ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUARTA  22    CAMPO GRANDE 27º

Capital

Morto a tiros por PM no Procon é empresário de venda de peças de camionetes

Antônio Caetano de Carvalho, 67 anos, foi até o Procon participar de audiência de conciliação com o policial

Silvia Frias e Bruna Marques | 13/02/2023 09:09
Empresário de 67 anos trabalhava no ramo de venda de peças. (Foto/Divulgação)
Empresário de 67 anos trabalhava no ramo de venda de peças. (Foto/Divulgação)

O empresário Antônio Caetano de Carvalho, 67 anos, foi identificado como a vítima dos tiros disparados durante esta manhã, na sede do Procon, na Rua 13 de Junho, região central da cidade. O autor dos disparos, que seria um policial militar, está sendo procurado.

Funcionária do Procon é amparada por colega. (Foto: Marcos Maluf)
Funcionária do Procon é amparada por colega. (Foto: Marcos Maluf)

A reportagem apurou que Carvalho foi até o Procon para audiência de conciliação com um cliente dele, encontro que deveria ter acontecido na sexta-feira e foi adiado para hoje. Os dois estariam discutindo o pagamento de débito de R$ 630,00, o que ainda não foi confirmado pela polícia.

Uma funcionária relatou ter ouvido pelo menos três disparos. A informação é que um dos tiros atingiu o empresário na cabeça, e ele morreu no local. "Foi desesperador, nos escondemos embaixo da mesa. O medo era ele atirar em todo mundo, foi muito rápido".

Carvalho é sócio-proprietário da Aliança Só Hilux, especializada em peças para Hilux e SW4. No currículo, consta experiência de 40 anos no setor automotivo, especialmente em gestão comercial de caminhões. O empresário tem histórico de atuação em Uberaba (MG) e, segundo rede social dele, havia se mudado para Campo Grande em agosto de 2016.

Várias viaturas das polícias Civil e Militar foram até o local do crime. (Foto: Marcos Maluf)
Várias viaturas das polícias Civil e Militar foram até o local do crime. (Foto: Marcos Maluf)

Logo após os tiros, equipes do Garras (Delegacia de Repressão de Roubo a Banco, Assalto e Sequestros), perícia da Polícia Civil, Guarda Civil Metropolitana e da PRF (Polícia Rodoviária Federal) foram até a sede do Procon. A unidade avançada do Corpo de Bombeiros chegou a ir até o Procon para prestar atendimento.

Funcionária coloca cartaz sobre fechamento do Procon após morte. (Foto: Marcos Maluf)
Funcionária coloca cartaz sobre fechamento do Procon após morte. (Foto: Marcos Maluf)
Corpo é retirado do Procon por funcionáris da Pax União. (Foto: Marcos Maluf)
Corpo é retirado do Procon por funcionáris da Pax União. (Foto: Marcos Maluf)


Nos siga no Google Notícias