ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  11    CAMPO GRANDE 26º

Capital

"Kit prevenção" não será distribuído, mas receitado por médico, lembra prefeito

Explicação foi feita após o presidente Jair Bolsonaro anunciar envio de lotes de hidroxicloroquina para Campo Grande

Por Liniker Ribeiro e Marta Ferreira | 07/07/2020 14:49
Em falta em pratileiras de farmácidas da Capital, 10 mil comprimidos de hidroxicloroquina serão enviados pelo Governo Federal para Campo Grande (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)
Em falta em pratileiras de farmácidas da Capital, 10 mil comprimidos de hidroxicloroquina serão enviados pelo Governo Federal para Campo Grande (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)

O prefeito de Campo Grade, Marquinhos Trad (PSD), reforçou que a carga com cerca de 10 mil comprimidos de hidroxicloroquina, disponibilizada pelo governo federal após pedido do Executivo municipal, não será distribuída de forma unitária pelo sistema público de saúde. Segundo ele, o acesso ao medicamento, que servirá como componente do "kit prevenção" dependerá de prescrição médica.

“A hidroxicloroquina não tem comprovação científica [de que seja eficaz na profilaxia ou tratamento de estágios iniciais da covid-19], por isso ela não é utilizada em lugar nenhum do planeta. Todavia, ela em composição com zinco, ivermectina, vitamina D e azitromicina, segundo grupo de médicos, há uma possibilidade muito boa de prevenção, razão porque eu não estou entregando kit prevenção aleatoriamente ou distribuindo”, reforçou.

Ainda conforme Marquinhos, o paciente só fará uso do medicamento “após prescrição médica e com anuência do paciente”.

“Eu preciso disponibilizar esses medicamentos, não haverá distribuição e sim, o direito do médico prescrever, e o direito daqueles que não têm uma situação econômica confortável serem atendidos pelo serviço de saúde pública do município de Campo Grande”, explica Trad.

Estudo – Lotes de hidroxicloroquina foram enviados pelo governo federal e devem chegar a Campo Grande entre hoje (7) e amanhã.

O envio foi possibilitado após solicitação do prefeito Marquinhos Trad, que afirmou ter ouvido grupo de médicos da Capital que defendem o uso do medicamento, aliado a doses de zinco, ivermectina, vitamina D e azitromicina.

“Segundo esse grupo, tomando esses medicamentos, você não contrairia, ou evitaria algumas fases da covid-19, o que ajudaria muito no não colapso dos leitos da UTI”, ressaltou Marquinhos ao Campo Grande News.

O anúncio do recebimento de lotes do medicamento foi feito no fim da manhã de hoje, pelo próprio presidente Jair Bolsonra (sem partido), durante entrevista à imprensa.