ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEGUNDA  30    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Jogo do bicho começa a mudar de comando em MS, aponta investigação

Conforme apurado pela reportagem, os números são sorteados por um grupo do Rio de Janeiro

Por Geisy Garnes e Marta Ferreira | 21/10/2020 18:10
A operação Black Cat lacrou mais de 107 bancas em Campo Grande (Foto: Henrique Kawaminami)
A operação Black Cat lacrou mais de 107 bancas em Campo Grande (Foto: Henrique Kawaminami)

O jogo do bicho está sob novo comando em duas cidades de Mato Grosso do Sul, após ser alvo da quarta fase da Operação Omertá, a "Black Cat". Depois de muita especulação sobre a "venda" do negócio para cariocas,  as recentes investigações mostram que grupo do Rio de Janeiro está assumindo o negócio ilegal, começando por Aquidauana e São Gabriel do Oeste, operadas pela banca "Gato Preto" .

As extrações ocorrem duas vezes por dia e voltaram a ocorrer no dia 10 de outubro, depois de ficarem paradas desde 23 de setembro.  Os resultados são divulgados, inclusive, em um site, o "Deu no Poste Hoje", que voltou a trazer os resultados 18 dias depois da "Black Cat".

Na data, equipes do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros) em conjunto com o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) lacraram pelo menos 107 bancas de jogo do bicho na Capital. No dia, foram levados para a delegacia 28, que foram enquadrados em contravenção penal, como é tipificado o jogo do bicho na lei brasileira.

A investigação atribui a organização da jogatina ilegal em Campo Grande e cidades da região norte e oeste à família Name, mas conforme apurado pela reportagem, desde que as apostas voltaram a acontecer na cidade, exatos 18 dias depois da operação, a chefia do esquema está sendo transferida a grupo do Rio de Janeiro. Várias testemunhas relevaram a alteração no comando, mas ainda não se sabe como as “negociações” foram feitas.

O retorno das ações ilegais, de uma forma menos acintosa, chegou a ser anunciado em áudios pelo WhatsApp. Informações preliminares apontam também a existência de um segundo grupo envolvidos na loteria ilegal. As informações ainda são investigadas pela polícia, que de forma interrupta fiscalizam e lacram bancas de venda por toda a cidade.

Na segunda-feira (19), dois apontadores - como são chamados os vendedores do jogo do bicho – foram flagrados em uma banca da Vila Margarida e levados para a delegacia. Horas depois, um terceiro foi surpreendido na Rua 13 de Maio, na região do Bairro São Francisco. Os três foram enquadrado em contravenção penal, depois liberado.

Site divulga resultados do jogo do bicho em Campo Grande. (Foto: Reprodução da internet)
Site divulga resultados do jogo do bicho em Campo Grande. (Foto: Reprodução da internet)

Conexão – Em nota divulgada após a Omertà, o Gaeco disse que a investida contra o jogo do bicho tem como objetivo mostrar que a organização que comanda a contravenção é perigosa e violenta.

A Operação Omertà começou há um ano e já enquadrou cerca de 50 pessoas em crimes que vão de formação de milícia armada a tráfico de armas e assassinados.

O material que está sendo apreendido com o pessoal ligado ao jogo do bicho vai ser usado como provas contra os envolvidos no bando fora da lei.  O “bicho” usa os números da Loteria Federal para definir as premiações.

Denúncias sobre o funcionamento podem ser feitas no telefone 3357-9500, no Garras.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário