A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

15/04/2014 15:12

Hospital busca R$ 25 milhões para ampliar em 5 vezes o total de leitos

Lidiane Kober
Presidente do hospital apresentou obra ao prefeito e aproveitou para pleitear recursos (Foto: Lidiane Kober)Presidente do hospital apresentou obra ao prefeito e aproveitou para pleitear recursos (Foto: Lidiane Kober)

O Hospital do Câncer busca R$ 25 milhões para concluir a obra e ampliar em até cinco vezes o atendimento em Mato Grosso do Sul. Com nove andares, o novo prédio terá 248 leitos e 16 salas de consultas para somar as sete em funcionamento. O plano é abrir as portas até o final de 2015.

Nesta terça-feira (15), o presidente da instituição de saúde, Carlos Alberto Coimbra, recebeu o prefeito Gilmar Olarte (PP) para apresentar a obra e pleitear ajuda da administração municipal. Desde 2010, o hospital gastou R$ 9 milhões para comprar o terreno, R$ 3 milhões na obra e ganhou R$ 9 milhões do Governo do Estado.

Com o dinheiro, foi possível levantar a parte estrutural e hidráulica do prédio de nove andares. Agora, a direção da unidade busca outros R$ 10 milhões para concluir a parte de acabamento da obra e mais R$ 15 milhões para equipar. “A bancada federal se comprometeu em apresentar R$ 11 milhões em emendas no orçamento da União deste ano”, destacou Coimbra.

Olarte disse que “a prefeitura não vai se furtar em dar sua contribuição”. Ele, porém, evitou falar em valores e atribui a cautela à alta demanda no setor da saúde. “Precisamos ampliar o número de exames, abrir um centro especializado no atendimento infantil e dar fim ao colapso por falta de leitos. Vamos sentar e elencar as prioridades”, disse.

Hoje, o Hospital do Câncer realiza em média sete mil procedimentos por mês, entre consultas e uma lista variada de exames. Atualmente, 48 leitos estão disponíveis e sete salas de consulta. “Com a conclusão da obra, o plano é aumentar em até cinco vezes a capacidade de atendimento”, ressaltou Coimbra.

Até setembro, a meta é abrir os dois primeiros pavimentos para realizar exames, no subsolo e consultas, no térreo. “Temos R$ 1 milhão em emendas parlamentares para comprar equipamentos de exames. Vamos oferecer novos serviços, como na área de endoscopia”, destacou o presidente do hospital.

Concluída a obra, outro projeto é reformar o atual prédio para atender particular e arrecadar mais recursos para manter o hospital. Hoje, 100% do atendimento é pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

 



Para um País que vai sediar uma copa e olimpiada.
Ta sobrando!!
 
Vilton Vera em 16/04/2014 09:51:39
Cade os grandes empresários, cade os artistas de MS...
Vamos doar, que quando morrer não vão levar nada disso!
 
Ygor Barbosa em 16/04/2014 00:40:16
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions