A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

10/10/2013 13:16

Novo comandante da BPTran toma posse e promete intensificar blitze

Bruno Chaves
Jonildo (direita) e Vilasanti (esquerda) na troca do comando (Foto: Divulgação/BPTran)Jonildo (direita) e Vilasanti (esquerda) na troca do comando (Foto: Divulgação/BPTran)
Cerimônia de posse ocorreu nesta quinta-feira (10) no comando da unidade (Foto: Divulgação/BPTran)Cerimônia de posse ocorreu nesta quinta-feira (10) no comando da unidade (Foto: Divulgação/BPTran)

O tenente-coronel Jonildo Theodoro, da Polícia Militar, tomou posse do comando do BPTran (Batalhão de Polícia Militar de Trânsito) nesta quinta-feira (10). Ele disse que dará continuidade no trabalho desenvolvido pelo tenente-coronel Alírio Vilasanti Romero, que esteve a frente da antiga Ciptran (Companhia Independente de Polícia de Trânsito), e prometeu a intensificação e realização de blitze educativas e corretivas.

“As duas ações devem caminhar juntas”, explicou o novo comandante do batalhão. Jonildo disse que vai conduzir um estudo no banco de dados do Ciops (Centro Integrado de Operações de Segurança) para identificar os pontos mais críticos de Campo Grande onde ocorrem acidentes com frequência.

“Vamos intensificar blitze de fiscalização e contar com apoios de órgãos como a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) e o Detran (Departamento Estadual de Trânsito) para desenvolver mais ações educativas e preventivas”, contou.

Ainda de acordo com o novo comandante, o BPTran conta com 123 policiais atuantes nas fiscalizações da Capital. Entretanto, policiais militares de outros batalhões também estão aptos para agirem no enfrentamento a irregularidades nas ruas. “O trânsito é muito complexo. Sabemos que é uma opinião de cultura e comportamento”, afirma.

Deputados estaduais participaram do evento (Foto: Divulgação/BPTran)Deputados estaduais participaram do evento (Foto: Divulgação/BPTran)

Currículo – O tenente-coronel ingressou no quadro da Polícia Militar em 1990. Ainda como soldado, Jonildo atuou na extinta Ciptran. Em 1992, ingressou no curso de formação de oficiais, na Academia de Dourados. Nos anos seguintes, o policial prestou serviço na Rádio Patrulha, Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) e Ciops.

Antes de assumir o comando do BPTran, o tenente-coronel dirigia o 14º Batalhão de Polícia Militar Rodoviária, onde ficou por um ano e 10 meses atuando nas rodovias estaduais de Mato Grosso do Sul.

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Militar, as mudanças nos comandos dos batalhões fazem parte da filosofia de comando e da atual administração estadual de revezamento nos cargos de chefia.

Brinquedos feitos por detentos são doados para crianças em escola
Parceria feita entre a a Semed (Secretaria Municipal de Educação) e a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) garantiu ne...
Falta de pagamento faz prefeitura suspender hemogramas na rede pública
A falta de pagamento para um fornecedor de insumos fez com que a prefeitura de Campo Grande suspendesse a partir desta quarta-feira (13) a realização...


Estas Blitzes devem ser feitas de madrugada. Após a meia noite, de cada dez motoristas,
oito estão bêbados, com certeza.
 
Nilo Brasil em 11/11/2013 16:53:43
Fico me perguntando onde se escondem esses 123 policiais. Por que a PM não coloca guardas em cruzamentos e em vias movimentadas, no centro e periferia, para multar motoristas que trafegam sem cinto e fazem todo tipo de absurdos no trânsito? Blitz são necessárias, mas a fiscalização têm que ser mais presente e constante. Basta 1 minuto em qualquer avenida da periferia para perceber que a maioria não usa nem o cinto de segurança!
 
Carlos Eduardo em 10/10/2013 17:19:53
Tem que aumentar mesmo, E MUITO, o numero de blitz. E não só olhando pontos na mapa, mas também identificando horarios. Sabendo que metade dos acidentes acontece entre sexta noite e segunda, não basta só colocar radares para reduzir a velocidade. Fator muito mais decisivo para acidentes acontecer é (1) embriaguez ao volante e (2) desrespeitar (muitas vezes intencionalmente) a sinalização, por exemplo furando sinal.
Então as blitze devem acontecer nas noites de fim de semana, e deveriam incluir filmar (com camera escondida) cruzamentos com alta indice de acidentes. Camera escondida? Sim, pois na pratica é nitida que, quando um cruzamento tem alguns cameras só. que todos respeitam a faixa onde se vê a camera, mas furam o sinal nas outras... (ex.: na Via Parque).
Boa sorte!
 
Marcos da Silva em 10/10/2013 17:04:15
SEJA BEM VINDO CMT JONILDO E SAIBA QUE O TRÂNSITO DE CAMPO GRANDE NÃO É SÓ BLITZ E SIM SABER ESSES CONDUTORES DE QUE O VEÍCULO QUE A SUA FRENTE VAI UM SER HUMANO DIRIGINDO QUE O SEU DIREITO DE ESPAÇO É DELE TAMBÉM,ENTÃO SE NÃO QUER PARA SI UM ACIDENTE NÃO CAUSE PARA O OUTRO ESSA DESGRAÇA.COM CAMPANHAS PODEREMOS MOSTRAR ISSO PARA OS APRESSADINHOS E CASO CONTRARIO MULTA NELES. CEL ALÍRIO QUE A SUA CAMINHADA PELA GLORIOSA NÃO PARE E OBRIGADO POR NOS ENSINAR QUE COMANDAR NÃO É MANDAR,SEMPRE FOI PORTAS ABERTAS.BOA SORTE JUNTO COM SUA FAMÍLIA.
 
LUIZ CARLOS em 10/10/2013 13:33:55
É necessário mesmo! Sobretudo nos cruzamentos, onde os motoristas e motociclistas invadem a faixa de pedestres e ciclistas na Afonso Pena.
Tomara que façam algo útil, além de multar e apreender motocicletas.
 
JESSICA MACHADO em 10/10/2013 13:31:09
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions