:03:17
pelo visto a maioria que comentou aqui defendendo o restaurante é a burguesia né... na hora de ter a sua sala super linda com uma sanca de gesso impecável, ai vc não reclama de ter uma pessoa que apenas estava com um pouco de pó branco e com sede na sua sala né, ou você acha que defeca caviar queridinhos engravatados, pois na hora que entupir a sua fossa séptica, e o limpa fossa for lá limpar sua sujeira de anos, toda a sua vizinhança vai sentir que vc não é feito de cera.
eu queria ver o nome deste estabelecimento aqui, para divulgar em maça e nenhum trabalhador em elétrica, hidraulica e alvenaria, não fazer mais nenhum serviço nesse local.
 
wesley neres da silva campos em 21/07/2013 15:00:12
Acho que o garçom tentou ajuda-lo. Mesmo pq não existe tanta diferença social entre um garçom e um gesseiro, o ganho deve ser parecido entre eles. Agora se a atitude partisse do proprietário, ai seria outros 500.
 
Mauricio manvailer em 21/07/2013 14:56:49
Pior do que ser praticamente colocado pra fora do estabelecimento de "LUXO" por conta de suas vestes ou qualquer outra coisa é ver alguns comentários ridículos que tem aqui.. Provavelmente algumas das pessoas que aqui comentaram dizendo que o trabalhador está apenas querendo se aproveitar da situação, são pessoas que não saem de casa todo dia as 6 da manhã, que encaram chuva e sol, frio para ganhar o pão de cada dia, que talvez até saiam do quarto para uma sala com ar condicionado as 10 da manhã... Pessoas que não valorizam e não amam o próximo!!! SOMOS CIDADÃOS TEMOS TODOS OS MESMOS DIREITOS, PAGAMOS IMPOSTOS...
o fofinho do garçom que provavelmente foi orientado a tratar as pessoas assim e seu querido patrão tem sim que receber um processo pra aprenderem a respeitarem as pessoas!
 
Thayná Silva em 21/07/2013 14:40:54
Nossa nunca li tanto comentário estupido, agora vi o quão ignorante é o povo Campo Grandense.
 
Douglas Henrique de Melo em 21/07/2013 14:40:09
Eu acho que esse gesseiro e esse garçom tem uma rixa antiga la do bairro.
Nao me condenem, pode ser.
 
james pedrosa em 21/07/2013 14:30:15
Se o restaurante é o Indez este proprietário é um safa, tem preconceito mesmo, uma vez comprou queijo de minha loja e tive que cobrar , fui no restaurante dele e ele mandou o garçom pedir para eu me retirar. lugar de luxo kkkkkkk.....
 
Llsane Fleck em 21/07/2013 14:30:11
Sejamos prudentes,
aguardemos o pronunciamento do sindicato dos garçons, dos gesseiros, dos donos de bares e da OAB que no final é quem ainda vai ganhar algo com essa historia.
 
james pedrosa em 21/07/2013 14:27:05
Sabe o que é pior? É ver essa gente ridícula ai embaixo falando que não foi nada de mais... Pq é ruim mesmo alguém sujo e fedido passando por vc, pq o garçom tentou ajudar o homem... e bla bla bla... Nossa que alma bondosa esse garçom né, e que gentinha sem noção vcs que falam isso. O que vcs fazem pra sustentar sua família? Trabalham num escritório, bem vestidos e tudo mais? Agora deixem de olhar pro próprio umbigo e de serem tão fúteis a ponto de não saberem que existe mtos TRABALHADORES que não tiveram tanta oportunidade quanto vcs! E que sim, trabalham em serviço braçal que é tão digno quanto o seu!!! E sim, tem direito de comprar em qualquer lugar, o dinheiro é o mesmo e se ele tinha pq não poderia comprar la? O preconceito não tem jeito mesmo qdo ainda existe no mundo como vcs!
 
Sandra Marina em 21/07/2013 14:17:42
OLHA SÓ,O TANTO DE COMENTÁRIOS RIDÍCULOS..GENTINHA...ASSIM NUNCA VAI ACABAR O PRECONCEITO,TEM QUE DENUNCIAR SIM..E O SEU DIREITO DE IR E VIR.SE O CARA ABRE UM ESTABELECIMENTO É PRA ATENDER A TODOS. E NÃO ALGUMAS PESSOAS. EU FUI NUMA CHURRASCARIA ESSES DIAS PRÓXIMO AO SHOPPING.. COMPREI UM MARMITEX, O ATENDENTE ME ATENDE MEIO MAL.. DEPOIS FUI LA EU E MINHA ESPOSA ALMOÇARMOS. PAGUEI CARO.. MAS FORAM SUPER GENTIS COMIGO, PQ SERA HEIN.... ISSO É RACISMO SIM.. E VCS QUE NÃO ACEITARIAM ESTAR ALMOÇANDO E CHEGAR UM TRABALHADOR PRA COMPRAR ALGO. ALMOÇA EM CASA......VLW..
 
DANIEL DA SILVA em 21/07/2013 14:17:29
O gesseiro, penso eu, não se deu conta de que aquele lugar (o tal restaurante de luxo, que nem é tanto de luxo assim, porque já frequentei o lugar e não sou rica) não seria o local mais apropriado para ele comprar por conta de não estar bem vestido, limpo e com cheiro agradável. É de se ficar indignada; onde está o direito de ir e vir, o direito humano de se abastecer de água potável. Não está, não é mesmo meus caríssimos?Vivemos em uma sociedade desigual, portanto, pobre deve frequentar lugar de pobre, comprar água em lugar pobre. A atitude foi discriminatória sim, porque naquele lugar só deve entrar gente supostamente de classe mais favorecida.Vocês têm certeza que quem estava cheirando mal era aquele ser humano ou como diria Cazuza, a burguesia daquele lugar que estava fedendo?
 
Lucimara Martins em 21/07/2013 14:15:16
O lucro na venda da água ia ajudar a pagar o salário do garçom! ;)
 
edgar ibrahim em 21/07/2013 14:12:27
em que enderenço essa espelunca
 
divanir macondes em 21/07/2013 13:57:30
para os que não ficaram
ao lado de seu semelhante
coloque se no lugar dele
ai poderá jugallo
 
rodrigo vidal em 21/07/2013 13:43:20
se eu fosse dono de um restaurante chique, não ia querer gente feia e pobre passando nem na porta!!!!!!!!!
 
andre vilalba em 21/07/2013 13:37:39
amigos ta aqui e pronto

Art. 5º Recusar ou impedir acesso a estabelecimento comercial, negando-se a servir, atender ou receber cliente ou comprador.

Pena: reclusão de um a três anos.

não interressa se for de luxo ou espelunca tem que atender e pronto agora por que e um restaurante e os engomadinhos se encomodam vão comer em suas casas COMERCIO E PARA TODOS então ele tem todo direito de ir e vir !!
 
Vagner Brunet em 21/07/2013 13:37:35
Pessoal como tem uns comentários ridiculos. Voces deveriam respeitar o proximo.
 
edson moreira em 21/07/2013 13:19:08
Penso que houve sim discriminação...pois ninguém tem o direito de avaliar ou não a condição do outro de pagar por um produto....cada um tem seu tipo de trabalho...uns se sujam outros não e a aparência não determina se alguém tem ou não dinheiro....e um estabelecimento comercial tem que atender a qualquer um..
 
claudina gomes de aguiar em 21/07/2013 13:01:47
Para os que falaram que não viram algum crime, pelo amor de Deus tomem vergonha na cara a leiam as leis que regem o país de vocês,, isso é racismo, bando de ignorantes.
 
Myrela Cabral em 21/07/2013 12:59:23
Um estabelecimento não tem o direito de vender pra quem ele quiser?
Eu que não queria estar em um restaurante comendo e ter que aturar um sujeito sujo e fedendo do meu lado.
Aposto que o sobrinho já chegou arrumadinho de banho tomado e cheiroso.
Aposto que ate de terno foi, hahahahaha.
Que gente aproveitadora e que gente imbecil comentando.
 
Luis Aparcedo Medeiros em 21/07/2013 12:48:45
Ao tentar ajuda-lo o garçom será processado por racismo.
Que gente imbecil.
Deveria ter cobrado 5,00 pela água.
 
Pedro Alcantara Machado em 21/07/2013 12:46:45
Parece que o Bar e Restaurante INDEZ, onde ocorreu tal fato atribuiu uma nova função aos garçons - a de informar aos clientes indesejáveis que o que eles vendem é muito caro!!!! Muita gentileza pra um comércio não?
 
Marcos Santos em 21/07/2013 12:46:44
Caro Amigo Carlos Lima, Na Verdade há falta de competência em certos Funcionários sem capacitação alguma em atender as pessoas , ser Pobre Não é defeito algum.Temos condições de viver nos mesmo Patamar da Sociedade Alta da Comunidade , vejo isso sim como Desigualdade e total falta de Respeito pelas pessoas, o Bom é que temos direito de comprar água aonde quisermos, isso sim foi um Discriminação Total e logo na capital acontecendo isso e o pior em um Restaurante de Luxo aí sim deveria atender da melhor forma a todos , cadê a Capacitação aos Atendentes???
 
Luiz Paulo em 21/07/2013 12:22:16
Sério que tem gente falando "nossa, nem achei racismo", "nossa, se eu estivesse comendo em um lugar e entrasse alguém sujo eu reclamaria"? Sério mesmo? Onde iremos parar com tanto egoísmo? Se a pessoa acha que foi discriminada, se outra pessoa que fez a mesma coisa (o sobrinho) e conseguiu comprar normalmente a água sem qualquer impedimento... Por que as pessoas ainda querem justificar o comportamento inadequado do garçom? Olha, fazer esse tipo de comentário só me faz achar que o preconceito é almo muito mais comum e "não enxergado" olhem para o mundo ao redor e parem de olhar para o próprio umbigo, ok?
 
Paju Monteiro em 21/07/2013 12:08:21
ONDE ESTA O CRIME NESTA HISTÓRIA???? O GARÇOM DEMONSTROU BOA INTENÇÃO E O CARA JA ACHA QUE É DESCRIMINAÇÃO.. PARA GENTE ISSO É UM ABSURDO.. QUERO VER COMPROVAR CRIME NESSE CASO ESDRUXULO!!!
 
CARLOS LIMA em 21/07/2013 12:02:39
Qual é o nome do restaurante de luxo na Antonio Maria Coelho? Naquela Rua só tem espelunca, se fosse pelo menos na Euclides, tudo bem, mais nessa Rua......aff
 
Luiz Santos em 21/07/2013 11:54:48
Se alguém achar o nome do requintado restaurante, que bote no Facebook para a sociedade inteira saber.
 
Ulísver Silva em 21/07/2013 11:50:40
ACHO QUE OS TRAJES DO GESSEIRO MOTIVARAM OS ALTO CUSTO DA ÁGUA EU TU SOFRO PRECONCEITO POR ME VESTIR SO DE CALCAO E BERMUDAS PARA ENTRAR NOS BARES E RESTAURANTES E BOATES DE CAMPO GRANDE A ELITE AQUI SÓ VESTE DE ROUPA DE MARCA E DE CALCA E DE CAMISA SOCIAL E QUE ELES TEM CORPO FEIO E TEM QUE ESCONDE JA O CASO DO GESSEIRO E O MEU QUE TENHO PERNAS BONITAS POIS DANÇO DEZ POR DIA NA RUA E ANDO SÓ A PE POSSO ANDAR DE BERMUDA E CALÇÃO E BELEZA AGRIDE AI JA VIU NE MAS NÃO ME PREOCUPO EM ACIONAR E NEM PROCESSAR SIMPLESMENTE NÃO VOU E DIVULGO O NOME DO ESTABELECIMENTO AOS MEUS AMIGOS.....PRONTO O CARA JA TA FERRADO PORQUE TENHO BONS AMIGOS QUE CONSOMEM NESTES ESTABELECIMENTOS
 
PAULO CESAR DASILVA BAPTISTA em 21/07/2013 11:49:01
Em pouco tempo até o entardecer será considerado racismo.
 
Charles Luciano em 21/07/2013 11:44:28
Engraçado... tem muita gente fazendo tempestade num copo d'água, nem é racismo, se for é apenas discriminação. Porém, existe sim, certos atendentes e/ou seguranças, sem nenhuma instrução, trabalhando por aí.
O atendente(segurança) errou? errou. O cliente errou? errou.
Em primeiro lugar, eu jamais iria a um estabelecimento desse tipo, feia, suja ou mal-vestida. Mesmo porque eu me sentiria envergonhada.
Por outro lado, é horrível estar num restaurante e passar gente suja ou mal-cheirosa junto à nossa mesa.
Porém, existe por ai um tipo de atendente que, fala sério, deixa muito a desejar.
Um dia, fui comprar uma máquina de lavar, mas eu queria uma poderosa... o vendedor fez questão de me levar para ver uma que (dizia) era melhor para mim; e me mostrou um tanquinho, daqueles que só batem...
 
Angélica Nunes Dourado em 21/07/2013 11:42:16
Respeito é bom e todos gostam, este senhor tem todo o direito de ir atrás de de seus direitos. Ele não perguntou onde era mais barata a água, ele só queria compra uma garra de água com seu próprio dinheiro. Por favor não juguem este senhor trabalhador, se coloquem no lugar dele. Todos nós temos sentimentos. coloque uma roupa mais simples, ou use um carro mais velho e vá até lá e sinta na pele o que ele sentiu. Este referido lugar RESTAURANTE DE LUXO, só entra quem tem CAMARO, BMW,FERRARI,JAGUAR, e outros de luxo que sabemos. No fim todos somos iguais perante um verdadeiro Deus. Do pó viemos, do pó voltaremos. e que assim seja. Me prove o contrario se eu estiver errado. RONALDO FERNANDES. roferjesus@yahoo.com
 
Ronaldo Fernandes em 21/07/2013 11:35:36
Nao vi problema algum, primeiro foi apenas simplesmente orientado para compra mais barato em outro lugar, normal, foi gentil o garçom. Depois vem outro cara entra e compra qual o mal nisso, isso ta me cheirando oportunismo , quer tirar vantagens. Nao da em nada. Povo no Brasil tem mania de se aproveitar desas leis mal feitas, onde tudo e discriminação, e fica com melindres. Igual essa maldita lei trabalhista que beneficia cafajestes, onde o patrão e sempre refém, beneficiam os coitadinhos dos "trabalhadores", muitas vezes verdadeiros mentirosos, mal caráteres e bandidos aproveitadores.
 
JOSE ALDO em 21/07/2013 11:27:44
Se for caso de racismo.....profundamente lamentável.
 
carlos fenero em 21/07/2013 11:19:39
Que vergonha para esse dono do restaurante, isso vai render um processo muito grande para ele, porque ele era simplesmente um cliente que queria comprar uma água e não roubar ..
 
Amanda Luz em 21/07/2013 11:17:04
O nível de burrice e preconceito nesses comentários é alto demais.

Se alguém quer comprar alguma coisa no seu estabelecimento e tem a respectiva quantia em dinheiro, venda! É claríssimo que houve tentativa de impedir o consumidor de adentrar o estabelecimento e adquirir o produto - pelas suas roupas ou aparência -, o que é completamente errado.

Espero que o restaurante seja proporcionalmente penalizado e aprenda a tratar as pessoas de forma digna.

E quanto a quem fala: "Ah, mas e se ele estivesse assim? E se estivesse daquele jeito? Você ainda venderia?" tem que parar de ser estúpido.
 
Ian Silva em 21/07/2013 11:16:57
Viviane de Oliveira TAPADAAAA de razão, é crime sim e previsto no CP!!!E nota-se a mente podre dos seres aqui manifestados, pois "justificam"a atitude do garçom! Que horror! Bem se vê que o mundo realmente tá perdidoooo! Mesmo que a ÁGUA custasse 10 reais, é direito do cara comprar, e esse ele tem grana pra pagar e dai? Só pq é gesseiro não pode comprar água ali?Tem que necessariamente comprar num posto????
 
Aline Amaral em 21/07/2013 11:15:06
Temos que parar com isso, hoje qualquer palavra "mal" colocada é racismo ou discriminação, o racismo e a discriminação, estão nas próprias pessoas, se uma pessoa suja, mal vestida bate a porta de sua casa, você nem atende ou mesmo de longe já responde que não tem nada para dar ou que não dá para atender que esta ocupada, agora se uma pessoa limpa e bem vestida bate a porta de sua casa, você vai até ela e atende e ainda chama a pessoa de senhor.
 
Ronaldo Breno em 21/07/2013 10:57:41
Bem é fácil resolver. Se fosse o Neymar logo após o futebol e estando suado, tal... Será que não venderiam uma garrafinha de água pra ele? Vivemos em uma sociedade que valemos pelo que temos na maioria das vezes... E sabemos de histórias de vendedores que perderam vendas boas a pessoas simples, mas que tinham dinheiro, entretanto, a aparência e outros requisitos são exigidos em muitos lugares. Sabemos que o tratamento não é igual e o princípio da igualdade só existe para alguns... Muitas pessoas tem aparência e às vezes come arroz e arrota camarão....
 
GETER OSTEMBERG em 21/07/2013 10:56:00
Não é a 1° vez que isso acontece , existem pessoas como uma ou duas que aceitam essa situação um descaso que infelizmente acontece não só em campo grande mais no mundo inteiro , na minha opinião a as pessoas só vão mudar se sentirem no bolso mesmo já que na educação não se aprende e ainda tem pessoas que se acham donos do mundo , da rua e ate da vida alheia , se coloquem no lugar deste trabalhador ai você comenta com dignidade. Esse é o mundo e infelizmente o Brasil.
 
thiago rocha em 21/07/2013 10:48:30
Ô, Daniel nada de racismo. O outro trabalhador, garçom apenas deve ter te orientado a comprar o mais barato. Eu quando vou abastecer meu velho fusca, procuro o posto onde a gasolina é mais barata. As vezes o frentista me diz que ali no outro é mais barato ainda. O duro é ler que caucasiano é um branco alemão, é o mesmo que dizer que "ele é africano, preto". Daniel, fique tranquilo que se fosse discriminação, já teríamos citado o nome desse restaurante chic, belê?
 
samuel gomes-campo grande em 21/07/2013 10:48:15
Se o cara estava sujo de gesso, é óbvio que não iriam deixar entrar em um restaurante. Mesmo que não fosse um restaurante de luxo, se eu fosse um cliente e visse alguém sujo andando dentro do lugar, eu é que iria reclamar na gerência por falta de higiene. Da mesma forma que ninguém pode ir num restaurante logo depois de jogar futebol, todo cheio de terra, grama e suor, independente da cor da pele.

O garçom até me pareceu educado evitando dizer pro cara "até parece que você vai entrar aqui coberto de gesso deste jeito". A reportagem só não disse se o tal sobrinho também trabalhava com gesso ou se foi limpo ao restaurante.
 
Leandro Batista em 21/07/2013 10:34:00
Pó de gesso não sujeira, qualquer roupa e adequada para que ta trabalhando honestamente, provavelmente se fosse um desses envolvidos na mafia do câncer vestido de branco seria tratado diferente. mas o grande bobão neste caso e o garçom de onde tirou que pode negar a compra de água para alguém.


 
pedro paulo em 21/07/2013 10:11:11
Sou da mesma opinião que o Sr. Jorge Júnior, não consegui ver nada de racismo na situação descrita acima, o que eu visualizo da cena, foi um trabalhador vendo o esforço de outro trabalhador ( pelas vestes sujas ), e não o deixando ter um gasto desnecessário. Agora, se o garçom tem cara de antipático, isso não tem nada a ver com racismo. O sobrinho conseguiu comprar, mas, alguém sabe se ele insistiu na compra? Racismo, discriminação, são atitudes que devem ser punidas severamente, mas, as situações também devem ser apuradas com severidade. Assim, como a Lei pune os que possuem atitudes de racismo, pune também os que possuem atitudes oportunistas. Vamos ver com tudo isso termina. Espero que de forma justa, seja para quem for.
 
Claudiléia Sampaio em 21/07/2013 10:06:44
As pessoas não param para pensar, no valor de um trabalhador, ele estava sujo porque estava trabalhando, não importa a cor, mas são eles os responsáveis pela construção de muitos estabelecimentos de luxo, e que trabalha muito mais que aquele garçom engomadinho, o trabalhador merece água mineral grátis......
 
sandra vasconcelos em 21/07/2013 10:00:30
Caro Jorge Junior, infeliz comentário ao dizer ..."O Garçom queria apenas ajudá-lo informando que teria um mesmo produto com custo mais acessível em outro ponto"..., duvido que ele iria sugerir pra alguém que fosse procurar outro restaurante que tenha uma "picanha" mais barata, cabe ao garçom atender o cliente e nada mais...
 
Dilson Silva em 21/07/2013 09:50:58
Em alguns países se você não estiver adequadamente vestido você não entra, sendo da cor que for. Hora do almoço, lugar cheio, o cara cheio de pó de gesso. O garçom poderia não deixar ele entrar mesmo, ate que foi inteligente em alegar que a água era cara.
 
james pedrosa em 21/07/2013 09:34:18
Qual o nome do restaurante de luxo?? O julgamento de Deus não falha, entregue nas mãos dele. Paz e Bem.
 
regina bastazini em 21/07/2013 09:18:36
na minha opinião esse estabelecimento ou o garçom devem ser punidos conforme a lei, racismo é crime !!! O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de preconceitos de raça ou de cor.

Art. 1º Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. (Redação dada pela Lei nº 9.459, de 15/05/97)

Art. 2º (Vetado).

Art. 3º Impedir ou obstar o acesso de alguém, devidamente habilitado, a qualquer cargo da Administração Direta ou Indireta, bem como das concessionárias de serviços públicos.

Parágrafo único. Incorre na mesma pena quem, por motivo de discriminação de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, obstar a promoção funcional. (Incluído pela Lei nº 12.288, de 2010)

Pena: reclusão de dois a cinco anos.

Art. 4º Negar ou obstar emprego em empresa privada.

§ 1o Incorre na mesma pena quem, por motivo de discriminação de raça ou de cor ou práticas resultantes do preconceito de descendência ou origem nacional ou étnica: (Incluído pela Lei nº 12.288, de 2010)

I - deixar de conceder os equipamentos necessários ao empregado em igualdade de condições com os demais trabalhadores; (Incluído pela Lei nº 12.288, de 2010)

II - impedir a ascensão funcional do empregado ou obstar outra forma de benefício profissional; (Incluído pela Lei nº 12.288, de 2010)

III - proporcionar ao empregado tratamento diferenciado no ambiente de trabalho, especialmente quanto ao salário. (Incluído pela Lei nº 12.288, de 2010)

§ 2o Ficará sujeito às penas de multa e de prestação de serviços à comunidade, incluindo atividades de promoção da igualdade racial, quem, em anúncios ou qualquer outra forma de recrutamento de trabalhadores, exigir aspectos de aparência próprios de raça ou etnia para emprego cujas atividades não justifiquem essas exigências.

Pena: reclusão de dois a cinco anos.

Art. 5º Recusar ou impedir acesso a estabelecimento comercial, negando-se a servir, atender ou receber cliente ou comprador.

Pena: reclusão de um a três anos.
 
viviane oliveira em 21/07/2013 08:58:46
É SR NIVALDO E OUTROS QUE FALAM QUE NÃO FOI DISCRIMINAÇÃO PORQUE NÃO FOI COM VOCÊS
 
claudinei braz em 21/07/2013 08:56:41
Um absurdo. Pessoas acham que são melhores que os outras.. E olha que isso é apenas um garçom, que o restaurante com certeza vai mandar ele embora.. Infelizmente não é a primeira vez que isso acontece, e nem vai ser a última.
 
Rodrigo Brito em 21/07/2013 08:54:12
Na minha opinião, independente da cor do comprador (foco tratado no texto acima), burro é que paga R$3,00 (ou +) por uma garrafinha de água.
Agora se querem montar uma "situação" de racismo não pode ser por apenas o exposto na cena... só dá muita horas perdidas em discussões, advogados das partes e acaba em nada.
Se tivesse ocorrido a negação da venda da água já seria uma prova mais objetiva.
Sou contra o racismo e situações como essa (opinião minha) só aumenta a rivalidade.
Finalmente, se o garçom foi antipático no atendimento e ofendeu o freguês, não se pode jogar a culpa no proprietário, salvo se o garçom foi treinado para isso.
Finalmente do finalmente... rsrsrs... que tudo se resolva o mais rápído porque a polícia tem que trabalhar "A CIDADE ESTÁ CHEIA DE LADRÕES...SOCORRO" rsrs
 
Nivaldo Silva em 21/07/2013 08:36:04
Sinceramente não vejo nenhuma discriminação racial neste fato. O Garçom queria apenas ajudá-lo informando que teria um mesmo produto com custo mais acessível em outro ponto. E coisa de esperto querendo tomar dinheiro fácil, utilizando de LEIS CRIADAS POR IDIOTAS.
 
Jorge Junior em 21/07/2013 07:56:38
Vamos lá hoje mesmo eu e meu grupo de pagode, se brincar .... de quebra vai um de capoeira também, só negãão.......
 
Suzi Costa em 21/07/2013 07:12:47
Acredito que não só por ser negro mas também pelo fato de estar sujo que motivou a discriminação. Um absurdo. Aposto que o dono nem deve saber disso, mas infelizmente há muitos empregados que se sentem dono dos estabelecimentos comerciais.
 
Marcelo de almeida em 21/07/2013 07:07:19
Pelo amor de Deus isso é um absurdo...Fico totalmente indignado com isso.Esse homem tem de ser preso por isso...
 
Davi de J Lucas em 21/07/2013 06:58:56
Qual o nome do restaurante?
 
João da Silva em 21/07/2013 06:54:31
da uma indignação tão grande ler uma reportagem dessa. como ainda existe ate hoje pessoa assim, negar a um ser humano água, veja bem, o Daniel foi COMPRAR a água.
 
fabio correa em 21/07/2013 02:04:57
Gostaria de saber o nome do restaurante, para nunca ir la !
 
Julian Silva em 20/07/2013 23:41:56
Cara isso é uma vergonha! Nome do restaurante para mim nem passar na frente, racismo é o fim do mundo.
 
vera motta em 20/07/2013 23:14:34
Processo e cadeia, racismo é crime inafiançável!
 
Alexandre de Souza em 20/07/2013 23:14:04
POR FAVOR, DIVULGUEM O NOME DESSA "ESPELUNCA DE LUXO". SE ALGUM LEITOR SOUBER, MEU E-MAIL É (l.silva1965@hotmail.com)
 
Fernando Silva em 20/07/2013 22:44:18
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions