ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Lixo acumulado em casa no Jardim Centro Oeste prejudica vizinhança

Quem mora perto sofre com o mau cheiro, insetos e baratas

Lucia Morel | 04/10/2022 17:42

Lixo acumulado, mau cheiro e muita sujeira. Se fosse na rua ou em terreno baldio, seria comum, mas é dentro de casa localizada no bairro Centro Oste. Vizinhos já não sabem o que fazer com a situação, que se prolonga há cerca de três anos quando o idoso, que mora em imóvel na rua Pinus, se mudou para lá.

“A casa sempre foi dele, mas era alugada para outras pessoas. Mas faz uns três anos que ele se mudou e já percebemos que ele começou a juntar lixo. Não é material reciclável, é lixo. São alimentos, papel higiênico e outros”, lamentou morador que não quer se identificar para evitar embate com o vizinho.

Segundo ele, quem mora perto sofre com o mau cheiro, insetos e baratas. Várias denúncias foram feitas à prefeitura, mas segundo moradores, nada foi feito até agora. “A Saúde vem, vira as costas e não faz nada”, citou o leitor que procurou o Campo Grande News.

O vizinho ainda comenta que o morador da casa entulhada de lixo sai pela manhã e retorna para casa com mais sacolas de lixo e não conversa com ninguém. Além disso, ele não teria condições psicológicas de “entender o quão perigoso e insalubre é o estado em que vive”.

A reportagem entrou em contato com a prefeitura que informou que "a equipe da Sesau já está acompanhando o caso e, nesta quarta-feira (5), está programada uma nova visita ao local para verificar se o responsável pelo imóvel acatou às solicitações da Coordenadoria de Vigilância Ambiental e regularizou a situação no local".

A secretaria diz ainda que "caso isso não tenha acontecido, será lavrado um auto de infração, que poderá variar de R$100 a R$15 mil". Por fim, a Sesau ressalta que "toda a denúncia realizada pelo canal da Ouvidoria da Sesau, através do telefone 3314-9955, tem um prazo para ser verificada, podendo o denunciante acompanhar a situação através do mesmo telefone, tendo em mãos o número de protocolo da denúncia".

Matéria editada às 14h10 de 5 de outubro de 2022 para acréscimo de informação.

Nos siga no Google Notícias