A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

18/06/2011 10:15

Maconha é lembrada na Marcha da Liberdade, mas não o foco na Capital

Angela Kempfer e Paula Macilevícius
Foto (Marcelo Victor)Foto (Marcelo Victor)

Antes da Marcha da Liberdade começar, as cores em bandeiras durante a concentração na praça Ary Coelho deixam claro os motivos da manifestação.

O grupo que pede a paz em Campo Grande levou o branco para o protesto . O verde e amarelo lembram o patriotismo contra a corrupção e critica o Código Florestal aprovado na Câmara, já o colorido do arco-íris é a manifestação contra a homofobia.

De bandeira até cartazes contra a violência no trânsito, o protesto nacional, hoje em 40 cidade, que começou depois de São Paulo proibir a Marcha da Maconha, em Campo Grande tem uma infinidade de motivos.

A questão indígena é lembrada, assim como os assassinatos recentes da estudante Marielly Barbosa e do segurança Jefferson Bruno Escobar.

Mas o assunto drogas também aparece, timidamente, em uma camiseta ou cartaz. “Para acabar com o tráfico, legalize”, expressa um dos participantes na frase escrita a mão.

“Nós queremos é a atualização da política antidrogas”, diz o estudante Orlando Pires Júnior.

Sempre se lembram da Holanda, onde o uso da maconha, por exemplo, é regulamentado. “E nem por isso aumentou o uso”, garante.

“Nós queremos é a atualização da política antidrogas”, diz o estudante Orlando Pires Júnior.
Foto (Marcelo Victor)“Nós queremos é a atualização da política antidrogas”, diz o estudante Orlando Pires Júnior. Foto (Marcelo Victor)
Manifestante vestido de anjo pede paz.Foto (Marcelo Victor)Manifestante vestido de anjo pede paz.Foto (Marcelo Victor)

Os artistas, com pernas de pau pela praça, pedem mais recursos para a cultura. A distribuição de balões lilás lembra a importância da mulher. Mas tudo, segundo os organizadores, tem uma única finalidade: pregar a liberdade de expressão.

O microfone está aberto para qualquer um falar o que quiser. “Até pedir para mudar a música, por exemplo”, explica um dos organizadores, Eduardo Araújo.

O grupo sairá daqui a pouco pela 15 de Novembro, até a 14 de Julho, depois pela Barão do Rio Branco e de volta à Praça Ary Coelho.

A maior parte do público é jovem. Houve muita divulgação nas redes sociais, onde 1,5 mil confirmaram presença. A praça ainda não está lotada, mas muita gente chega a Ary Coelho.

Abstenção em concurso da Câmara Municipal da Capital passa dos 30%
O domingo (17) foi de provas para milhares de campo-grandenses, tanto na manhã como no período da tarde, no concurso da Câmara Municipal, que segundo...
Com forte dores, mulher reclama de falta de atendimento em UPA
Mesmo apresentando fortes dores e inchaço na região do estômago, sem conseguir comer a três dias, uma mulher que procurou atendimento na UPA (Unidade...
Problema rotineiro, chuva causa alagamentos no bairro Cidade Morena
A chuva que atingiu Campo Grande no fim da tarde deste domingo (17) causou vários problemas à população, desde alagamentos a problemas estruturais em...


O Brasil é uma piada, uma país onde a população apenas se volta para seus direitos e se esquece de suas obrigações. Porque não existir uma marcha dessas para cobrar dos índios que atuem dentro do que preceitua a Constituição? Eles arrendam as próprias terras e ninguém cobra nada? Porque não fazer uma marcha para cobrar punição aos usuários que matam familias, dilapidam o patrimônio dos outros? Porque não uma marcha para estimular o fim da sonegação de imposto feita pela própria sociedade? Porque não uma marcha para estimular as pessoas a denunciar corrupção, venda de drogas e estas pessoas serem testemunhas dos casos? Exigir segurança, direito todos fazem, mas quando são chamados para prestar um depoimento que seja como testemunha se furtam de seu dever como cidadão. Enquanto isso não mudar essas marchas serão apenas papagaiada de quem não tem o que fazer. Tenho dito!!!
 
Salvio Espindola Filho em 19/06/2011 12:41:50
Ato mais inócuo. Após o evento os manifestantes foram pra casa fumar maconha achando que resolveram todos os problemas do mundo.
 
José Silva em 19/06/2011 06:01:24
Nos temos excesso de liberdade, o que o povo pede hoje é libertinagem.
 
Valter Antunes Oliveira em 19/06/2011 03:38:50
Sinceramente: a #MarchadaliderdadeMS foium tiro no pé pois os homofóbicos também teram a lberdade de protesto.
 
PATRICIA DOS SANTOS em 18/06/2011 12:15:17
Achar que usar maconha é normal e até liberar o seu uso, é o mesmo que dar carta branca aos traficantes. Acredito que daqui a pouco vão liberar as demais drogas como o crack. É isso aí, vamos matar um pouco de gente nesse mundo, tá demais né. Vamos cuidar dos nossos e o resto que se exploda.
 
Nice soares em 18/06/2011 12:05:33
Agora que vai virar uma palhaçada mesmo nessa cidade, se liberarem o uso de drogas ai é que teremos menos segurança, será que esse povo não percebe que a maioria dos crimes acontece com usuários de drogas?? Imagina você ter que se deparar com maconheiro na rua e dizer pro seus filhos que é uma coisa normal?? Haaa faça mil favor, enquanto ninguém fazer nada as coisas só vão piorar...Tanta coisa que precisa ser feito e todo mundo fecha os olhos, mais para um absurdo desses todo mundo mundo ta esperto né.... Eu só lamento.....
 
Patricia Santos em 18/06/2011 10:53:10
Gostaria de perguntar se vão vão liberar o crack, cocaína, heroína....será que já não temos problemas demais?????? Será que o serviço público está preparado para atender a uma maior quantidade de drogados? E não adianta falar que a maconha é diferente, pois é a porta de entrada para as outras drogas. Quero ver os filhos dos atuais usuários, o que será que vão pedir para liberar?
 
Cláudio Roberto de Oliveira em 18/06/2011 10:01:20
Pois é... a que ponto chegamos, o Judiciário Nacional fazendo apologia à droga ilícita maconha. Se já temos problemas DEMAIS, falando apenas das drogas lícitas (álcool, tabaco e medicamentos), imaginem liberando a maconha. O poder público no momento não tem estrutura para amparar, tanto o dependente como sua família, no tocante ao tratamento desses, porque todos ficam prejudicados pelo entorpecente. Sem falar nos transtornos (aumento dos roubos, furtos, homicídios, aumento da violência para manter o vício, etc, etc, etc.). Já que as coisas estão banalizadas, uma sugestão: façamos também marchas pela legalização dos roubos, dos furtos, dos homicídios, etc.), qual a diferença?Vamos descriminalizar tudo. Pensem nisso. Infelizmente a sociedade está ficando cada vez mais permissiva. Os valores, virtudes pessoais e familiares estão se perdendo a cada dia. Reflitamos sobre o que está acontecendo a nossa volta e se merecemos o que nos é imposto. Faça sua parte, diga não às DROGAS. Deus abençoe.
 
Cleiton Lima em 18/06/2011 09:20:39
Se estão regularizando a maconha e lutando por liberdade em diversas coisas, por que a proibição do cigarro normal e tanta palhaçada contra os fumantes?
 
JOSÉ PEREIRA FILHO em 18/06/2011 07:30:37
“Nós queremos é a atualização da política antidrogas kkkkkkkkkk..........e ainda quiz ser formal pela intenção dele essa placa devia estar escrito assim queremos a liberação da macona cocoina crack oxi e todas as desgraças possiveis daqui uns dias esse orlando vai querer a legalização do roubo sequestro e assasinato etc,esse "rapaz" devia ter vergonha de mostrar uma placa dessas, quantas familia já forão destruidas por causa dessa merda que ele denfende a liberação ,e assim eles vão criando iniquidades estão querendo fazer esse absurdo e como ja dizia o velho Tião Carreiro mundo velha ta perdido....,aff.
 
alex silva em 18/06/2011 02:01:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions