A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

14/05/2018 10:45

Mesmo sem chuva, cuidado com quintal deve continuar contra dengue

Liniker Ribeiro
Aposentada reclama do abandono em terreno vizinho ao local onde mora (Foto: Liniker Ribeiro)Aposentada reclama do abandono em terreno vizinho ao local onde mora (Foto: Liniker Ribeiro)

Apesar da breve chuva que ocorreu nesta semana, a previsão é de começo do período de estiagem. Mas os cuidados com terrenos baldios e com a limpeza dos quintais devem continuar. O alerta é da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) para evitar focos de reprodução do mosquito Aedes Aegypti, transmissor de doenças como a dengue.

Mas nem todo mundo tem feito a tarefa de casa. Moradores da região central de Campo Grande, por exemplo, estão preocupados com a sujeira e a situação de terrenos baldios onde entulhos acumulados há bastante tempo, têm causado dor de cabeça.

“Eu e meu filho, de 27 anos, tivemos dengue. Uma vizinha e funcionários de um empresa aqui perto também. Até quando vai ficar assim? Já fui na Defensoria, na prefeitura, mas não adiantou nada”, revelou a aposentada Samira Kalache, de 61 anos, que afirmou sentir medo de sofrer novamente com a doença.

O terreno que dona Samira cita está localizado na rua Calarge. No local, é possível encontrar restos de materiais de construção, móveis e diversos outros objetos acumulados. O desejo da moradora é que o espaço seja limpo mais rápido possível, mas segundo ela, nada foi feito pelo proprietário.

No local há eletro e eletrônicos velhos, móveis e diversos outros produtos abandonados (Foto: Liniker Ribeiro) No local há eletro e eletrônicos velhos, móveis e diversos outros produtos abandonados (Foto: Liniker Ribeiro)

“Ele já falou que não vai fazer nada, que está cansado de limpar e queria até que alguém fizesse uma vaquinha para ajudar a pagar”, afirmou dizendo que a situação se repete há pelo menos dois meses.

Dona Maria Barbosa também reclama da situação. “Os vizinhos encontraram ratos, escorpiões, vários bichos. Aqui não sou de encontrar, mas porque faço questão de jogar veneno, aguar bem minhas plantas, tudo para prevenir”, disse.

Para o coordenador de controle de endemias vetoriais da Capital, Eliasze Luizo Guimarães, a rotina de cuidados não pode mudar. "A preocupação deve ser a mesma o ano inteiro, fazer o controle mecânico do ambiente que você mora ou trabalha ,evitando qualquer recipiente que possa acumular água", orienta.

Os cuidados em casa também devem se estender aos ralos, calhas e todo e qualquer outro tipo de local que possa servir para acumular água. "Agora é o melhor momento para cuidar, porque assim, quando chegar o verão, nós teremos um momento confortável", alerta o coordenador.

Ainda segundo ele, agentes de combate de endemias e de saúde pública trabalham durante todo o ano para orientar a população e fiscalizar terrenos e residências. Apesar disso, todo mundo tem que ter a consciência de manter todos os cuidados no dia a dia. Casos de terrenos como o da Rua Calarge, são repassados à Semadur (Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Gestão Urbana).

Por meio de nota, a prefeitura da Capital informou que como o local está registrado como sendo predial, denuncias de casos como esse devem ser destinadas a Sesau.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions