A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

21/03/2012 16:00

Médico diz ao MPF que não faz cirurgias no HU por falta de materiais

Nadyenka Castro

Diretor do hospital havia dito que os procedimentos não eram realizados porque o profissional não aceitava fazer

Enquanto aproximadamente três centenas de pacientes esperam por cirurgias ortopédicas em Campo Grande, no HU (Hospital Universitário), médico e direção não se entendem sobre a responsabilidade dos procedimentos.

Em reunião com o MPE (Ministério Público Estadual) na última segunda-feira, o diretor do HU, José Carlos Dorsa Vieira Pontes, disse que operações em ombro não estão sendo feitas no local porque o especialista se recusa a fazer os procedimentos alegando não ser concursado para a função.

Já o médico falou ao MPF (Ministério Público Federal), nessa terça-feira, que as cirurgias não estão sendo realizadas porque nem todos os materiais necessários foram adquiridos pelo HU.

Fila- Enquanto não há solução para a questão, diversas pessoas convivem com dores a espera de cirurgia para dar fim ao sofrimento.

Segundo informações do HU ao MPE, 115 pacientes foram avaliados e atendidos pelo HU. Destes, aproximadamente 70 necessitam de cirurgia de ombro.

Já a Santa Casa ao 116 pacientes. De acordo com o MPE, o diretor suplente da Junta Administrativa da Santa Casa, Nilo Sérgio Laureano Leme, disse que o hospital vem fazendo uma média diária de 30 a 35 cirurgias de urgência e que a dificuldade maior é o espaço no Centro Cirúrgico.

Ele disse ainda que será feito consulta em 61 pacientes da demanda judicial, no final de semana, para avaliação quanto à necessidade de cirurgia e esclareceu que está em negociação com os ortopedistas para a realização dos procedimentos eletivos.



melhor nao faser que despois ser cassado
 
vanderlei marques em 22/03/2012 06:37:00
Conheço as deficiências na área de saúde em MS. E da área de ortopedia, e creio que a deficiência, não esta tanto na negativa da realização de cirurgias, mas sim nas condições estruturais que não dá condições aos profissionais da saúde de realizar com tranquilidade os procedimentos necessários. Ex: pois uma estrutura para dez cirurgias diárias, não comportara uma demanda maior, que isto.
 
luís eloy alves da costa em 21/03/2012 09:19:42
Estou nessa fila... ha14 meses após um acidente de moto, onde houve o rompimento total do ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo, aguardo pra fazer uma video artroscopia, a laser só realizada nesse hospital, esta marcada pro dia 29 de maio.... se não houver nenhum incidente, acho que agora sai...
 
PEDRO PAULO PONTES em 21/03/2012 06:01:22
João Alves,
A tua pergunta deveria ser: E porque não compraram o material para a cirurgia? Porque não fizeram um concurso público para esta função? Cadê as verbas que chegam todo mês para material?
 
Gisele Silva em 21/03/2012 05:55:28
Um dos médicos não faz a cirurgia de ombro porque falta materiais o outro não faz porque não foi concursado para esta função. E os pacientes como ficam? Estamos na terra de zé ninguém onde as pessoas fazem o que bem entendem.
 
JOÃO ALVES DE SOUZA em 21/03/2012 04:13:55
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions