A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

07/04/2013 13:54

Neste domingo choveu mais da metade do que é esperado para abril

Nadyenka Castro e Mariana Lopes
Bernardina está com a casa cheia de água desde quinta-feira. (Foto: Vanderlei Aparecido)Bernardina está com a casa cheia de água desde quinta-feira. (Foto: Vanderlei Aparecido)
Edite e água suja: chuva e fossa. (Foto: Vanderlei Aparecido)Edite e água suja: chuva e fossa. (Foto: Vanderlei Aparecido)

O mês de abril começou chuvoso em Mato Grosso do Sul. É água, e muita água. De acordo com o meteorologista Natalio Abrahão, até às 11 horas deste domingo havia chovido 66,4 milímetros em alguns pontos de Campo Grande, mais da metade esperada para o mês, que era de 104 milímetros. O vento chegou a 45Km/h e a temperatura caiu de 24ºC para 19ºC. No interior, a quantidade de precipitação é alta na região de Jardim, Maracaju e Sidrolândia.

Na Capital, a chuva deste domingo deixou ruas e residências alagadas em vários bairros, entre eles Jardim Tijuca, Zé Pereira e Santa Emília. Neste último, as vias pareciam rios e as casas lagoas. Uma delas a de Edite dos Santos, 25 anos.

No terreno da residência de Edite há duas casas onde moram seis adultos e três crianças. O local foi inundado no sábado e só na manhã deste domingo a jovem decidiu chamar o Corpo de Bombeiros para retirar a água porque a chuva fez também duas fossas transbordar.

Edite conta que sempre que chove forte a água entra no terreno, mas, esta foi a primeira vez que o interior das casas também alagou. Para ela, a situação ficou crítica por causa da pavimentação de algumas vias. A dela não é. “Isso deveria ter melhorado para gente, mas, piorou”, diz.

No caso de Edite, a maior preocupação é em relação às fossas, pois há crianças no local, brincando em meio à água e isso pode causar doenças.

Outra residência inundada no Santa Emília foi a de Bernardina da Costa, 41 anos. O terreno da casa está com água acumulada desde quinta-feira, mas, neste domingo, inundou. “Fazia tempo que não alagava”, fala a dona de casa que mora no bairro há 18 anos e já viu cenas parecidas.

Por causa da quantidade de água, a família de Bernardina fez um caminho com tábuas para sair da residência. De acordo com o Corpo de Bombeiros, as inundações no Santa Emília acontecem porque as casas foram construídas em nível mais baixo que o asfalto.

Conforme o meteorologista Natalio Abrahão, choveu 66,44 milímetros nas regiões do Sóter e do Jardim dos Estados. Nas proximidades do Aeroporto Internacional de Campo Grande a precipitação foi de 22,8 milímetros.

Enxurrada na Vila Nossa Senhora do Perpétuo Socoro. (Foto: Vanderlei Aparecido)Enxurrada na Vila Nossa Senhora do Perpétuo Socoro. (Foto: Vanderlei Aparecido)
ONG ficou ilhada. (Foto: Vanderlei Aparecido)ONG ficou ilhada. (Foto: Vanderlei Aparecido)
Durante discussão, adolescente de 17 anos é esfaqueado pelo amigo
Um jovem de 17 anos foi levado em estado grave para a Santa Casa após ser esfaqueado na noite deste sábado, na frente da casa em que mora no Bairro G...
Após furtar obra, ladrão é capturado por moradores e ferido a tiros
Marcio Estacio Duarte Teixeira, de 31 anos, foi socorrido a Santa Casa de Campo Grande após ser atingido por dois tiros na madrugada deste domingo (1...


bom dia, e muito triste ver tdo isso familias perderem o pouco que conseguem com muito sacrificios e nossos governantes nadam fazem por isso cada fez que chove sao mais mais familias que perdem com a falta de estruturas e muito triste, samos brasileiros e acreditamos que isso um dia posso mudar, esperamos. porque infelizmente acredito que eles acham normal tdo isso pq eles nao vive isso na pele., nosso pais poderia ser bem melhor se nao houvesse tanta corrupção, pois nosso pais e rico, e oq mas sofremos e nos alagamentos e saude, mais quem sbe isso mud um dia né.
 
NEIDE PEREIRA em 08/04/2013 09:46:19
É triste ver noticias como essa, porem é revoltante quando se trata de uma reincidencia, pois esse mesmo lugar ja passou por um alagamento a poucos dias.
Não podemos mudar o clima e suas condições, mas podemos estruturar os pontos criticos onde acontecem com frequecia os alagamentos, isso se répete por conta do descaso por parte do poder publico, que entra ano e sai ano e nada muda.
Gostaria de ver qual sera o vereador de coragem que ira criar uma lei que proibe a colocação de asfalto sem antes se executar os projetos de saneamento basico, a lei alem de previnir caso como este ira trazer economia aos cofres publicos visto que o asfalto não precisara ser quebrado para colocação de esgoto não é senhores????
 
Leandro Almeida em 07/04/2013 21:05:47
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions