A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

23/12/2014 17:12

Mais de 35 mil pessoas passarão pela rodoviária de Campo Grande no Natal

Viajantes vindos de vários lugares do Brasil e de fora carregam além da bagagem, muitas histórias pra contar.

Vania Galceran
Rodoviária de Campo Grande, nesta terça-feira a tarde. (Foto: Marcos Ermínio)Rodoviária de Campo Grande, nesta terça-feira a tarde. (Foto: Marcos Ermínio)

O período de Natal deve levar em torno de 35 mil pessoas ao Terminal Rodoviário de Campo Grande de acordo com a administração. O fluxo de passageiro pode ter aumento de até 39% neste mês de dezembro. Em 2013, o último mês do ano registrou 110.939 passageiros. Para 2014, a expectativa é de 154.664 pessoas.

O passageiro que estiver prestes a viajar nesta terça-feira (23) precisa ter paciência para enfrentar a movimentação, porque o fluxo de pessoas às vésperas do Natal é intenso. Filas enormes ocupam os corredores do terminal e os guichês das viações que atendem, principalmente, o interior do Estado de São Paulo, Corumbá e Bonito.

Cenas de correria e movimentação intensa de passageiros já são registradas desde o dia 19 no terminal. Segundo o supervisor operacional do terminal,Wellington da Silva Vidaurre, são cinco mil pessoas por dia, o dobro do normal.

De acordo com o supervisor, 134 ônibus extras foram colocaram para rodar. Os veículos entram em circulação conforme a demanda. A previsão é de 6.694 partidas neste mês, contra 6.594 registradas em dezembro de 2013.

Conforme o supervisor, nestas últimas semanas o perfil do público é formado por trabalhadores de férias e acadêmicos que voltam para a casa, além de pessoas que vão fazer tratamento de saúde em outras cidades. Os destinos mais procurados são: Corumbá, Aquidauana, Bonito, Rio Verde do Mato Grosso, interior de São Paulo e Santa Catarina.

Nélia não viaja sozinha de ônibus há 20 anos. (Foto: Marcos Ermínio)Nélia não viaja sozinha de ônibus há 20 anos. (Foto: Marcos Ermínio)
Sorridente e feliz, Filomena veio do Japão para encontrar os filhos que vivem em Ponta Porã. (Foto: Marcos Ermínio)Sorridente e feliz, Filomena veio do Japão para encontrar os filhos que vivem em Ponta Porã. (Foto: Marcos Ermínio)

Nélia Rocha (40), decoradora de festas e eventos, diz que depois de 20 anos é primeira vez que pega a estrada de ônibus. E depois de tanto tempo sem férias, resolveu fazer um "mochilão" até São Thomé das Letras (MG) e depois seguir por mais 4 cidades do interior de São Paulo.

Nélia só volta para Campo Grande em janeiro. "Eu resolvi me dar de presente de Natal e Ano Novo essas férias merecidas, sair da rotina e descansar. De ônibus eu conheço melhor o destino e me divirto", comenta a decoradora.

Já Filomena Nunes, está viajando desde sábado (20). Ela veio do Japão com destino a Ponta Porã, onde só deve chegar no fim da noite de hoje (23).

Ela conta que saiu de Tóquio às 9h20 da manhã de sábado, passou por São Paulo e ficou mais de duas horas no aeroporto, onde o voo atrasou.

Chegou na rodoviária de Campo Grande hoje e ainda vai enfrentar mais 5 horas de viagem até chegar em Ponta Porã, onde vai passar Natal e Ano Novo.

Para ela, o maior presente vai ser ver os filhos depois de 1 ano longe. Filomena conta que mora no Japão há 11 anos e só veio ao Brasil 3 vezes. "Agora vim pra buscar meus filhos que moram em Ponta Porã com minha mãe. Estamos muito felizes de nos reencontrarmos e de agora poder levá-los para o Japão comigo", conta.

Histórias como a de Nélia e Filomena são muitas, que se misturam nos bancos da rodoviária em Campo Grande.

Para os viajantes, a orientação é chegar ao terminal com meia hora de antecedência, identificar bagagens e também as crianças, que são mais facilmente encontradas quando o nome do responsável é anunciado por meio do sistema de som.

Crianças menores de 12 anos só podem viajar acompanhadas pelos pais ou com autorização regsitrada em cartório. A administração também alerta que os idosos, que têm direito a gratuidade, devem procurar as empresas com antecedência. “São duas passagens por carro, que são liberadas com 30 dias de antecedência”, afirma o supervisor.

Quem vai para a Bolívia deve se vacinar contra a Febre Amarela, pois o comprovante é exigência para que a pessoa entre no país vizinho.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions