A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

03/05/2011 15:42

Justiça mantém Zeolla preso alegando ameaça a testemunha do processo

Marta Ferreira e Nadyenka Castro
O procurador aposentado Carlos Alberto Zeolla: prisão hospitalar mantida.O procurador aposentado Carlos Alberto Zeolla: prisão hospitalar mantida.

O Mutirão Carcerário em andamento na Justiça de Mato Grosso do Sul avaliou se procurador aposentado Carlos Alberto Zeolla, réu pelo assassinato do sobrinho Cláudio Alexander Zeolla, ocorrido em março de 2009, deveria ser liberado e a decisão do juiz responsável foi de que ele deve continuar preso, na clínica psiquiátrica Carandá. Em seu despacho, de ontem, o magistrado cita como motivo para manter o procurador preso o fato de ele ter ameaçado uma testemunha, o adolescente que dirigia o carro usado por Zeolla para deixar o local onde matou o sobrinho.

O magistrado afirma que a prisão é necessária em razão da possibilidade de que a testemunha seja ouvida em plenário durante o julgamento.

Zeolla está preso desde o dia do crime. A defesa alegou que ele tem problemas psiquiátricos e por isso foi concedida a prisão na clínica Carandá, onde ele permanece até hoje.

A decisão do magistrado mantendo a prisão salienta que o júlgamento de Zeolla está para ser marcado, pois já está na pauta da Primeira Vara do Tribunal do Júri com prioridade em relação aos outros casos.

O advogado de Zeolla, Ricardo Trad, informou que não é interesse da defesa que ele seja liberado. “Ele está bem na clínica”,afirmou.

O procurador, aposentado compulsoriamente após o assassinato do sobrinho, vai ser julgado por homicídio doloso qualificado, por uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima. O tiro que matou Cláudio Alexander foi disparado pelas costas.

Ele também erá julgado por entregar direção de veículo automotor a pessoa sem CNH (Carteira Nacional de Habilitação), no caso o adolescente que agora é testemunha do caso, a quem Zeolla teria ameaçado, conforme depoimento prestado na fase de instrução do processo.



Ta na bora de parar com essa afronta a sociedade, o pessoal da justiça comete crimes delitos etc e é "punido", digo premiado com a aposentadoria compulsoria.
CHegaaaaaaaaaa que vergonha quando isso vai acabar.
 
vera lucia rosa em 04/05/2011 09:53:46
O nobre ex procurador que ja deve ta bem de saúde , deveria agora ir para um Presidio onde é o lugar dele e sair da clinica. ou ele depois que for julgado vai cumprir pena na clinica ,,isso é uma vergonha.
 
Renato Gomes em 04/05/2011 09:48:33
Só queria ver se ele fosse um pobre coitado se ele estaria em uma clínica no carandá....
quanto luxo né sr. Zeolla....maluco é quem acha que o sr. tem problema psiquiático.....
 
Rosangela Carvalho em 04/05/2011 09:41:07
Que beleza! Homicídio doloso, qualificado e, ainda assim, recebe como "punição" a aposentadoria compulsória!
Coitado dele, deve estar sofrendo tanto com essa "punição" tão dura!
 
Luciana Brum Leite Teles em 04/05/2011 08:31:42
É uma pena que o dinheiro possa falar mais alto que a justiça, pois neste caso, esse assassino deveria estar na cadeia mesmo e não em uma clinica onde tem toda a mordomia.
Se fosse o inverso, com certeza, o sobrinho estaria na penitenciária sem direito a nada.
E depois que faz uma coisa dessas, não tem nem a hombridade de assumir que fez o que fez bem pensado, evidentemente planejado.
Que pena mesmo que não exista pena de morte, pois não há maior pecado que tirar a vida de outro e mais ainda, pelas costas.
É um assassino e covarde.
 
Lara Cardoso em 04/05/2011 08:15:08
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions