ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SEXTA  23    CAMPO GRANDE 26º

Capital

No frio, crianças da favela no Noroeste revezam tênis para ir a escola

Semed disse que item será entregue ainda hoje na escola do bairro

Kleber Clajus e Bruna Kaspary | 09/08/2018 10:33
Juma e Ingrid avaliam dificuldades em frente a barracos no Jardim Noroeste (Foto: Bruna Kaspary)
Juma e Ingrid avaliam dificuldades em frente a barracos no Jardim Noroeste (Foto: Bruna Kaspary)

O frio impõe dificuldades extras as famílias que vivem em barracos localizados embaixo da linha de transmissão de energia elétrica que atravessa o Jardim Noroeste. Cobertores são colocados nas paredes improvisadas para evitar a entrada do vento e tem, até, família em que as crianças revezam o tênis, para não faltar a aula.

Juma Rodrigues de Almeida e Ingrid Oliveira Vilagra, ambas de 28 anos, relataram que a estratégia de cobertores nas paredes evita entrada do vento pelas frestas de madeira dos cômodos. O filho de um ano de Ingrid, inclusive, tosse sem parar devido aos efeitos do frio.

As amigas, que são mães de quatro filhos,  contam que acordar as crianças nesse período é um desafio pela preguiça ou limitações até com calçados. "Não tenho tênis para todo mundo e ainda não ganharam o da escola", disse Juma. "Minha filha de 5 anos usa de manhã e o menino de 4 anos durante a tarde. Tem que ficar revezando, senão eles sofrem demais". 

Em nota, a Semed (Secretaria Municipal de Educação) informou que os filhos de Juma e os demais alunos da Escola Municipal Senador Rachid Saldanha Derzi terão entregues hoje os pares de tênis do kit escolar. Até então somente parte dos estudantes receberam esse item.

Outras dificuldades - Dione Arguelho dos Santos e Leliane Pereira de Barros, de 27 e 38 anos, também adotam medidas especiais em suas casas improvisadas. Contudo, ao chover ninguém sai temendo os raios e a força da água que no passado alagou as estruturas.

"Tenho medo dos raios porque parece que passa pelos fios todos [da linha de transmissão]", relatou Leliane. Já Dione coloca todos os quatro filhos em cima da cama a fim de protegê-los contra eventuais enxurradas que ainda assombram a favela.

Nos siga no Google Notícias