ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  26    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Pai pede socorro para menino de 4 anos, mas não consegue ajuda

Por Filipe Prado | 30/11/2013 15:55

O pai de um menino de quatro anos, morador do Bairro São Conrado, se desesperou após o Corpo de Bombeiros e Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) negarem socorro ao garoto. Ele relata que o menino sofre de coqueluche e passa muito mal.

João Antonio dos Santos Cardoso, 24, relatou que está ligando desde o 12:15h para os números de emergência dos bombeiros e Samu. “Liguei quatro vezes para os bombeiros e já perdi as contas de quantas vezes eu falei com o Samu, mas até agora não vieram me ajudar. Estou esperando a duas horas e meia”, comenta indignado.

O filho de João, Anderson Gabriel Ortiz Cardoso, 4, foi diagnosticado com coqueluche, doença que ataca o aparelho respiratório, no dia 22 de outubro. João explica que desde ontem o menino passa muito mal. “O médico falou que quando o meu filho tiver muita sonolência é porque ele teve alguma crise. E hoje ele não conseguiu sair da cama e nem comeu, além de sair muito sangue pelo seu nariz”, relata o pai.

Ele conta que de tanto ligar para o Samu, o atendente começou a xingá-lo. “A atendente falou que não virão atender meu filho, pois não é um caso de emergência. Ela acabou me xingando e falou para eu me virar”, comenta João.

Essa foi a primeira vez que foi negado socorro ao garoto, relata João Antonio. “Meu filho já foi atendido pelo Samu, uma vez que ele engasgou com um pedaço de carne. Não sei o porquê de não virem nos socorrer”.

João relatou que uma equipe do Samu foi até sua casa, por volta das 15:40h, para realizar o atendimento, porém acabaram indo embora sem prestar socorro. "Eles chegaram aqui muito agressivos, me chamaram de muleque e disseram que não iriam atender meu filho. Então foram embora".

A equipe do Campo Grande News entrou em contato com o Samu, mas não conseguiu saber os motivos de não terem prestado socorro a Anderson.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário