A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

14/04/2011 08:11

Calçada tem até escada em rua do bairro Otávio Pécora

Paula Maciulevicius

Segundo moradores, o desnível de casas com asfalto é a causa das irregularidades

Escada e corrimão ocupam calçada em rua do bairro Otávio Pécora. (Foto: João Garrigó)Escada e corrimão ocupam calçada em rua do bairro Otávio Pécora. (Foto: João Garrigó)

Um passeio pelas vias do bairro Otávio Pécora, em Campo Grande, só pode ser feito pelo meio da rua. O desnível e "soluções" encontradas por alguns proprietários complicam a passagem.

A Rua Jacamim, esquina com a Galo da Serra, é exemplo da dificuldade que moradores têm para se adequar as normas de acessibilidade: uma escada no meio da passagem. Além da rampa para entrada do carro, os degraus e um corrimão fazem com que o pedestre precise mesmo desviar a rota.

O proprietário da casa, da rampa da garagem e da escada, fala ter sido autuado pela prefeitura, depois de uma denúncia, na tarde de ontem (13). O comerciante Edson Caballero, 42 anos, justifica que sem o rebaixamento não tem como estacionar o carro, e sem a escada não há como entrar ou sair de casa.

Ele questiona como a prefeitura vai fazer para autuar quem estiver com calçada irregular. “Aqui todas as casas são assim. Vai multar só uma? Todo mundo precisa se adequar”, fala.

Segundo ele, o fato do bairro ter crescido em uma baixada da cidade explica os desníveis entre uma casa e outra, e com o asfalto. “Está certo de querer regular, mas como é que eu vou fazer? Notificaram e eu não sei como agir”, comenta.

A escada, corrimão e a rampa foram feitos há quatro anos e de acordo com ele, por extrema necessidade do morador. “Aqui não é só uma rua. Eu tiro se for o caso, mas não posso deixar meu carro para fora”, afirma.

Morador explica que não consegue entrar em casa sem escada e rampa. (Foto: João Garrigó)Morador explica que não consegue entrar em casa sem escada e rampa. (Foto: João Garrigó)

O problema do comerciante se repete. Juntando com as duas casas vizinhas, a equipe do Campo Grande News pode contar pelo menos quatro desníveis. “É complicado, não tem como o cadeirante passar, mas não é só nessa rua”, garante Edson.

Um pouco mais adiante, na Rua Tietinga, a estudante Lorena Maris, 15 anos, afirma que aquela situação é normal no bairro, e que sempre existiu.

“Andar é só pela rua. As casas que estão mais certas são aquelas que foram reformadas. Mas as antigas mesmo, sempre foram assim”, diz.

A prefeitura, através da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Planejamento Urbano) está fiscalizando a acessibilidade nas calçadas da Capital, que compreende questões como rampas de acesso aos cadeirantes, rebaixos de meio fio e utilização de piso tátil.

Pelas ruas, uma casa que parece fugir à regra do bairro. O aposentado Ariovaldo Guimarães, 61 anos, terminou a reforma em novembro do ano passado. Além de mexer na casa, o morador aproveitou para adequar a calçada. Foi colocado piso tátil, e o meio fio rebaixado como manda a norma.

“Sabendo da exigência, a gente correu atrás. Acho que agora as pessoas vão tomar consciência e acertar”, comenta.

A questão volta a ser o problema de desnível no bairro. Segundo o morador Ariovaldo, por onde as pessoas andarem no Otávio Pécora, vão encontrar a situação. Por mais que a residência seja exceção ao que parece regra, o aposentado afirma que nivelar a calçada foi uma boa opção.

“Tem cadeirante, já vi deficiente visual passar por aqui. E é bom até para os pedestres mesmo”, finaliza.

Promotoria e prefeitura firmam acordo para recuperar área de preservação
Foi celebrado entre o MPE (Ministério Público Estadual) e a prefeitura de Campo Grande acordo para recomposição da vegetação nativa da área de preser...
Concurso recebe inscrições para 83 vagas técnico-administrativas
Seguem abertas as inscrições para o concurso que oferece 83 vagas para técnico-administrativos em Educação na UFMS (Universidade Federal de Mato Gros...
Vice-governadora visita projeto em que detentos reformam escolas
O projeto "Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade", desenvolvido pelo Poder Judiciário estadual, foi conhecido e elogiado na sexta-feira (...
Crianças do Vespasiano Martins recebem Papai Noel e ganham presentes
As crianças do loteamento Vespasiano Martins, na periferia de Campo Grande, receberam a visita especial do Papai Noel neste sábado (16). Foram distri...


isto tudo sem falar das calçadas das áreas públicas né?!?! tanto do município quanto do estado e união... E aí José???
 
frederico moraes em 15/04/2011 03:46:23
A prefeitura deveria fazer as calçadas de forma padronizada, se o morador destruir por algum motivo aí sim deveria ser multado, ja que não somos donos das calçadas mesmo.
 
Neide Rosa em 14/04/2011 11:52:30
Aqui no Cabreúva não é muito diferente, temos exemplos parecidos, na rua Dos Ferroviários bem ao lado da saída do estacionamento da feira central tem uma casa muito bonita com um quintal grande cheio de grama bem verdinha, e uma cerca de pingos de ouro que começa no muro e termina próximo ai meio fio impedindo a passagem do pedestre por onde deveria ser a calçada, ai perguntamos cadê a fiscalização que já veio na minha casa exigir a colocação do piso tátil e não vê essas coisas por aqui?
 
Oswaldo Benites em 14/04/2011 10:13:36
Campo Grande é a cidade dos carros estacionados na contra mão, parece, na roça, Policiamento de Trânsito, me da licença.
 
Aparecido Nogueira em 14/04/2011 10:12:28
Tem que meter multa mesmo. Um absurdo isso. E omais engraçado e ver gente relcamando da ação da prefeitura, querendo que a prefeitura "de opção" para os infratores. Mete multa nestes "cidadãos" que de cidadania não sabem é nada!
 
Tatiane Vaz em 14/04/2011 10:07:24
O pior é que este problema não se restringe a este bairro, a cidade toda passa pelo mesmo problema.
 
Marco Aurélio Alves em 14/04/2011 09:50:46
Se o problema fosse somente neste bairro... O problema está na maioria das ruas por onde andamos. A Prefeitura deve sim tomar providencias, nao multando primeiro. Deveria notificar, dar a solução pro morador e dar o prazo pro morador se adequar. Isso deveria ocorror em toda cidade. Até mesmo na area central, tem calçadas que quando nao estão quebradas estão obstruidasb por muretas, plantas, etc.
 
MARA MELLO em 14/04/2011 09:25:25
Sou a favor, todos tem direito a acessibilidade, porem a prefeitura não pode so cobrar do morador que sem conhecimentos técnicos deu uma solução para aquilo que pra ele era um problema (o desnivel). A prefeitura antes de cobras e punir o proprietario,deveria oferecer soluções técnica, estabelecer um prazo, porque é facil somente mandar equipes as ruas pra aplicar multas, ísso é saquear o povo, é fazer caixa pra prefeitura. Outra sugestão comece pelo centro da cidade, veja que porcaria de calçada, que asfalto esburacado, todo remendado caroquento. Os bairros muitos não tem nem asfalto ou o asfalto tá fora da acessebilidade?
 
Edilson Pereira da Silva em 14/04/2011 09:17:18
Na maioria dos bairros é muito comum as pessoas andarem pelas ruas.
 
Thiago Kalunga em 14/04/2011 05:45:06
No Bairro São Francisco não é diferente, rua Amazonas, Brasília, rua Eça de Queiroz e tantas outras a calçada é todo desnivelada, só andando pela rua mesmo, até no final de 14 de julho, na calçada da ferroviária, não tem como andar e se tiver carro estacinado aí o perigo fica maior prque temos que cuidar o trânsito para não sermos atropelados, porque depois a feira até na Euler de Azevedo os carros vem num "pau" só, no cruzamento com a Eça, dia sim e dia não tem acidente ali.
 
Maria Santos em 14/04/2011 05:41:39
TEM QUE MULTAR TODO MUNDO, A ESCADA NÃO PRECISA TER OS DEGRAUS TÃO LARGOS, QUANTO AO MURO DO CONDOMINIO TEM QUE DERRUBAR E COLOCAR O MURO DENTRO DO TERRENO, ISSO É INVASÃO DE AREA PUBLICA, VAI DIZER QUE PAGA IPTU DA CALÇADA TAMBÉM?
 
MAXIMILIANO NAHAS em 14/04/2011 05:29:58
acho que nos ilustres vereadores e prefeito da Capital, so querem ferrar os contribuintes, no meu bairro as calçadas não tem meio metro por conta de um muro de um condominio que invadiu as rua, onde esta a fiscalização? e pensei em tirar a minha arvore pára poder construir melhor a calçada, mais não pode,e o poste da enersul toma conta da calçada tb.. da licença vão procurar o que fazer os senhores ilustres vereadores e prefeito.. olhem as ruas da cidade cheias de buracos, corrégo com obras mal feitas, com sacos de areia.. onde foi parar tanto investimento assim? vão cuidar de suas vidas deixem os moradores da cidade e dos bairros em paz..
 
Marcelo Dias em 14/04/2011 03:24:30
Concordo com a medida, mas porque não dividem as equipes e coloca uma delas para fiscalizar os buracos nas ruas e calçadas de responsabilidade da prefeitura ?

Porque não fiscalizam as filas duplas em frente a escolas ? Isso sim atrapalha de verdade. Calçadas em bairros isolados não prejudicam ninguém.
 
Mattiello Junior em 14/04/2011 02:42:34
Neste mesmo bairro na esquina da Uiratata com a Curiango, o morador enceheu a calçada de plantas inclusive com espinhos que não permite transito pelo local.
 
Jose Aparecido em 14/04/2011 02:16:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions