A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 21 de Outubro de 2019

05/08/2019 10:45

Na praça, população vê de perto mosquito que já matou 26 este ano

Evento começou por volta das 8h na Praça do Rádio e reúne agentes de endemias e vigilância em saúde

Viviane Oliveira e Ronie Cruz
Com microscópico é possível enxergar de forma ampliada desde a larva até o mosquito adulto  (Foto: Ronie Cruz) Com microscópico é possível enxergar de forma ampliada desde a larva até o mosquito adulto (Foto: Ronie Cruz)

Com teatro, música e até exposição da evolução do mosquito da dengue em biscuit, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) lançou na manhã desta segunda-feira (5), o dia D de mobilização e combate ao Aedes aegypti (também transmissor do vírus causadores da zika e chikungunya).

Na Praça do Rádio, na Avenida Afonso Pena, em Campo Grande, a população vê de perto o mosquito que já matou 26 pessoas este ano em Mato Grosso do Sul, 8 só na Capital, 4 delas crianças. 

Durante o evento, que reúne agentes de endemias e de vigilância em saúde, foram anunciadas as estratégias de enfrentamento ao vetor para os próximos meses. Segundo a superintendente de Vigilância em Saúde, Veruska Lahdo, o objetivo é intensificar as ações mesmo durante o inverno (quando o mosquito circula menos).

“É nesse período que os criadouros devem ser eliminados, para evitar que o mosquito saía circulando na cidade quando o verão recomeçar”, explicou. Ainda segundo Veruska, mesmo assim não se pode falar de controle absoluto da dengue. O que existe é controle preventivo, continuo e permanente.

 

Larvas do mosquito da dengue foram exibidas durante evento na Praça do Rádio (Foto: Ronie Cruz) Larvas do mosquito da dengue foram exibidas durante evento na Praça do Rádio (Foto: Ronie Cruz)
Exposição das evolução do mosquito da dengue em biscuit (Foto: Ronie Cruz) Exposição das evolução do mosquito da dengue em biscuit (Foto: Ronie Cruz)

Há seis anos fazendo trabalho educativo, a agente de saúde Flaviana Ferreira Rodrigues, conta que as fases do mosquito levadas para a exposição na praça são apresentadas em empresas, rede social, escolas e principalmente em Emei’s (Escolas Municipais de Educação Infantil - antigo Ceinf’s). “Dessa forma lúdica, as crianças aprendem desde cedo a evolução do mosquito que causa tantas doenças”, explicou.

Além disso, há apresentação teatral, exposição de vários tipos de animais como morcegos, escorpião e aranhas. Dois microscópicos levados pelas equipes da Sesau mostram também desde a larva até o mosquito adulto de forma ampliada. Maquetes de terreno sujo e limpo foram exibidas durante o evento. Parte dos criadouros está nos quintais e dentro das residências, em recipientes que acumulam água parada.

Para o secretário municipal de saúde, José Mauro Pinto de Castro Filho, o inverno é o período estratégico para diminuir a proliferação do mosquito na estação mais quente e chuvosa. Durante discurso, José Mauro, citou o projeto que irá utilizar o mosquito Aedes Aegypti modificado com a bactéria Wolbachia, que está previsto para começar em novembro, nas Moreninhas.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions