ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SEXTA  21    CAMPO GRANDE 25º

Capital

Imagens ajudaram polícia identificar assassino de homem que teve dedos decepados

Jhonny Anastácio Reinaldo do Nascimento, o “Foguinho”, foi preso na tarde de ontem, no Bairro Santa Luzia

Por Geisy Garnes e Bruna Marques | 26/11/2021 10:42


Imagens de câmera de segurança ajudaram a polícia a identificar Jhonny Anastácio Reinaldo do Nascimento, conhecido como “Foguinho”, de 33 anos, e a esposa dele, de 32 anos, como autores do assassinato de Gilmar da Silva Costa, de 41 anos, na madrugada desta quinta-feira (25), na Vila Marli.

Os vídeos disponibilizados pela polícia mostram o casal andando pelas ruas do bairro logo após a discussão que terminou com Gilmar morto a vários golpes de faca. Com a violência dos golpes, a vítima chegou a ter dois dedos decepados.

De acordo com o delegado Enilton Pires Zalla, titular da 2ª Delegacia de Polícia Civil, assim que foram avisados do crime, os investigadores da unidade foram a rua para procurar imagens que ajudassem na identificação dos suspeitos. Conseguiram vídeos que mostravam o casal saindo da casa da vítima próximo do horário dos fatos.

A partir das imagens, testemunhas ligadas a Gilmar identificaram os suspeitos. “Foguinho” é dono de uma extensa ficha criminal e, por isso, não demorou muito para a equipe de investigação chegar ao endereço dele, no Bairro Santa Luzia. No local, ele recebeu os policiais e confessou o crime.

Após os depoimentos, a esposa de Jhonny foi liberada, mas ele ficou preso em flagrante. Além disso, estava foragido do regime semiaberto e, por isso, também permanece na cadeia. “Foguinho” responde na Justiça por crime de furtos, roubos e tráfico de drogas.

Segundo o delegado, o próximo passo da investigação depende do laudo necroscópico. A intenção, explica Zalla, é constatar se realmente é uma situação de legítima defesa ou excesso de legítima defesa. “Se haver um excesso de atos podemos caracterizar que há realmente uma ilegalidade e ele não vai estar acobertado pela legítima defesa”.

Crime aconteceu na casa de Gilmar, na madrugada de quinta-feira. (Foto: Cleber Gellio)
Crime aconteceu na casa de Gilmar, na madrugada de quinta-feira. (Foto: Cleber Gellio)

Agiotagem e assédio – Nos depoimentos. o casal revelou que os eventos que levaram o exato momento do homicídio começaram com a relação entre a esposa de “Foguinho” com Gilmar.

A mulher de 32 anos contou à polícia que conhece a vítima desde os 17 anos e frequentemente pega dinheiro emprestado com ele. Há cerca de dois meses, pegou R$ 500 com o amigo e em troca, deixou um cartão do Bolsa Família com ele.

Na semana passada, precisou de dinheiro novamente e voltou a fazer um empréstimo com a vítima, desta vez, de R$ 200. Como garantia, entregou o celular.

Ela pagou a dívida e recuperou o aparelho, mas a necessidade de dinheiro fez com que ligasse para Gilmar e oferecesse o mesmo celular por R$ 350. Ele não aceitou a compra, mas falou que emprestaria mais R$ 200 a ela.

Novamente, Jéssica pegou o dinheiro e deixou o celular como garantia. No dia 23, a mulher conseguiu o valor para recuperar o aparelho e ligou para Gilmar. Em resposta, ouviu que ele receberia quando quisesse e no valor que ele escolhesse.

Na noite do crime, foi a vítima quem voltou a entrar em contato. Ela chamou a amiga para ir em sua casa buscar o celular “penhorado”. Jéssica foi com Jhonny até o local, com intenção de quitar a dívida, mas em troca ouviu outro pedido. Ao invés de dinheiro, Gilmar exigiu manter relações sexuais com ela.

Neste momento, segundo Jéssica, a vítima começou o assédio. Se aproximou, passou a mão por seu corpo e a apertou contra a parede. Em depoimento, a mulher relatou que já foi vítima de violência sexual e a situação fez com que revivesse a dor daquele momento, por isso, começou a gritar por ajuda.

Jhonny entrou na casa, viu a cena e começou a discutir com o Gilmar. No desespero, Jéssica foi para o quintal e pouco depois só ouviu a briga dos dois. Depois de um tempo, fugiu correndo, encontrou o namorado em casa e foi dormir. Só no dia seguinte, descobriu sobre a morte do “amigo”.

Já Jhonny, mesmo confessando ser o autor do crime, não quis falar sobre o assassinato em um primeiro momento. Depois, no entanto, resolveu dar sua versão. Para a polícia, afirmou que após interromper o assédio a mulher, exigiu que Gilmar entregasse o celular da esposa e ficou esperando ele buscar o aparelho. A vítima, no entanto, voltou com uma faca de açougueiro e partiu para cima dele.

Os dois entraram em luta e na confusão, ele conseguiu tirar a faca da mão de Gilmar e o acertou vários golpes. Depois disso, correu para casa e só mais tarde, descobriu sobre a morte. “Foguinho” ainda inocentou a mulher de qualquer participação no crime, alegou que ela está grávida de 4 meses e que ficou revoltado ao ver a esposa ser agarrada pela vítima, por isso, agiu. Durante a briga, ele também teve a mão cortada.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário