A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

03/06/2016 14:25

Padrasto é preso por estupro seis anos após denúncia de adolescente

Antonio Marques e Leandro Abreu
O delegado Paulo Sérgio Lauretto durante entrevista sobre o caso do padrasto preso por estuprar enteada por cinco anos seguidos (Foto: Leandro Abreu)O delegado Paulo Sérgio Lauretto durante entrevista sobre o caso do padrasto preso por estuprar enteada por cinco anos seguidos (Foto: Leandro Abreu)

Um auxiliar de serviços gerais, de 38 anos, morador do Indubrasil, foi preso na manhã desta sexta-feira (3), pelos policiais da DEPCA (Delegacia Especial de Proteção à Criança e ao Adolescente), por estupro de vulnerável durante cinco anos seguidos e vai cumprir pena 12 anos e três meses de reclusão. O crime foi cometido contra a enteada entre os anos 2005 a 2010.

A vítima, hoje com 21 anos, foi estuprada e abusada sexualmente dos 10 aos 15 anos de idade, período em que a mãe era casada com o estuprador. Segundo o delegado titular da DEPCA, Paulo Sérgio Lauretto, na época a garota tinha medo de denunciar o padastro, que foi casado durante 15 anos com sua mãe, com quem teve mais dois filhos.

Mesmo sofrendo abuso e sendo estuprada desde 2005, a menina só conseguiu fazer a denúncia em 2010, três meses depois que a mãe se separou do padrasto, quando a vítima já tinha 15 anos de idade.

Segundo o delegado da DEPCA, o padrasto esperava a mulher sair de casa para o trabalho para cometer o crime. Antes de estuprar a menina, conforme Lauretto, o auxiliar de serviços gerais dava refrigerante misturado com cachaça para deixá-la “grogue”.

Paulo Ségio Lauretto informou que o laudo do IMOL (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) confirmou que a menina foi estuprada pelo padrasto. O delegado disse ainda que as investigações duraram cinco anos, entre 2010 e 2015. Pelo crime, ele foi condenado a 12 anos e três meses de reclusão.

Com o mandado de prisão decretado desde de novembro do ano passado, somente hoje os policiais conseguiram prender o estuprador na empresa em que ele trabalhava no Bairro Indubrasil, mesmo ele não sendo considerado foragido.

O delegado não divulgou os nomes dos envolvidos para preservar a vítima e a família. O estuprador, depois de passar pelo exame de corpo de delito no IMOL da Capital, será encaminhado ao complexo penitenciário de Campo Grande.

Menina que mentiu sobre estupro vai responder por ato infracional
Uma menina de 12 anos que matou aula e mentiu para os pais e a polícia que havia sido vítima de estupro, vai responder por ato infracional e poderá s...
Último mutirão da Funtrab na Capital em 2017 será realizado na sexta-feira
  Será realizada na sexta-feira (15), das 8h às 17h, a última ação de atendimento emergencial ao trabalhador da Funtrab (Fundação do Trabalho de Mato...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions