A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

19/04/2013 16:40

Moradores madrugam, enfrentam fila e não conseguem marcar exames

Nadyenka Castro e Mariana Lopes
Fila de usuários a espera de atendimento em posto de saúde no Coophavila. (Foto: Marcos Ermínio)Fila de usuários a espera de atendimento em posto de saúde no Coophavila. (Foto: Marcos Ermínio)

Moradores da Coophavila 2, na saída para Sidrolândia, em Campo Grande, não estão satisfeitos com o atendimento nas unidades de saúde do bairro. De acordo com eles, é preciso chegar de madrugada para ser atendido, os funcionários não dão a devida atenção e também não conseguem marcar exames.

A salgadeira Neli Pereira Rodrigues, 48 anos, conta que chegou à unidade de saúde por volta das 6 horas e só recebeu atendimento às 8h. “Quando eu cheguei aqui, já tinha umas 30 pessoas na minha frente”, diz Neli, que teve a consulta agendada para 13 de maio.

Neli diz ainda que como não conseguiu marcar exames de raio –X e ultrassom, teve que pagar em uma clínica particular. “Tentei em três postos e não consegui, aí tive que pagar”.

Elenita Pereira Franco, 42 anos, reclama do mal atendimento dos funcionários. “Eles tratam a gente como se fosse lixo”. De acordo com a cozinheira, a situação é ainda pior com pessoas mais humildes. “Quando vê que a pessoa é de classe mais baixa, trata pior”, indigna-se. Elenita chegou ao posto 6h30min, e conforme ela, “já estava lotado”.

A empregada doméstica Cristiane Conceição, 30 anos, diz que a orientação que recebeu do posto de saúde é para ela – e os demais – chegar às 7 horas, porque o atendimento começa às 8 horas. Mas, segundo ela, a realidade é bem diferente.

Quem precisa de atendimento chega às unidades de saúde na madrugada. Algumas vezes a fila começa a andar só após às 8 horas. “Começa a ser atendido 8 horas se o médico não atrasa. Aí, o atendimento vai começar após 8 horas”.

Segundo os usuários, há demora até o início do atendimento. Após isso, a fila anda rápido e os postos de saúde esvaziam.

A reportagem já entrou contato com a Prefeitura e aguarda retorno com resposta sobre a situação.

Desde a semana passada, o prefeito Alcides Bernal (PP) vem fazendo propaganda nos meios de comunicação de que colocou fim ao caos na saúde em Campo Grande. Cita que contratou médicos, implantou unidade volante e agilizou o atendimento à população. Ele também cita a política de combate a dengue. 

Unidade de saúde ficou lotada hoje cedo (Foto: Marcos Ermínio)Unidade de saúde ficou lotada hoje cedo (Foto: Marcos Ermínio)
Paciente mostra encaminhamento em posto (Foto: Marcos Ermínio)Paciente mostra encaminhamento em posto (Foto: Marcos Ermínio)


Essa situação faz jus ao slogan da propaganda "As pessoas em primeiro lugar"
 
Vladimir Gomes em 20/04/2013 09:11:06
Pelo menos na propaganda no rádio e na TV, está tudo uma maravilha. O Bernal esqueceu que a eleição já passou e continua em campanha eleitoral.
 
José Carlos Mesquita em 20/04/2013 07:22:36
MAS A POPULAÇÃO NÃO IA MARCAR CONSULTAS NAS FARMÁCIAS, NÃO ESTOU ENTENDENDO ESSE PREFEITO, TUDO PARECIA TÃO FÁCIL NO DISCURSO. QUE PALHAÇADA E VCS CAIRAM, AGORA É HORA DE PAGAR A CONTA PELA MUDANÇA
 
maria da silva em 19/04/2013 21:04:24
Engraçado fui em uma clínica particular fazer um exame e cheguei as 7h fui sair as 9h20 , paciente do Sus nao quer esperar ? faça o favor ne!!! e ainda mais que a demanda é grande , ser humano nunca tem paciência mesmo hein
 
Anderson Pereira em 19/04/2013 19:57:39
Calma gente, o Bernal vai resolver isso...
 
Henrique Oliveira em 19/04/2013 17:58:31
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions