A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

15/06/2011 13:38

Ônibus devem ficar sem dinheiro em caixa a partir de 26 de agosto

Paula Vitorino

Medida visa acabar com os constantes assaltos em ônibus da Capital

Diretor da Agetran diz que utilização exclusiva de cartão irá trazer segurnaça e rapidez para transporte. (Foto: Marcelo Victor)Diretor da Agetran diz que utilização exclusiva de cartão irá trazer segurnaça e rapidez para transporte. (Foto: Marcelo Victor)

Até o dia 26 de agosto, aniversário de Campo Grande, todos os ônibus do transporte coletivo de Campo Grande devem transitar com o caixa “limpo”, sem dinheiro. O pagamento da passagem pelo passageiro, a partir da data, só será aceito por meio do cartão de transporte coletivo.

A medida tem o objetivo de acabar com os constantes assaltos no interior de ônibus. Só nos cinco primeiro meses de 2011 foram registrados cerca de 270 roubos, o que equivale a média de 54 por mês.

A data limite para tirar de circulação o dinheiro dos coletivos foi determinada durante audiência pública na manhã desta quarta-feira (15), na Câmara Municipal, com os vereadores da Comissão Permanente de Segurança Pública e representantes da Prefeitura Municipal, órgãos ligados ao transporte coletivo e MPE (Ministério Público Estadual).

De acordo com o diretor-presidente da Agetran, Rudel Trindade, que também representou a Prefeitura Municipal, a data foi proposta pelo MPE e os demais representantes votaram a favor.

“Acreditamos que é um prazo adequado para cumprir as exigências do Ministério Público. A data também é boa porque no feriado tem a tarifa de R$ 1 só no cartão, então já fica mais fácil da população memorizar. No começo devemos ter alguns transtornos, mas é algo necessário”, explica.

A Agetran deve entregar ao MPE um mapa dos 1 mil pontos de venda de cartão do transporte coletivo em Campo Grande. A promotoria irá analisar onde estão esses pontos e se existe alguma região descoberta do serviço, segundo Rudel.

Também deverá ser elaborada uma campanha para informar a população sobre a obrigatoriedade do pagamento com o cartão, desenvolvida em conjunto com setores responsáveis.

Segurança - O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Carlos Alberto David dos Santos, afirma que “eliminar o dinheiro dos ônibus é a única solução para acabar com ações de ladrões no interior dos coletivos”.

Desde o início deste mês, cerca de 100 policiais militares estão fazendo a segurança dentro dos ônibus. Com as ações, o comandante afirma que houve redução de mais de 80% nos roubos.

Segundo ele, cerca de 73% dos usuários de Campo Grande utilizam o cartão de transporte coletivo. “O restante desses usuários já são suficiente para movimentar uma quantia considerável de dinheiro nos ônibus diariamente”, constata.

O coronel ainda revela que em grandes cidades onde o cartão já é o único meio para o pagamento da tarifa a pratica de roubos nos coletivos foi “reduzida consideravelmente”.

Rapidez - Além de proporcionar maior segurança para o transporte coletivo, o uso exclusivo do cartão irá agilizar o tempo de embarque e viagem nos ônibus.

De acordo com Rudel, um ônibus articulado em horário de pico na Praça Ari Coelho fica parado por cerca de 12 minutos para o embarque dos passageiros. Já com o pagamento via cartão, esse tempo cairia para entre 3 e 5 minutos.

“Muita gente chega como dinheiro, aí tem que dar o troco. Tudo isso demora. Essa redução significará um ganho de quase 10 minutos no tempo de cada viagem. Isso para o usuário faz uma diferença enorme”, destaca.

Para o diretor da Agetran, a agilidade no embarque também representa uma economia para o transporte coletivo, já que um mesmo veículo será capaz de fazer mais viagens ao longo do dia.

Brinquedos feitos por detentos são doados para crianças em escola
Parceria feita entre a a Semed (Secretaria Municipal de Educação) e a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) garantiu ne...
Falta de pagamento faz prefeitura suspender hemogramas na rede pública
A falta de pagamento para um fornecedor de insumos fez com que a prefeitura de Campo Grande suspendesse a partir desta quarta-feira (13) a realização...


é lamentável que as esposas e parentes de motoristas dos ônibus acreditem que o fato de não ter dinheiro no Onibus irá resolver o problema de assaltos nos coletivos,pelo contrario,o passageiro que é em maior numero entro do onibus poderá causar situações de maior risco pois poderam reagir a um possivel assalto e o bandido de posse de uma arma ao tentar roubar poderá atingir mais vitimas num eventual tiroteio dentro do onibus.sei disto pois trabalho como segurança é cada pessoa tem uma reação perante uma situação de roubo,uns ficam paralizados e outros não aceitam esboçando reação instintiva dai...
 
antonio luis em 17/06/2011 11:50:29
01 motorista vivo,sem traumas, vale infinitamente mais que zilhões de usuarios reclamando. sem comentários....
Parabéns AGETRAN, MPE., decsião acertada.
 
newton barros em 16/06/2011 06:06:20
Engraçado perceber que as pessoas só olham para seu proprio umbigo... Quando a vítima era o motorista de ônibus, poucos se encomodavam... até se esqueciam que era uma vida que estava alí sofrendo ameaças... As pessoas vivem em um comodismo horrivel, nao se preocupam com o proximo... Qual o problema em comprar um cartão antes do embarque? Quando se vai viajar não se compra o bilhete antes de embarcar? Temos que aprender a evoluir... AFINAL SOMOS DE UMA CAPITAL QUE A CADA DIA CRESCE! Agora acabou a mamata do comodismo, onde o motorista tinha que se virar em trocar R$50,00 que o folgado do passageiro nao quis trocar com antescedencia, simplesmente porque "TO PAGAAAAANDO!" rsrsrsrsrs
 
Élio Nascimento em 15/06/2011 10:54:15
LEI DAS CONTRAVENÇÕES PENAIS
Art. 43. Recusar-se a receber, pelo seu valor, moeda de curso legal no país:
Pena – multa, de duzentos mil réis a dois contos de réis.
 
RODRIGO DA COSTA em 15/06/2011 08:40:51
Estamos verificando hoje, o que outrora temiam cobradores quando se falava em cartão magnético.O sindicato naquela época forte lutava contra este tipo de coisa e o que afirmavam os patrões?Que não, que ninguém ia perder o emprego e bla bla bla........E agora?cadê os cobradores?E o que é pior, além de tirarem o emprego dos caras ainda elevando todo ano a tarifa(mais cara do pais)não deveria ser o contrário?E o alcaide todo ano vem com aquela conversa mole de que não vai dar o aumento que os empresários pleiteiam, e quando concede o aumento com certeza é exatamente o que é pleiteado.Esse Tem de parar de tratar as pessoas como crianças..........
 
Francisco Macedo em 15/06/2011 06:10:48
Infelizmente fico insatisfeito com uma atitude tomada, obrigando alguns usuários o carregar o vale transporte para amenizar uma onda de assaltos na nossa capital "lembrem se que quando tínhamos cobrador a onda era bem menor ou seja era uma vez ou outra ouvia se em comentar sobre um assalto a transporte coletivo agora é direto" as empresa a fim de reduzir custos cortaram os cobradores e aumentaram as tarifa ..
 
PETERSON DE ALMEIDA CHAMORRO em 15/06/2011 05:52:34
Lamento em saber que existem pessoas que acreditam que esta iniciativa é somente devido ao conforto de empresarios... Meu esposo é motorista de onibus e ja sofreu inumeros assaltos... sem contar no tralma que se fica, ou nas vezes que amigos de trabalhos tambem passaram pela mesma situação até sendo agredidos fisicamente com golpes de faca ou tiros... é lamentavel a mente do cidadão que pensa somente em seu bem estar. PARABENS POR ESTA INICIATIVA DE RETIRAR O DINHEIRO DO CAIXA DO ONIBUS!
 
Ivanilce Nascimento em 15/06/2011 05:41:51
Se essa atitude baratear o custo da passagem é bem vinda, agora temos que avaliar também se realmente vão aumentar o número de postos de venda do crédito, outra coisa o tempo de demora na recarga deve ser revisto, mais pelo que se vê o usuário vai continuar sendo penalizado, Sr. Rudel vamos tomas atitudes para melhorar o serviço tá!!!
 
Oswaldo Benites em 15/06/2011 05:04:56
Campo Grande não vai pra frente pela falta de cultura dos cidadãos, várias cidades do País já usa o sistema de transporte coletivo sem pagamento em dinheiro a muito tempo e ninguém reclama, o visitante que for usar o coletivo que compre seu cartão nos postos de venda. Mas eu entendo e reclamação de alguns: Tem gente que usa o "busão" todo dia e faz questão de pagar em dinheiro só pra mostrar a carteira, e quando compra uma bala no "botéco" quer passar o cartão de crédito. É uma comédia esse povo!!!!!!!!!
 
Marcos Garcia em 15/06/2011 04:59:31
Parabéns pela brilhante idéia!!!!!
Pessoas que vem de outros estados ou mesmo do interior e parar em um local
que não tenha o cartão como ficara?
Como esta havendo muitos assaltos em nossa cidade daqui uns dias para abastecer sera somente com cartão de credito compras em mercados só com vale compras e por ai vai......
 
Evanildo Ribeiro em 15/06/2011 04:34:52
Se eu tiver visitando campo grande então terei que comprar um cartão???
Tudo só pelo conforto e ganhos do empresários!
Como fica a vida das pessoas que usam o transporte também vai deixar o dinheiro, celular tudo em casa, so pra garantir a segurança de um transporte que nao tem segurança suficiente!!
 
Paulo César em 15/06/2011 04:27:52
Engraçado quando afeta o bolso dos grandões ai as providências são tomadas rapidamente. tem que melhorar a qualidade tambem do transporte
 
jose junior em 15/06/2011 02:56:20
É GRANDISSIMA RESOLUÇÃO PARA O PROBLEMA,AGORA COMO DIZ O DITADO POPULAR:SE NÃO TEM TU VAI TATU MESMO:OU SEJA O VISADO NOS ASSALTOS PASSARÁ SER OS USUARIOS COM SUA CARTEIRAS E BOLSAS.MAS UMA VEZ O POVO É COLOCADO EM SEGUNDO PLANO EM NOME DOS LUCROS.E DEPOIS COMO FICAM AS PESSOAS QUE SÃO DE FORA DA CIDADE QUE ESTAO DE PASSAGEM POR AQUI,POIS AQUI E UMA CAPITAL QUE A CADA DIA RECEBE GENTE DE TODAS AS PARTES DO BRASIL TUDO EM NOME DO BEM ESTAR DOS EMPRESÁRIOS.
 
antonio luis em 15/06/2011 02:47:57
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions