A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

06/07/2018 15:10

Na favela, decoração e televisão compartilhada marcam jogo do Brasil

No Bom Retiro as ruas de terra batida estão vazias porque os moradores estão concentrados vendo o jogo

Izabela Sanchez
Tatiana assiste o jogo com a família nesta tarde (Fernando Antunes)Tatiana assiste o jogo com a família nesta tarde (Fernando Antunes)

No bairro Bom Retiro, um dos quatro lugares para onde foram levados os moradores da favela Cidade de Deus, há muito do que reclamar. O lugar é uma promessa não cumprida pela administração municipal de que os moradores ganhariam casas novas. Ali barracos dividem espaço com casas ainda em construção, levantadas pelos próprios moradores.

Nesta sexta-feira (6), no entanto, a favela está de verde e amarelo. O jogo, que já foi para o segundo tempo, está apertado, mas a esperança decorou as casas e os moradores, que não dispensam a indumentária brasileira. Ali, jeitinho, comunidade e televisão compartilhada marcam a tarde.

É o caso dos amigos Marcelo Rosa Moreira da Silva, 32 e Cleber Garcia de Alencar, 34. “Começou agora, vamos daqui a pouco”, comentou Marcelo, no início do jogo. “Lá vamos estar em cinco pessoas. Me chamaram pra ver em outro lugar, mas tenho que trabalhar depois, então vou assistir em casa mesmo”.

Quem também compartilha com os amigos é Josué dos Santos Silva. “Vieram pedir para assistir aqui. Nós vamos colocar a antena digital”, falou, enquanto arrumava a televisão no início do jogo. Ali, filhos e amigos lembravam de uma época antiga, das vitórias passadas e defendem que os jogadores já foram melhores.

 

Alex escapou do trabalho para assistir ao jogo (Fernando Antunes)Alex escapou do trabalho para assistir ao jogo (Fernando Antunes)

“Hoje em dia o time tem dificuldade para ganhar mas ganha”, afirmou Josué, que arriscou um 2x0 para o Brasil. Inês Aparecida, 37, do lar, preferiu ver na casa de Josué. “Tenho TV em casa, mas preferi vir aqui, estou sozinha em casa com os filhos”, contou.

Alex Rodrigues, 30 e Tatiana Cardoso, 30, assistiam em casa com os filhos, todos vestidos de verde e amarelo. “Os jogos que está dando estamos vendo juntos. Estou desanimada, mas vamos reverter”, falou Tatiana, que já assistia o Brasil levar o primeiro gol. “Eu instalo antenas, tem uns caras trabalhando hoje, mas eu dei um jeito”, revelou Alex.

Kombi decorada na casa de Júnior Alves (Fernando Antunes)Kombi decorada na casa de Júnior Alves (Fernando Antunes)

Na casa de Junior Alves, 33, até a kombi estacionada ganhou uma bandeira do Brasil. Mesmo com os dois gols do primeiro tempo, ele arrisca 4x2 para o Brasil. “Estamos tentando, torcendo. Vamos virar, se Deus quiser. Trabalhei hoje até às 13h e vim pra cá. Pelo menos seria uma alegria, com esses políticos todos ladrões. Vamos ver se conseguimos sentir orgulho do Brasil, eu gosto muito de futebol”, declarou.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions