ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  31    CAMPO GRANDE 18º

Capital

Médicos e enfermeiros acionam Justiça contra a Santa Casa por atraso no FGTS

Depósitos não são feitos desde agosto de 2018 e este ano, nada foi depositado devido pandemia, conforme liberação da União

Por Lucia Morel | 18/09/2020 18:11
São pelo menos 3 mil profissionais com FGTS em atraso. (Foto: Assessoria Santa Casa)
São pelo menos 3 mil profissionais com FGTS em atraso. (Foto: Assessoria Santa Casa)

Os sindicatos dos médicos e de enfermagem de Mato Grosso do Sul já acionaram a Justiça do Trabalho para cobrar da Santa Casa os depósitos de FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) devidos aos profissionais desde, pelo menos, agosto de 2018.

Segundo o Sinmed (Sindicato dos Médicos), a ação proposta é coletiva. Já o Siems (Sindicato de Enfermagem) definiu propor ações individuais, sendo que cada funcionário deve procurar a entidade, que ajuíza o processo.

Presidente do Sinmed, Marcelo Santana, enfatiza que houve uma tentativa de acordo com o hospital, de pagamento ao menos parcial do fundo, o que não foi cumprido. Com isso, decidiu-se impetrar a ação.

O processo judicial abrange todos os médicos celetistas, que já estavam trabalhando daquele período em diante (novembro 2018) e também os que saíram a partir de então. “Estamos cobrando que esse FGTS seja recolhido”, sustenta, ressaltando que no caso dos médicos, a cobrança se refere a período a partir de novembro de 2018.

Helena Delgado, presidente do Siems, comenta que são 1,2 mil profissionais de enfermagem que atuam em regime celetista na Santa Casa e cada um, pode procurar o sindicato para ingressar com as ações individuais.

Ela disse ainda que a média de FGTS devida para quem é profissional de nível superior é de R$ 12 mil e para os de nível médio, em torno de R$ 5 mil a R$7 mil. “Para alguns, além do pedido de recolhimento, teremos que entrar com pedido de danos morais e materiais, porque temos casos de quem não conseguiu financiar a casa própria porque não tinha FGTS”, disse.

O Campo Grande News relatou o problema em 22 de agosto, em matéria que mostrava que são, ao todo, cerca de três mil profissionais sem o depósito do FGTS em dia.

Segundo o hospital, "a dívida do FGTS foi negociada com a Caixa Econômica Federal e há parcelamentos em andamento que estão sendo honrados. Já os valores deste ano, vencidos no período de pandemia, tiveram os pagamentos adiados, conforme previsto pelo governo federal."

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário