ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SÁBADO  31    CAMPO GRANDE 19º

Capital

Invasão fake a banco tem bombas, tiros e Bope nos 4 cantos da Capital

Simulação teve tiros, explosões de granada e "assaltantes" fortemente armados

Por Adriano Fernandes e Ana Beatriz Rodrigues | 11/03/2021 22:36
Falso assaltante com arma de grosso calibre na mão. (Foto: Paulo Francis)
Falso assaltante com arma de grosso calibre na mão. (Foto: Paulo Francis)

Treinamento do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais ) na noite desta quinta-feira (11) teve tiros, explosões de granada e "assaltantes" fortemente armados, simulando  a invasão de um banco de Campo Grande, em circunstâncias semelhantes ao assalto que ocorreu em Criciúma, em Santa Catarina, em dezembro do ano passado, quando cerca de R$ 80 milhões foram roubados por criminosos.

Na Capital, a instituição escolhida para a simulação foi a central administrativa do Banco do Brasil, localizada na Avenida Presidente Castelo Branco, que em dezembro de 2019 também foi alvo de uma quadrilha que construiu túnel de 70 metros de comprimento para uma tentativa de assalto que foi frustrada pela polícia.

Sessenta policiais militares do Bope participaram da atividade, que contou com equipes não apenas na sede do banco no Bairro Coronel Antonino, mas na Penitenciária Federal de Campo Grande e nas quatro saídas da Capital.

Durante o treinamento tanto a Avenida Presidente Castelo Branco em frente ao banco, quanto a Dolor Ferreira de Andrade e Rua Alegrete foram interditadas pelos policiais. Quatro militares em duas caminhonetes modelos Hilux e S10, se passaram por assaltantes e furaram os bloqueios.

Encapuzados, os agentes dispararam dezenas de tiros de festim com armas de grosso calibre, soltaram granadas e simularam a invasão enquanto cercavam a central administrativa.

Explosão de granada ao fundo da imagem. (Foto: Paulo Francis)
Explosão de granada ao fundo da imagem. (Foto: Paulo Francis)

Condutores que passavam pelo local também foram surpreendidos pelos falsos bandidos, que literalmente pararam o trânsito. Não foram usados reféns na simulação.

Ao mesmo tempo, os policiais também simularam a invasão na Penitenciária Federal em Campo Grande, no extremo sul da Capital.

Nas saídas para Sidrolândia, Cuiabá, Terenos e São Paulo, equipes encenaram a formação de barreiras para impedir a saída dos “criminosos” da cidade após o falso roubo.

“O treinamento serve para por em prática o plano de defesa tanto da Polícia Militar como da Polícia Penal Federal”, comentou o major Vinicius de Souza Almeida, do Bope. Durante o treinamento, o Batalhão apurou o tempo de resposta das equipes, diante de uma possível invasão. Em cinco minutos, após o início da simulação, o reforço policial chegou ao local.

Falso assaltante em frente ao banco. (Foto: Paulo Francis)
Falso assaltante em frente ao banco. (Foto: Paulo Francis)

Toda a operação durou cerca de uma hora e há previsão de que outro treinamento semelhante, seja realizado ainda este ano. Em dezembro, Dourados também teve simulação do Bope igual a de hoje. “Levamos cinco dias para organizar essa simulação e devemos realizar outro treinamento semelhante a este já no próximo trimestre”, conclui o major.

Assalto em Criciúma - No assalto ao bando do município catarinense, cerca de 30 criminosos fortemente armados invadiram a tesouraria regional de um banco, provocaram incêndios, bloquearam ruas e acessos à cidade, e usaram reféns como escudos nas ruas. A quadrilha não conseguiu levar todo o dinheiro e cédulas ficaram espalhadas pela rua. Cerca de R$ 80 milhões foram levados pelo grupo.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário