ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, TERÇA  27    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Pai acusa professor de abusar de criança dentro de banheiro de Emei

Secretaria Municipal de Educação afastou o professor até o fim das investigações

Por Ana Beatriz Rodrigues | 11/12/2023 18:40
Pai esteve no Campo Grande News para fazer a denúncia contra o professor (Foto: Ana Beatriz Rodrigues)
Pai esteve no Campo Grande News para fazer a denúncia contra o professor (Foto: Ana Beatriz Rodrigues)

Pai de 34 anos procurou a Polícia Civil após a filha de 6 anos relatar ter sido estuprada por um professor, dentro do banheiro de Emei (Escolas Municipais de Educação Infantil) que fica na região central de Campo Grande.

Em depoimento especial à DEPCA (Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente), a menina confirmou a história. No relato, ela diz que o suspeito de 29 anos a levou para fazer xixi. No banheiro, pediu para a menina tirar a calcinha e em seguida começou a tocar nas partes íntimas da vítima. Depois, baixou a calça e pediu para a garotinha segurar no ‘negocio dele fazer xixi’, sem fazer barulho. Assustada, a menina pediu para ir embora e o professor a levou de volta.

Ao Campo Grande News, o pai da menina contou que quando ele chegou para buscar a filha ela estava muito estranha e disse apenas: “me leva embora desse lugar”. Preocupado, ele pediu para a esposa conversar com a menina. “Durante a noite da última quarta-feira, ela contou para a minha esposa que o professor tinha pegado na ‘perereca’ dela”, diz o pai.

Muito emocionado durante a entrevista, o rapaz disse que no dia seguinte ele foi até a escola, para conseguir o nome completo e ter um apoio da escola onde a menina estuda. Mas segundo ele, a equipe pedagógica não deu importância para o caso. “Nem ligaram para a situação da minha filha, eles ficaram preocupados com a reputação da escola”, reclama.

O pai comenta que ficou revoltado, por isso resolveu denunciar. “A diretora nem a coordenadora me deram assistência ou orientação alguma, eu demorei cerca de 7 horas para conseguir pelo menos o primeiro nome dele, parecia que elas estavam querendo proteger o cara”, finalizou.

O pai da vítima procurou a Semed (Secretaria Municipal de Educação) para fazer a denúncia também. “Lá eu fui bem recebido e demonstraram estar preocupados com a situação que a minha filha está passando. Ela não está indo mais para aula”, explicou o pai.

A Secretaria Municipal de Ensino informou que afastou o servidor momentaneamente, até o fim da investigação. "Já está tomando as medidas cabíveis conforme regimento interno, que prevê instauração de sindicância administrativa para averiguação dos fatos e afastamento do servidor da unidade, durante a tramitação de todo o processo".

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias