A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

19/08/2013 14:18

MPE denuncia e autor de acidente na Rua Ceará pode ir a júri popular

Luciana Brazil
Com a batida, o poste de energia precisou ser trocado. (Foto:Cleber Gellio)Com a batida, o poste de energia precisou ser trocado. (Foto:Cleber Gellio)
Leitora Ellen Chaves flagrou o momento do acidente (Foto: Ellen Chaves)Leitora Ellen Chaves flagrou o momento do acidente (Foto: Ellen Chaves)

O Ministério Público Estadual (MPE) denunciou o motorista Aderivaldo de Souza Ferreira Júnior, 25 anos, por tentativa de homicídio qualificado, com dolo eventual, depois do condutor provocar um acidente no dia 3 de agosto, na rua Ceará, onde três jovens ficaram gravemente feridos. Aderivaldo foi acusado pelo MPE por dirigir embriagado e em alta velocidade.

A decisão é do promotor de Justiça Humberto Lapa Ferri, da 20° Promotoria de Justiça de Campo Grande. De acordo com o processo, houve dolo eventual na conduta de Aderivaldo. Foram solicitadas perícias e oitivas, além do interrogatório do réu, “com posterior condenação pelo Tribunal do Júri”.

Aderivaldo bateu o veículo, Uno, em um poste de iluminação, por volta das 2h30 da madrugada, no dia 3 de agosto, na Rua Ceará, esquina com a Rua Amazonas, em frente à farmácia São Bento.

Na batida, os outros ocupantes do veículo, Lucas Adriano Leite Nogueira de Oliveira, Catarina Rosa Mantovan e Otavio Sol Cotte, ficaram feridos. Catarina, 19 anos, continua internada na Santa Casa com traumatismo craniano.

Acidente - Os jovens tinham saído do bar Bartolomeu, no bairro Chácara Cachoeira e pretendiam comer em uma lanchonete da região quando aconteceu o acidente. Aderivaldo, que tinha bebido vodca, perdeu o controle do carro e bateu com violência contra o poste. Ele teve escoriações na cabeça e no rosto.

Lucas Leite de Oliveira, 19 anos, que estava no banco de trás do veiculo, quebrou braço, perna, bacia e ficou em estado grave. Otávio Sol Cotpe, 19 anos, saiu ileso do acidente. 

Alta - Lucas recebeu alta da Santa Casa de Campo Grande. O jovem quebrou o fêmur das duas pernas, fraturou o braço, a clavícula e teve cortes no rosto. Ele passou por três cirurgias e se recupera em casa, no bairro São Francisco.

O caso mais grave é o da estudante de direito, Catarina Mantovam, que permanece internada na CTI da Santa Casa.



Duro é julgar as pessoas sem conhece-las, ninguém deseja o mal para ninguém e desejo que esta jovem melhore e retorne a sua vida normal... mas sou amiga do Aderivaldo e conheço muito bem ele para saber que não fez isso por mal.. foi um acidente e quantos e quantos pai de família não vão a festa de aniversários bebem e retornam para casa com família e filhos no carro após ter bebido... ele não fez por mal.. perdeu o controle.. é um menino de coração muito bom!!!! torço para que de tudo certo para ele!!!
 
Ane Fernandess em 05/09/2013 10:40:09
O MPE tem que intervir sempre..... mas julgar apenas 1 rapaz é injustiça.... Aquele cara que estava fazendo racha na Afonso Pena que acertou o táxi? Cade? O cara que atropelou e matou o motociclista na frente do shopping. Esse rapaz tem residencia, tem emprego fixo e não tem antecedentes. Eu acho que se é para fazer justiça tem que ser feito com todos... só pq esse não tem grana...... e outra.... todos os ocupantes do carro estavam alcoolizados. Vc entra no carro com um bêbado porque quer..... eles também tem que ser responsabilizados...... não tinha nenhum são...... sou a favor da JUSTIÇA PARA TODOS COM IGUALDADE.
 
Mariana Reisu em 05/09/2013 08:44:10
É por ai o caminho, o MPE, realmente tem que intervir, em crimes como o ocorrido.
Espero que façam isso, como todos que praticarem esse tipo de crime.
 
Juan Charlymoon em 20/08/2013 09:59:47
isto não vai dar em nada por que o motorista que matou o segurança em frente ao shopping campo grande esta solto ,pra punir tem que punir todos só por que o cara ou melhor o pai do cara tem grana ele fica solto ,foi um desse que tirou a vida do meu pai quando eu tinha sete anos de idade .
 
marcio duarte em 20/08/2013 06:57:23
Falta os assassinos do caso do motel, eles também deveriam ir a juri popular. Deve ter gente graúda no meio, porque estão espirrando esse caso já e não querem que vá a juri, sem falar que o caso daqui a pouco prescreve, já ta indo pra 10 anos ou mais que ocorreu o crime.
 
MAXIMILIANO RODRIGO ANTONIO NAHAS em 19/08/2013 16:56:00
Ta certíssimo o MPE e acho que ainda foi pouco ...porque o que tem ai nas noites campograndense é bebado ao volante.....essas saidinhas de bares e conveniencias estao lotados desses irresponsáveis filhos de papai que tem dinheiro e nao se preocupam com o que os filhos fazem nas ruas. sao todos omissos ...tanto os pais como os filhos !!!!
 
ROGERIO CARVALHO em 19/08/2013 16:19:36
Concordo com a ação do Ministério Público Estadual e digo mais, isso deveria acontecer em toda a cidade. Deem uma olhada na Duque de Caxias, tantas placas que foram arrancadas por motoristas e não sai do bolso de quem cometeu tal ato.
Fiscalização, transparência e efetiva cobrança de quem deve.
 
Simone de Farias em 19/08/2013 15:49:46
Falta o bandido que matou o segurança no semáforo da Av. Afonso Pena(frente ao shopping) ir para juri popular. Só porque ele é rico, até agora ninguém fez nada.
 
Thiago Marques em 19/08/2013 15:45:43
Ótima ação do MPE.
E os custos da manutenção do poste deveriam sair do bolso do motorista.
E obrigar ele a fazer trabalhos sociais também.
 
Denny Sakakibara em 19/08/2013 15:01:29
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions