ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  22    CAMPO GRANDE 26º

Capital

Motorista de 18 anos que atropelou 5 não tinha CNH e confessa ter bebido

Aline dos Santos e Paula Maciulevicius | 31/12/2011 12:10

Em estado grave, feridos passam por exames na Santa Casa

Acidente foi nesta madrugada na rua Brilhante.
Acidente foi nesta madrugada na rua Brilhante.

Condutor do Fiat Uno que atropelou cinco pessoas nesta madrugada na rua Brilhante, Rafael Freitas Silva, de 18 anos, vai responder por lesão corporal e dirigir sem ter CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

Em depoimento, na Depac/Piratininga (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), ele relatou ter tomado duas latas de cerveja. O condutor se recusou a fazer teste do bafômetro. Também não há termo de constatação de embriaguez, que é feito no local do acidente quando o condutor apresenta sinais de estar sob efeito de álcool. Ele prestou depoimento e foi liberado.

O atropelamento ocorreu por volta das 4h deste sábado. O veículo atingiu cinco pessoas que saiam de uma lanchonete. As vítimas são: Maria Cleusa da Costa, de 45 anos; Adilson da Costa Leite, de 45 anos; Vanderlei Roberto da Silva, de 31 anos; Heve Melo Vaz, de 19 anos; e Edilson Quadros Leite, de 45 anos.

Segundo testemunhas, o Uno vinha em alta velocidade quando o condutor perdeu o controle do veículo ao tentar ultrapassar um táxi que trafegava no mesmo sentido. Rafael permaneceu no local do acidente.

"Eu queria levar ela para a casa hoje", diz filha de vítima. (Foto: Simão Nogueira)
"Eu queria levar ela para a casa hoje", diz filha de vítima. (Foto: Simão Nogueira)

Na Santa Casa de Campo Grande, os familiares acompanham o atendimento dos feridos. Em estado grave, desde a madrugada os pacientes passam por exames como tomografia e raio-x.

“Minha mãe está na enfermaria, entubada. Eu queria levar ela para a casa hoje”, conta Francyelle Costa Cordeiro, de 24 anos. Conforme a filha, Maria Cleuza foi ao local com dois colegas de trabalho. “Eles estavam saindo, já iam entrar no táxi. Estavam no lugar errado e na hora errada”, lamenta.

Irmão de Edilson, Áureo Quadros Leite, de 46 anos, relata que ele mora em Aquidauana e veio a Campo Grande para buscar a filha, que chegaria de viagem. “Estávamos preparados para uma festa e veio esse balde de água fria. Esse motorista devia estar alcoolizado”. Edilson sofreu uma pancada na cabeça.

Também vítima do atropelamento, Adilson da Costa Leite respira com auxílio de aparelhos. “Estou esperando o resultado dos exames”, diz seu irmão Vander Santos Silva, de 25 anos.

Nos siga no Google Notícias