A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

30/10/2014 16:41

MPE investiga prefeitura por omissão no tratamento de 50 crianças com Aids

Lidiane Kober

O MPE (Ministério Público Estadual) abriu inquérito para investigar suposta omissão da Prefeitura de Campo Grande no atendimento a 50 crianças com Aids. Elas são acolhidas pela Afrangel (Associação Franciscanas Angelinas), que corre o risco de fechar as portas por falta de recursos para manter a entidade.

Preocupadas com o futuro das crianças, as freiras procuraram a promotora Paula Volpe. “Elas me pediram ajuda porque o valor repassado pela prefeitura não é suficiente para manter os serviços prestados pela associação”, contou a promotora.

O problema, segundo às freiras relataram a Paula, surgiu após a prefeitura renovar o convênio, com receita menor. “Mudou o convênio, prometeram repassar o mesmo valor, porém, isso não aconteceu”, revelou a promotora. Desde então, a associação tenta, sem sucesso, renegociar o contrato.

Para tentar agilizar o processo e evitar prejuízo às crianças, a promotora de Justiça foi à Secretaria Municipal de Assistência Social. “Fiz uma reunião com secretária (Janete Benini), ela garantiu que o repasse não será cortado”, relatou.

Porém, sobre o pleito de aumento do valor, a titular da pasta frisou a Paula enfrentar, ao mesmo tempo, pressão de outras entidades por mais verba. “A secretária disse que precisam ajudar outras entidades”, comentou a promotora.

A reportagem entrou em contato com assessoria da prefeitura e da Secretaria Municipal de Assistência Social para saber detalhes da negociação, que já se arrasta pelo menos desde o início do ano. Porém, até a publicação da matéria, não obteve retorno. A Afrangel também não retornou a ligação para informar o déficit financeiro.

Trabalho - O Lar das crianças com Aids, como é popularmente conhecido, oferece assistência a 50 crianças soropositivo com serviços de reforço escolar, dentista, psicóloga, fonoaudióloga, recreação, alimentação nutricional, informática, acompanhamento médico e social.

Para promover o convívio familiar, as crianças são pegas em casa no início da manhã e retornam para suas casas no fim da tarde. A entidade tem um ônibus para realizar o transporte. As famílias ainda recebem visita domiciliar em uma cesta básica por mês.

O serviço, no entanto, corre o risco de ser interrompido. "As freiras informaram que podem fechar as portas", alertou a promotora de Justiça. Além do repasse da prefeitura, a entidade sobrevive de doações.

Lar das Crianças com Aids realiza churrasco beneficente no próximo domingo
No próximo domingo (9) será realizado o último churrasco beneficente do ano para a Afrangel (Associação Franciscanas Angelinas) - Lar das Crianças co...
Brinquedos feitos por detentos são doados para crianças em escola
Parceria feita entre a a Semed (Secretaria Municipal de Educação) e a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) garantiu ne...
Falta de pagamento faz prefeitura suspender hemogramas na rede pública
A falta de pagamento para um fornecedor de insumos fez com que a prefeitura de Campo Grande suspendesse a partir desta quarta-feira (13) a realização...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions