A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

29/01/2011 13:45

Moradores do Paulo Coelho Machado bloqueiam rua em protesto

Ricardo Campos Jr.

Eles reclamam de poças formadas pela chuva

Lagoas no cruzamento da Lourenço Torres Cintas com a Jaguar e Ana Jacinta de Oliveira duram cerca de 1 semana, de acordo com moradores. (Foto: Ewerton Tabosa Flores)"Lagoas" no cruzamento da Lourenço Torres Cintas com a Jaguar e Ana Jacinta de Oliveira duram cerca de 1 semana, de acordo com moradores. (Foto: Ewerton Tabosa Flores)

Moradores do bairro Paulo Coelho Machado interditaram por conta própria as esquinas da rua Lourenço Torres Cintas com a Jaguar e Ana Jacinta de Oliveira, por onde passa a principal linha de ônibus do bairro. O motivo é as lagoas que se formam após a chuva que por vezes, de acordo com moradores, demoram uma semana para secar.

O porteiro Ewerton Tabosa Flores, 27 anos, mora na região e explica que a rua em questão é uma das poucas que receberam asfalto na região e se trata do acesso à Avenida dos Cafezais, principal via de acesso da região.

Foram colocados galhos de árvore e cordões que sustentam placas com as reivindicações da população. “O ônibus está desviando por uma rua toda esburacada e barreada”, relata o porteiro.

De acordo com o morador, a água escoa conforme os veículos, principalmente coletivos e caminhões, passam pelo local, além da própria ação do tempo. O que os moradores realmente temem é a proliferação de larvas do mosquito da dengue.

De acordo com Ewerton, o protesto dos moradores pode ir um pouco mais longe. Os manifestantes estudam a possibilidade de parar os ônibus que tentam desviar do bloqueio por outras ruas. Apesar de achar o protesto necessário, o porteiro considera a interdição um ato inoportuno.

“No Guanandi o pessoal fez greve o prefeito não foi e mandaram a Polícia. Vão deixar para reivindicar justo agora? O que a prefeitura pode fazer? Nada. Está certo, tem que reivindicar, mas esperasse voltar um pouco ao normal. Os agentes de saúde nem estão trabalhando”, diz o morador.

A rua em que Ewerton mora, paralela à Lourenço Torres Cintas, não tem asfalto. Para chegar a outros locais do bairro ele relata que precisa usar a rua. O único veículo que ele dispõe é uma motocicleta. Hoje, segundo ele, foi levá-la para abastecer e teve de usar vias esburacadas e enlameadas por conta do bloqueio.

A assessoria de imprensa da Prefeitura de Campo Grande prometeu entrar em contato com algum responsável pela secretaria de obras e dar um retorno assim que possível a respeito do que será feito com relação ao protesto.

Universidade do MS recebe certificação de excelência em gestão
Será recebida pela UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) em solenidade que acontece na próxima segunda-feira (18) o certificado de excelência em ges...
Águas Guariroba continua com campanha de renegociação de dívidas
Vai até o dia 29 deste mês a campanha "Fique em Dia", realizada pela Águas Guariroba para renegociar as dívidas que os consumidores têm com a empresa...
Prefeitura e TJ prorrogam renegociação de dívidas ajuizadas até 3ª
O programa de refinanciamento de dívidas da Prefeitura de Campo Grande foi prorrogado até o dia 19 de dezembro, a próxima terça-feira, no Centro de C...


Isso foi em 2009, continuo morando proximo ao bairro,(na data morava no bairro em questão) no Varandas do campo e até hoje não resolveram o problema.
 
Ewerton Tabosa em 30/12/2012 15:45:21
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions