A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 25 de Setembro de 2018

25/04/2018 18:00

Mortes por influenza causam corrida a clínicas da Capital em busca de vacina

Para quem não se enquadra no grupo de risco da doença, a saída é enfrentar filas e até lista de espera na rede particular

Geisy Garnes e Graziella Almeida
Filas nas clínicas são formadas nas calçadas (Foto: Paulo Francis)Filas nas clínicas são formadas nas calçadas (Foto: Paulo Francis)

As divulgação das quatro mortes por gripe confirmadas em Mato Grosso do Sul e de outras duas sob investigação provocou uma verdadeira corrida a clínicas particulares de Campo Grande em busca de vacinas contra o vírus causador da influenza. Para se proteger, quem está fora do grupo de risco enfrenta filas e até lista de espera com mais de 200 pessoas.

Essa foi a situação que o Campo Grande News encontrou em três clínicas da Capital. Na Vaccini, localizada no bairro Chácara Cachoeira, na tarde desta quarta-feira (25), a fila para receber a vacina contra as infecções causadas pelo vírus influenza ultrapassou a recepção e se concentrou na calçada.

Segundo informações da clínica, por dia, são atendidas cerca de 600 pessoas, que pagam R$ 160 pela dose da vacina quadrivalente. Na Imunitá o atendimento também era intenso nesta quarta-feira e os valores das doses variam de R$ 85 para a trivalente e R$ 135 para a tetravalente.

Na clínica Vaccini Care, o primeiro lote do medicamento acabou na manhã de terça-feira (24) e o próximo chega à Capital apenas na sexta (27). Enquanto isso, uma lista de espera já conta com mais de 200 pessoas. “A procura está muito grande”, disse uma das funcionárias do local.

Mortes - Das quatro mortes, duas são em Campo Grande, uma em Naviraí e uma em Aquidauana. Mais dois óbitos são investigados: de um bebê em Campo Grande e um homem de 72 anos em Aquidauana. Os dois morreram no dia 23.

 

Na rede pública, vacinação contra o vírus da gripe começou na terça-feira e é focada apenas em grupos de risco. (Foto: PMCG/Divulgação)Na rede pública, vacinação contra o vírus da gripe começou na terça-feira e é focada apenas em grupos de risco. (Foto: PMCG/Divulgação)

No ano passado, seis pessoas morreram com gripe –três foram diagnosticadas com o vírus A (H3N2). Em 2016, foram 103 mortes registradas.

Vacinação – Na rede pública de saúde, a campanha de vacinação contra a gripe começou nesta terça-feira. Em Campo Grande, as doses estarão disponíveis apenas nas 67 unidades básicas.

Segundo a SES (Secretaria Estadual de Saúde) a meta no Estado é vacinar 90% dos integrantes dos grupos de risco, que são: crianças de 6 meses a menores de 5 anos, gestantes, puérperas (mulheres de resguardo), trabalhadores da saúde, professores, povos indígenas, pessoas com mais de 60 anos, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, presos e funcionários do sistema prisional, além de pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis.

Matéria alterada àas 10h11 do dia 26 de abril para correção de informações.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions