ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SEXTA  28    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Padaria do presídio da Gameleira doa 130 mil pães a entidades beneficentes

A produção diária gira em torno de 2.250 pães, sendo que 1.250 deles são vendidos para atender presídio

Por Silvia Frias | 14/01/2022 15:06
Quatro dos cinco detentos que trabalham na padaria da Gameleira, em Campo Grande (Foto/Divulgação)
Quatro dos cinco detentos que trabalham na padaria da Gameleira, em Campo Grande (Foto/Divulgação)

Implantada em maio do ano passado, a Padaria da Liberdade do presídio semiaberto da Gameleira doa diariamente 1 mil pães que são distribuídos para entidades beneficentes de Campo Grande pelo projeto Mesa Brasil do SESC e a Cufa (Central Única de Favelas). Ao longo de 2021, foram destinados 130 mil pães para doação.

A instalação da padaria foi feita por meio de desconto de 10% do salário do preso empregado via convênio em Campo Grande, estabelecido pela Portaria 001/2014 editada pelo juiz Albino Coimbra Neto, da 2ª Vara de Execução Penal. Foram destinados R$ 210 mil para o custeio do maquinário e a construção do local que funciona dentro do estabelecimento penal. A padaria emprega cinco detentos que são remunerados por empresas conveniadas à Gameleira.

A produção diária gira em torno de 2.250 pães, sendo que 1.250 deles são vendidos para atender o próprio quantitativo do presídio. E, com os recursos obtidos com as vendas, são fabricados 1.000 pães por dia útil que são encaminhados à doação, totalizando mais de 20 mil pães doados por mês.

O projeto Mesa Brasil faz a distribuição diária em 70 entidades de Campo Grande, entre creches, abrigos, asilos, casas de acolhimento e diversas outras instituições sociais como o Hospital Nosso Lar, Apae, Educandário Getúlio Vargas, Abrec e Pestalozzi. Somadas, foram 4 mil toneladas de pães somente para este grupo de instituições.

A outra metade dos pães é encaminhada à Central Única de Favelas que entrega os alimentos a esta população que vive em situação de grande vulnerabilidade social.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário