ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 25º

Capital

Morto em acidente de moto, administrador de clube queria ser PM

Edivaldo Bitencourt e Raíza Calixto | 03/07/2015 17:21
Capacete utilizado por Rodrigo rachou após colisão com F-4000 (Foto: Fernando Antunes)
Capacete utilizado por Rodrigo rachou após colisão com F-4000 (Foto: Fernando Antunes)

A colisão da motocicleta com um caminhão F-4000, na noite de ontem, matou o administrador do Clube União dos Sargentos, Rodrigo Antônio Bernardes, 28 anos. A tragédia interrompeu os sonhos do rapaz, que tinha concluído a EJA (Educação de Jovens e Adultos) e se preparava para realizar o sonho de ingressar na Polícia Militar.

Dezenas de amigos e familiares compareceram ao velório de Bernardes, que ocorreu na capela do Cemitério Cruzeiro, na saída para Cuiabá. O clima era de comoção e tristeza.

Segundo o primo, Franklin de Oliveira Bernardes, 29, Rodrigo se envolveu no acidente quando voltava da casa de um amigo para a residência, no Bairro Santo Amaro. Durante uma ultrapassagem mal sucedida, o motociclista desviou de uma caçamba e colidiu com o caminhão F-4000 na Rua Pedro Balduíno da Silva, no Bairro Cooophasul, na saída para Rochedo.

Rodrigo não resistiu aos ferimentos causados pelo impacto e morreu no local. Socorristas do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) tentaram reanimá-lo sem sucesso.

Ele estava trabalhando há dois anos no Clube União dos Sargentos. Rodrigo morava com a mãe e tinha um espírito alegre. “Era risonho”, lembrou-se Franklin.

O sonho de ingressar na PM surgiu durante o serviço militar obrigatório no Exército. Muito festeiro, o jovem sempre deixava amigos e familiares preocupados ao pilotar a moto mesmo embriagado após as festas e saída com amigos. No entanto, ontem, segundo o primo, ele não tinha ingerido álcool.

Testemunhas relataram que Rodrigo estava em alta velocidade quando pilotava a moto Yamaha Factor 150 cilindradas.

Segundo a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), de 1º de janeiro até hoje, 34 pessoas morreram em acidentes de trânsito em Campo Grande. Deste total, 67,6% eram motociclistas.

Nos siga no Google Notícias