A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 24 de Abril de 2019

07/01/2019 16:30

Mãe de bebê que ingeriu vodka e inalou fumaça de maconha poderá perder guarda

Conforme a delegada Marília de Brito, da DPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), decisão cabe à Justiça

Kerolyn Araújo
Casa onde a criança foi encontrada deitada na calçada sob efeito de álcool (Foto: Henrique Kawaminami)
Casa onde a criança foi encontrada deitada na calçada sob efeito de álcool (Foto: Henrique Kawaminami)

A mãe do bebê de dois anos que foi socorrido após ingerir vodka com energético e inalar fumaça de maconha na noite de ontem (6), no Jardim Macaúbas, em Campo Grande, poderá perder a guarda da criança e da filha de 11 anos, que faz uso de maconha. A mulher, de 32 anos, teve o nome preservado por imposição do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

Conforme informações da delegada Marília de Brito, da DPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), onde o caso está sendo investigado, a mãe poderá perder a guarda dos filhos, mas a decisão cabe à Justiça. ''Essa não é uma decisão da polícia. O Conselho Tutelar é acionado para tomar as providências cabíveis e, em concordância com o Ministério Público, decide se há necessidade de manter a criança acolhida, se a mãe tem condições de ficar com ela", explicou.

O caso - A situação chegou à polícia na noite de ontem (6), após a criança de dois anos ser encontrada por um vizinho deitada na calçada na residência. O bebê, desacordado, foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Universitário. Lá, foi ministrado soro e constatado que a criança havia ingerido bebida alcoólica e inalado fumaça de maconha.

A mãe da criança foi encaminhada à Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) da Vila Piratininga, onde foi autuado por maus-tratos e liberada em seguida.

Ao Campo Grande News, a mãe da criança relatou que foi à casa de um conhecido e deixou a criança com a irmã e a colega de 13 anos. As duas, então, foram para a varanda em frente da casa fumar maconha e consumir vodka com energético. “Não sei como ele conseguiu beber, porque não estava em casa. Quando voltei, o meu filho já estava com o vizinho. Lá, na delegacia falaram que sou irresponsável, mas quando sai ninguém estava usando maconha ”, lamenta.

Ainda segundo a mulher, ela descobriu que a filha usa maconha há poucos dias e até teria dado uma surra na menor.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions